Esta página já teve 115.764.183 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.701 acessos diários
home | entre em contato
 

Reumatologia/Doenças Auto-Imune

Etanercept

20/06/2004
 

 

 

 

Enbrel (etanercept) é o primeiro tratamento biológico e o primeiro receptor do fator de necrose tumoral (TNF) humano solúvel a ser registrado pela Agência Européia para Avaliação de Produtos Medicinais para o tratamento da Artrite Reumatóide (AR), e o primeiro e único tratamento biológico registrado para tratamento da artrite reumatóide juvenil e da artrite psoriática.

 

Enbrel (etanercept) foi aprovado para inibir a progressão dos danos estruturais articulares de pacientes com Artrite Reumatóide, com atividade moderada ou grave, e é o único tratamento biológico que pode ser usado como monoterapia. Além disso, etanercept é o único tratamento anti-TNF registrado:

 

·        Para ser usado como monoterapia no tratamento da artrite reumatóide grave, ativa e progressiva, em adultos não tratados anteriormente com metotrexato;

·        Para o tratamento de pacientes de 4 a 17 anos de idade com artrite reumatóide juvenil ativa de evolução poliarticular que apresentaram resposta inadequada ou manifesta intolerância ao metotrexato;

·        Para tratamento da artrite psoriática ativa e progressiva em adultos, no caso de resposta insatisfatória a tratamento anterior com drogas anti-reumáticas modificadoras da doença.

 

 

Eficácia

 

Em estudos clínicos com pacientes portadores de artrite reumatóide, o etanercepte mostrou inibir a progressão do dano estrutural articular, reduzir a dor, reduzir a duração da rigidez matinal , diminuindo o número de articulações inchadas e sensíveis, favorecendo melhor participação do paciente nas atividades cotidianas.

 

 

Mecanismo de ação

 

Enbrel (etanercepte) age através da fixação do TNF, uma das citocinas inflamatórias dominantes ou proteínas reguladoras que desempenham papel importante tanto na função imunológica normal quanto na cascata de reações que dá origem ao processo inflamatório da artrite psoriática e da Artrite Reumatóide. A fixação do Enbrel ao TNF torna esse TNF biologicamente inativo, o que pode resultar em redução significante da atividade inflamatória.

 

 

 

 

 

 

 

 

O etanercepte atua suplementando o processo natural do organismo de regulação do TNF, inibindo de forma competitiva a ligação do TNF a seu receptor. Ao evitar a ligação do TNF aos receptores TNF nas células, etanercepte torna a citocina inativa, resultando em redução significante da atividade inflamatória que provoca dor e destruição articular na Artrite Reumatóide.

 

Um receptor solúvel de TNF, tal como o etanercept, atua ligando-se ao TNF  biologicamente ativo e, assim, intensificando a regulação da atividade do TNF no organismo. Este mecanismo de ação é exclusivo de Enbrel.

 

 

BULA DE ENBREL®

 

Enbrel®

(Etanercepte)

 

Pó liófilo injetável

 

SOMENTE PARA USO SUBCUTÂNEO

 

APRESENTAÇÃO

 

Cartucho contendo 4 estojos, unidos 2 a 2. Cada estojo contém 1 frasco-ampola dose única com pó liófilo injetável, 1 seringa preenchida com 1 ml de água para injeção (diluente), 2 agulhas  e 2 lenços umedecidos com álcool.

 

USO PEDIÁTRICO E ADULTO

 

COMPOSIÇÃO

 

Cada frasco-ampola contém 25 mg de etanercepte. Excipientes: manitol, açúcar e trometamol. e cloridrato de trometamol Diluente: água para injeção.

 

Não contém conservante.

 

 

INFORMAÇÕES AO PACIENTE

 

Enbrel® (Etanercepte) é um medicamento anti-reumático que age diminuindo a dor e o inchaço das articulações e retarda a progressão do dano estrutural causado pela doença ativa moderada a grave que pode resultar em comprometimento da função articular.

 

Enbrel® (Etanercepte) é indicado para o tratamento da artrite reumatóide ativa em adultos, quando a resposta a outros anti-reumáticos for insatisfatória, podendo ser usado em associação ao metotrexato em pacientes que não respondem adequadamente  a monoterapia com o mesmoao tratamento com este medicamento isoladamente.

 

Também é indicado para o tratamento de artrite crônica juvenil em curso poliarticular em menores com idadescrianças entre 4 e 17 anos que apresentaram resposta insatisfatória a outros anti-reumáticos e para redução dos sinais e sintomas articulares e cutâneos em pacientes com artrite psoriática ativa e progressiva com resposta inadequada a anti-reumáticos modificadores da doença (ARMDs).


 

.


 

Enbrel® (Etanercepte) é um medicamento obtido por biotecnologia, produzido a partir de duas proteínas humanas. Muitos dos sintomas da artrite reumatóide podem ser decorrentes de uma outra proteína que causa inflamação. Enbrel® (Etanercepte) age ligando-se a essa proteína e bloqueando sua atividade. Essa ação de bloqueio reduz a dor e a inflamação associadas à doença.

 

Conservar o pó liófilo sob refrigeração (temperatura entre+ 2ºC e +8°C) antes da reconstituição. Não congelar.

 

A solução de Enbrel® (Etanercepte)  deve ser administrada imediatamente após a reconstituição. Se não for imediatamente usada, a mesma solução reconstituída deve ser mantida no frasco-ampola sob refrigeração (temperatura entre 2ºC e 8°C)  e usada por período máximo  dedentro de 6 horas após a reconstituição.

 

O prazo de validade do pó liófilo injetável de Enbrel® (Etanercepte) é de 36 meses contados a partir da data de fabricação indicada na embalagem externa. A validade do diluente está gravada na seringa preenchida e não corresponde à validade do pó liófilo injetável. No momento do uso, verifique a validade do pó liófilo injetável e do diluente. Após esse período o medicamento não deve ser utilizado. Não use medicamento com prazo de validade vencido.

 

Informe seu médico a ocorrência de gravidez na vigência do tratamento ou após o seu término. Informar ao médico se está amamentando.

 

Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interromper o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

 

Informe seu médico o aparecimento de qualquer reação desagradável durante o tratamento com Enbrel® (Etanercepte). As reações desagradáveis mais freqüentes são febre e alterações no local de administração da injeção tais como: vermelhidão e/ou coceira, dor ou inchaço.

 

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

 

Informe seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do início, ou durante o tratamento.

 

A qualquer sinal de infecção ou comprometimento das funções de coagulação e defesa do organismo (por ex.: febre persistente, dor de garganta, hematomas, sangramento, palidez) comunique seu médico imediatamente. Ele tomará as providências necessárias.

 

Enbrel® (Etanercepte) é contra-indicado em pessoas com alergia conhecida a qualquer um de seus componentes.

 

Antes da administração de qualquer produto biológico deve-se tomar todas as precauções para o caso de ocorrerem reações alérgicas ou quaisquer outras reações.

 

Se possível, atualizar as vacinações dos pacientes pediátricos de acordo com as normas locais atuais antes do início da terapia.

 

 

 

Recomenda-se uma avaliação cuidadosa da relação risco/benefício ao prescrever este medicamento a pacientes com doença neurológica degenerativa (diagnóstico conhecido de Esclerose Múltipla, por exemplo) preexistente ou de início recente.

 

Deve-se ter cautela ao utilizar este medicamento em pacientes que também sofrem de Insuficiência Cardíaca Congestiva.

 

Ainda não se estabeleceu o uso seguro deste medicamento durante a gravidez e lactação. Caso seja necessário utilizá-lo durante a amamentação, deve-se optar entre o aleitamento materno ou o uso do medicamento.

 

Instruções para Preparo e Administração

 

As orientações a seguir explicam como preparar e administrar Enbrel® (Etanercepte). Estas orientações devem ser lidas com atenção e seguidas passo a passo. O médico ou seu assistente irão orientá-lo sobre como administrar o medicamento em si mesmo (auto-administração), em seu filho, ou na pessoa sob seus cuidados. Não tente auto-administrar ou administrar o medicamento em seu filho ou na pessoa sob seus cuidados sem estar certo de que compreendeu como preparar e administrar o medicamento.

 

Este medicamento não deve ser misturado com nenhum outro medicamento na mesma seringa ou no mesmo frasco-ampola.

 

Preparo geral para a administração

 

·       Lave muito bem as mãos.

·       Escolha uma superfície de trabalho limpa, bem iluminada e plana.

·       A embalagem deve conter os seguintes itens (caso contrário, não use a embalagem e consulte o farmacêutico). Use apenas os itens mencionados. NÃO use nenhuma outra seringa.

-    Frasco-ampola de Enbrel® (Etanercepte)

-       Seringa preenchida com diluente límpido e transparente

-       2 AgulhasÊmbolo dea seringa

-    2 lenços umedecidos com álcool

·         Verifique a data de validade no rótulo do frasco-ampola e na seringa. Esses produtos não devem ser usados após o mês e o ano indicados.

 

 

Escolha e preparo de um local para administração

 

·     
Escolha um local para administração na coxa, barriga (stomach)ou parte superior e posterior do braço.

 

 

·       A cada nova aplicação, escolha um local diferente, a pelo menos 3 cm de distância de um local de aplicação anterior. NÃO aplique a injeção em áreas em que a pele esteja sensível, com hematoma, avermelhada ou endurecida (pode ser útil fazer anotações sobre a localização das injeções anteriores).

·       Limpe o local onde Enbrel® (Etanercepte) será administrado com um lenço umedecido com álcool, fazendo movimentos circulares. NÃO toque mais nessa região antes da administração da injeção.


 

 

Preparo da dose de Enbrel® (Etanercepte)

 

·       Retire os itens do estojo.

·       Retire a tampa plástica do frasco-ampola de Enbrel® (Etanercepte). NÃO retire nem a tampa cinza de borracha, nem o aro de alumínio do frasco-ampola.

·       Use um novo lenço umedecido com álcool para limpar a tampa cinza de borracha do frasco-ampola de Enbrel® (Etanercepte). Depois de limpo, não toque mais na tampa.

·         Remova a ponta branca da seringa, tendo certeza que o selo de borracha também foi removido para deixar a ponta de vidro da seringa exposta. Você vai precisar quebrar na área perfurada no plástico da ponta branca. Não use a seringa se essa perfuração já estiver quebrada. Nesse caso, utilize um novo estojo.

·         Abra a embalagem que contém a agulha e encaixe a agulha na seringa.

·       Retire a tampa da agulha da seringa tomando cuidado para não tocar a agulha, nem deixar que ela toque em alguma superfície.


 

·         Com o frasco-ampola de Enbrel® (Etanercepte) na posição vertical sobre uma superfície plana, tal como uma mesa, insira a agulha perpendicularmente para baixo, através do centro do lacre cinza do frasco-ampola. Se a agulha estiver corretamente alinhada, você deverá sentir uma leve resistência e um “click” quando a agulha furar o centro da tampa. Procure ver a ponta da agulha dentro da janela da tampa. Se a agulha não estiver corretamente alinhada, você sentirá uma resistência constante à medida que a agulha passa pela tampa, mas não sentirá o “click”. Não insira a agulha inclinada, isso pode entortar a agulha e/ou impedir a introdução correta do diluente no frasco-ampola.

 

 


 


 

 

Introdução do diluente

 

·      
Empurre LENTAMENTE o êmbolo até todo o diluente passar para o frasco-ampola. Isso ajuda a evitar a formação de espuma (muitas bolhas).

 

·       Deixe a seringa na posição. Gire delicadamente o Guia de Preparo da Dose frasco algumas vezes para dissolver o pó. NÃO agite o  Guia de Preparo da Dosefrasco. Espere até a dissolução total do pó (em geral, menos de 10 minutos). A solução deve estar límpida e transparente, sem grumos, flocos ou partículas. Ainda pode haver uma pequena quantidade de espuma branca no frasco-ampola - isso é normal. NÃO use Enbrel® (Etanercepte) se todo o pó do frasco-ampola não estiver dissolvido em 10 minutos. Comece novamente com outro estojo de dose.

 

 


Retirada da Solução de Enbrel® (Etanercepte) do frasco-ampola

 

·       Com a agulha ainda dentro do frasco-ampola, segure o Guia de Preparo da Dose frasco-ampola de cabeça para baixo na altura dos olhos. Puxe lentamente o êmbolo para aspirar o líquido na seringa. À medida que o nível do líquido no frasco-ampola diminuir, pode ser necessário puxar parcialmente a agulha para manter a ponta da mesma dentro do líquido. Para pacientes adultos, aspirar todo o volume. Para crianças, retirar apenas a quantidade de líquido indicada pelo médico.


 

·       Com a agulha ainda dentro do frasco-ampola, verificar se existem bolhas de ar na seringa. Bata delicadamente com os dedos na seringa para que as bolhas subam para próximo da agulha. Pressione lentamente o êmbolo para retirar as bolhas da seringa. Ao fazer isso, se acidentalmente um pouco de líquido retornar para o frasco-ampola, puxe lentamente o êmbolo para aspirar o líquido novamente.


 

 

·       Retire completamente a agulha do frasco-ampola. Novamente, não toque na agulha nem deixe que ela toque em qualquer superfície.

 

(Observação: Após completar essas etapas, ainda pode ficar uma pequena quantidade do líquido dentro do frasco-ampola. Isso é normal.)

 

·         Recoloque a tampa na agulha com cuidado.

·         Remova a agulha da seringa e descarte.

·         Abra outra embalagem, contendo uma agulha nova.

·         Encaixe a nova agulha na seringa.

·         Retire a tampa da agulha.

 

Administração da Solução de Enbrel® (Etanercepte)

 

·       Delicadamente, com uma das mãos, faça uma prega na área de pele limpa segurando firmemente. Com a outra mão, segure a seringa em um ângulo de aproximadamente 45º em relação à pele.

 



 

·         Com um movimento rápido e curto, introduza a agulha na pele.

·         Solte a prega cutânea.

·        
Com a mão livre, empurre lentamente o êmbolo injetando a solução.

 

 

·         Quando a seringa estiver vazia, retire a agulha da pele tomando cuidado para mantê-la no mesmo ângulo usado na inserção.

·         Pressione um chumaço de algodão sobre o local da administração por 10 segundos. Pode ocorrer um pequeno sangramento. NÃO esfregue o local da administração. O uso de um curativo é opcional.

 

Descarte dos Materiais

 

·       NUNCA reutilize a seringa e as agulhas. Descarte as agulhas e a seringa conforme orientado pelo médico, enfermeira ou farmacêutico.

 

Todas as dúvidas devem ser esclarecidas por um médico, uma enfermeira ou um farmacêutico familiarizado com a administração de Enbrel® (Etanercepte).

 

 

NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO, PODE SER PERIGOSO PARA A SAÚDE.

 

 

 

INFORMAÇÕES TÉCNICAS

 

Descrição

 

Enbrel® (Etanercepte) é uma proteína de fusão do receptor p75 do fator de necrose tumoral humano com o fragmento Fc produzida por tecnologia de DNA recombinante em um sistema mamífero de expressão em células de ovário de hamster chinês (CHO). Trata-se de um dímero de uma proteína quimérica obtido por engenharia genética pela fusão do domínio de ligação extracelular do receptor 2 do fator de necrose tumoral humano (TNFR2/p75) com o domínio Fc da IgG1 humana. Este componente Fc contém as regiões CH2 e CH3, mas não possui a região CH1 da IgG1. Enbrel® (Etanercepte) é solúvel em água e seu peso molecular aparente é de 150 quilodaltons.


 

Mecanismo de Ação

 

Enbrel® (Etanercepte) é a forma dimérica solúvel do receptor p75 do fator de necrose tumoral (TNF) que pode ligar-se a duas moléculas diferentes: TNFa e linfotoxina-alfa [LTa](TNFb).

 

Enbrel® (Etanercepte) inibe a ligação do TNFa e do TNFb aos receptores de TNF na superfície celular, tornando o TNF biológico inativo e impedindo as respostas celulares mediadas pelo mesmo. O TNF é uma citocina dominante no processo inflamatório da artrite reumatóide em pacientes adultos. O TNF e a LTa também são expressos em pacientes com artrite crônica juvenil. Os níveis de TNF no fluido sinovial de pacientes com artrite reumatóide e artrite crônica juvenil estão elevados.

 

Existem dois receptores naturais diferentes para o TNF (TNFRs), uma proteína de 55 quilodaltons (p55) e outra de 75 quilodaltons (p75), que existem naturalmente como moléculas monoméricas na superfície celular e sob a forma solúvel. A atividade biológica do TNF depende da ligação a um ou ambos receptores da superfície celular. Enbrel® (Etanercepte) também pode modular respostas biológicas controladas por outras moléculas de etapas posteriores da cadeia (p. ex., citocinas, moléculas de adesão ou proteinases) que são induzidas ou reguladas pelo TNF.

 

Enbrel® (Etanercepte) inibe a atividade do TNF in vitro e tem demonstrado alterar vários modelos animais de inflamação, entre eles, o de artrite induzida por colágeno em camundongos.

 

Propriedades farmacodinâmicas e eficácia clínica

 

Em um estudo clínico, randomizado e duplo-cego, 234 pacientes com artrite reumatóide (AR) ativa receberam 10 mg ou 25 mg de Enbrel® (etanercepte)  ou placebo por via subcutânea, duas vezes por semana, durante 6 meses. Os pacientes foram avaliados para determinar se atingiram melhora de 20%, 50%, ou 70% da atividade de AR de acordo com os critérios definidos pelo “American College of Rheumatology (ACR)” em 3 e 6 meses. Os pacientes demonstraram melhora rápida e persistente em todas as avaliações relatadas da atividade da AR e do status funcional durante o tratamento com Enbrel® (etanercepte). Observou-se uma relação dose-resposta bem evidente, sendo 25 mg a dose mais efetiva.

 

Em um estudo multicêntrico, randomizado e duplo-cego, 89 pacientes com AR ativa, já sob tratamento com metotrexato durante no mínimo 6 meses, receberam a dose de 25 mg de Enbrel® (etanercepte) ou placebo por via subcutânea, duas vezes por semana, em associação a uma dose estável de metotrexato durante 6 meses. Os objetivos primários do estudo foram avaliação da segurança e melhora da atividade de AR em 20% (ACR 20) na Semana 24, baseado com base nos critérios definidos pelo ACR. Outros critérios de avaliação de eficácia incluíram o ACR 20 na Semana 12, e o ACR 50 e ACR 70 nas Semanas 12 e 24. O acréscimo do tratamento com Enbrel® (etanercepte) ao uso do metotrexato melhorou de forma significante os resultados dos pacientes em todas as avaliações da atividade de AR relatadas, sem aumentar os efeitos colaterais, à exceção de reações leves no local da administração das injeções.

 

A segurança e a eficácia de Enbrel® (etanercepte) foram avaliadas em um estudo de duas partes em 69 crianças com artrite crônica juvenil em curso poliarticular que apresentavam vários tipos de início da artrite crônica juvenil (ACJ). Neste estudo, foram admitidos pacientes entre 4 e 17 anos com ACJ em curso poliarticular moderada a gravemente refratários ou intolerantes ao metotrexato. Os pacientes foram mantidos com doses estáveis de apenas um antiinflamatório não-esteróide e/ou prednisona (< 0,2 mg/kg/dia ou, no máximo, 10 mg). Na primeira parte do estudo, todos os pacientes receberam 0,4 mg/kg de Enbrel® (etanercepte) por via subcutânea, duas vezes por semana (máximo de 25 mg por dose). Na segunda parte do estudo, os pacientes que apresentaram resposta clínica no Dia 90 foram randomizados para continuarem o tratamento com Enbrel® (etanercepte) ou receberem placebo durante 4 meses, sendo avaliados quanto à ocorrência de crises da doença. As respostas foram medidas pela Definição de Melhora (DDM) da ARJ, definida como melhora > 30% em, pelo menos, três dos seis critérios do conjunto principal de ARJ e piora > 30% em, pelo menos, trêsum dos seis critérios do conjunto principal de ARJ, os quais incluem: contagem de articulações ativas; limitação do movimento; avaliação global realizada pelo médico; avaliação global realizada pelo paciente/pais; avaliação funcional; e, velocidade de hemossedimentação (VHS). Definiu-se crise da doença como: piora ³ 30% em três dos seis critérios do conjunto principal de ARJ; melhora ³ 30% em não mais de que um dos seis critérios do conjunto principal de ARJ; e, no mínimo de duas articulações ativas.

 

Na primeira parte do estudo, 51 dos 69 pacientes (74%) demonstraram uma resposta clínica e passaram para a segunda parte. Na segunda fase do estudo, 6 dos 25 pacientes (24%) que continuaram o tratamento com Enbrel® (etanercepte) apresentaram crise da doença em comparação a 20 dos 26 (77%) que receberam placebo (p=0,007). Desde o início da segunda parte do estudo, a mediana do tempo até a ocorrência de uma crise foi ³ 116 dias para pacientes tratados com Enbrel® (etanercepte) e 28 dias para os que receberam placebo. Todos os componentes dos critérios do conjunto principal de ARJ pioraram no grupo que recebeu placebo, porém permanecendo estáveis ou melhorando no grupo que continuou o tratamento com Enbrel® (etanercepte). Os resultados sugeriram a possibilidade de uma maior frequênciafreqüência de crises entre os pacientes com VHS mais elevado no período basal. Alguns dos pacientes que mantiveram o tratamento com Enbrel® (etanercepte) após demonstrarem resposta clínica no Dia 90 continuaram a melhorar do Mês 3 ao Mês 7, ao passo que os pacientes do grupo placebo não apresentaram melhora.

 

Propriedades farmacocinéticas

 

Absorção

 

Enbrel® (Etanercepte) é absorvido lentamente do local da administração subcutânea, atingindo concentração máxima aproximadamente 66 horas após uma dose única. A biodisponibilidade absoluta é de 58%.

 

Distribuição

 

Após uma dose única subcutânea de 25 mg de Enbrel® (Etanercepte), a média da concentração sérica máxima em voluntários saudáveis foi de 1,65 ± 0,66 mg mcg /ml e a área sob a curva (AUC) foi de 235 ± 96,6 mcg·h/ml. A proporcionalidade à dose ainda não foi avaliada formalmente, mas não há saturação aparente do processo de depuração ao longo do intervalo de doses.

 

O volume de distribuição no estado de equilíbrio após a administração subcutânea é de 13,9 ± 9,4 litros.

 

Após a administração contínua de Enbrel® (Etanercepte) a pacientes com artrite reumatóide (n=25) por 6 meses na dose de 25 mg duas vezes por semana, o nível mediano observado foi de 3,0 gmcg/ml (variação entre 1,7 e 5,6 μmgmcg/ml). Com base nos dados disponíveis, alguns pacientes podem apresentar aumento de duas a cinco vezes nos níveis séricos com a administração repetida.

 

Eliminação

 

Enbrel® (Etanercepte) é depurado lentamente do organismo. A meia-vida é longa, de aproximadamente 70 horas.

 

A depuração é de cerca de 175 ± 116 ml/h em pacientes com artrite reumatóide e de 131 ± 81 ml/h em voluntários saudáveis.

 

Após a administração de etanercepte radiomarcado a pacientes e voluntários Ao composto radioativoidade é eliminadao na urina. após a administração de etanercepte radiomarcado a pacientes e voluntários

 

Pacientes com disfunção renal ou hepática

 

Embora ocorra eliminação da radioatividade na urina após a administração de etanercepte radiomarcado a pacientes e voluntários, nNão foi observado aumento nas concentrações de Enbrel® (Etanercepte) em pacientes com insuficiência renal ou hepática aguda. A presença de comprometimento renal ou hepático não deve requerer uma modificação de dose.

 

Sexo

 

Não há diferença farmacocinética aparente entre homens e mulheres.

 

Relação Concentração-Efeito

 

As concentrações séricas no estado de equilíbrio de 1 a 2 mg/ll de Enbrel® (Etanercepte) estão associadas a efeito ideal e são obtidas com as doses de 25 mg, duas vezes por semana.

 

 

INDICAÇÕES

 

Enbrel® (Etanercepte) está indicado para redução dos sinais e sintomas e inibição da progressão do dano estrutural em pacientes com artrite reumatóide ativa moderada a grave.

 

Tratamento da artrite reumatóide (AR) ativa em adultos que apresentaram resposta insatisfatória a um ou mais anti-reumáticos modificadores da doença (ARMDs).

 

Tratamento da artrite crônica juvenil em curso poliarticular em crianças menores com idade entrede 4 a 17 anos que apresentaram resposta insatisfatória a um ou mais ARMDs.

 

Enbrel® (Etanercepte) pode ser usado em associação ao metotrexato em pacientes adultos que não respondem satisfatoriamente à monoterapia com metotrexato.

 

Enbrel® (Etanercepte) está indicado para redução dos sinais e sintomas articulares e cutâneos em pacientes com artrite psoriática ativa e progressiva com resposta inadequada a anti-reumáticos modificadores da doença (ARMDs).

 

 

CONTRA-INDICAÇÕES

 

Hipersensibilidade ao Enbrel® (Etanercepte) ou a qualquer componente da formulação do produto.

 

Enbrel® (Etanercepte) é contra-indicado em pacientes com septicemia ou em risco de septicemia (ver Precauções, Advertências e Reações Adversas).

 

O tratamento com Enbrel® (Etanercepte) não deve ser iniciado em pacientes com infecções ativas sérias, incluindo infecções crônicas ou localizadas.


 

 

PRECAUÇÕES

 

Reações alérgicas

 

Foram relatadas reações alérgicas associadas à administração de Enbrel® (Etanercepte). Se ocorrer alguma reação anafilática ou alérgica séria, descontinuar imediatamente a administração do medicamento (ver Reações Adversas).

 

A tampa da agulha da seringa preenchida com o diluente contém látex (borracha natural seca) e não deve ser manuseada por pessoas com possível sensibilidade ao látex. Padronizar?

Imunossupressão

 

Existe a possibilidade das terapias anti-TNF, incluindo o Enbrel® (Etanercepte), comprometerem a defesa do hospedeiro contra infecções e doenças malignas, pois o TNF é responsável pela mediação da inflamação e pela modulação de respostas imunológicas celulares. No período pós-comercialização, vêm sendo recebidos relatos de doenças malignas em diversos orgãosórgãos. Ainda não se sabe ao certo qual o impacto do tratamento com Enbrel® (Etanercepte) sobre o desenvolvimento e a progressão das doenças malignas e infecções ativas e/ou crônicas.

 

Reações hematológicas

 

Foram relatados casos incomuns de trombocitopenia (> 0,1% e <1%), raros de pancitopenia (> 0,01% e <0,1%) e muito raros de anemia aplástica (<0,01%), dos quais alguns evoluíram para óbito, em pacientes tratados com Enbrel® (etanercepte). Deve-se ter cuidado com pacientes que estejam sendo tratados com Enbrel® (Etanercepte) e que tenham história pregressa de discrasias sanguíneas. Todos os pacientes devem ser orientados a procurar aconselhamento médico imediatamente caso desenvolvam sinais e sintomas sugestivos de discrasias sanguíneas ou infecções (por ex.: febre persistente, dor de garganta, hematomas, sangramento, palidez) durante o tratamento com Enbrel® (Etanercepte). Esses pacientes devem ser avaliados com urgência, inclusive com a realização de hemograma completo; se as discrasias sanguíneas forem confirmadas, Enbrel® (Etanercepte) deve ser descontinuado.

 

Formação de auto-anticorpos

 

O tratamento com Enbrel® (Etanercepte) pode estar associado à formação de anticorpos auto-imunes (ver Reações Adversas).

 

Vacinações

 

Não estão disponíveis dados sobre os efeitos da vacinação em pacientes tratados com Enbrel® (Etanercepte). Vacinas com microrganismos vivos não devem ser administradas concomitantemente a este medicamento. Se possível, atualizar as vacinações dos pacientes pediátricos de acordo com as normas locais atuais antes do início da terapia com Enbrel® (Etanercepte).

 

Eventos do Sistema Nervoso Central (SNC)

 

Embora não tenham sido conduzidos estudos clínicos que avaliassem o tratamento com Enbrel® (Etanercepte) em pacientes com esclerose múltipla, estudos clínicos com outros antagonistas do TNF em pacientes com esclerose múltipla demonstraram aumento da atividade da doença. Ocorreram relatos raros de distúrbios desmielinizantes do Sistema Nervoso Central (SNC) em pacientes tratados com Enbrel® (Etanercepte) (ver Reações Adversas); ainda não se sabe ao certo qual a relação causal com o tratamento com Enbrel® (Etanercepte). Recomenda-se uma avaliação cuidadosa da relação risco/benefício, incluindo uma avaliação neurológica, ao prescrever terapia com Enbrel® (Etanercepte) a pacientes com doença desmielinizante do SNC preexistente ou de início recente ou àqueles pacientes considerados como tendo um risco aumentado de desenvolver distúrbios desmielinizantes.

 

Distúrbios cardíacos

 

Houve relatos pós-comercialização de piora da Insuficiência Cardíaca Congestiva (ICC), com e sem a identificação dos fatores precipitantes, em pacientes que recebem Enbrel® (Etanercepte). Dois estudos clínicos de grande porte que avaliaram o uso de Enbrel® (Etanercepte) no tratamento de ICC foram encerrados precocemente devido à falta de eficácia. Embora não sejam conclusivos, os dados de um desses estudos sugerem uma possível tendência à piora da ICC nos pacientes designados para o tratamento com Enbrel® (Etanercepte). Além disso, um estudo clínico que avaliou o uso do infliximabe (um anticorpo monoclonal que se liga ao TNF-alfa) no tratamento da ICC foi encerrado precocemente devido ao aumento da mortalidade entre os pacientes tratados com infliximabe. Os médicos devem ter cautela ao usar Enbrel® (Etanercepte) em pacientes que também sofrem de ICC.

 

Gravidez

 

Ainda não se estabeleceu o uso seguro de Enbrel® (Etanercepte) durante a gravidez. Somente utilize Enbrel® (Etanercepte) durante a gravidez se for realmente necessário e sob estrita orientação médica.

 

Lactação

 

O uso seguro de Enbrel® (Etanercepte) durante a lactação ainda não foi estabelecido. Não se sabe se Enbrel® (Etanercepte)  é excretado no leite materno. Como as imunoglobulinas e muitos outros medicamentos podem ser excretados no leite materno, deve-se optar entre descontinuar a amamentação ou descontinuar Enbrel® (Etanercepte) durante o período de amamentação.

 

Uso Pediátrico

 

Enbrel® (Etanercepte) não foi estudado em crianças com menos de 4 anos de idade (ver Indicações e Posologia).

 

 

Uso em idosos

 

Não se recomenda ajuste posológico específico de Enbrel® (Etanercepte) de acordo com a idade do paciente.

 

 

Efeitos na capacidade de dirigir veículos e operar máquinas

 

Não foram realizados estudos dos efeitos do uso de Enbrel® (Etanercepte) sobre a capacidade de dirigir veículos e operar máquinas.


 

ADVERTÊNCIAS

 

Foram relatadas infecções sérias e septicemia, incluindo óbitos, com o uso de Enbrel® (Etanercepte). Os pacientes que desenvolvem uma infecção nova durante o tratamento com Enbrel® (Etanercepte)  devem ser atentamente monitorizados. A administração do medicamento deve ser descontinuada se o paciente desenvolver uma infecção séria. Os médicos devem ter cautela ao considerarem o uso deste medicamento em pacientes com história de infecções recorrentes ou crônicas ou com condições subjacentes que possam predispor a infecções (ver Contra-Indicações, Precauções e Reações Adversas).

 

 

INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS

 

Em estudos clínicos envolvendo pacientes adultos com artrite reumatóide, não foram observadas interações ao se administrar Enbrel® (Etanercepte) com glicocorticóides, salicilatos, antiinflamatórios não-esteróides (AINEs), analgésicos ou metotrexato.

 

O metotrexato não altera a farmacocinética de Enbrel® (Etanercepte).

 

REAÇÕES ADVERSAS

 

Pacientes Adultos

 

A proporção de descontinuação do tratamento devido a reações adversas nos estudos clínicos controlados em pacientes com artrite reumatóide foi semelhante, tanto no grupo que recebeu Enbrel® (Etanercepte), como no grupo placebo.

 

Reações no local da administração

 

Em estudos clínicos controlados, os pacientes tratados com Enbrel® (Etanercepte) apresentaram incidência significantemente maior de reações no local da administração (eritema e/ou prurido, dor ou inchaço) do que os que receberam placebo. A frequênciafreqüência de reações no local da administração foi maior no primeiro mês, diminuindo posteriormente. Alguns pacientes que apresentaram reações no local da injeção também apresentaram reações no local de injeções anteriores.

 

Na experiência pós-comercialização, também foram observados sangramentos e hematomas no local da administração do tratamento com Enbrel® (Etanercepte).

 

Infecções

 

Foram relatadas infecções sérias e fatais. Entre os patógenos mencionados estão bactérias, micobactérias (incluindo a da tuberculose), vírus e fungos (ver Advertências).

 

Nos estudos controlados em pacientes com artrite reumatóide, as taxas relatadas de infecções sérias (fatais, potencialmente fataisque resultaram em risco de vida ou que necessitaram de hospitalização ou antibioticoterapia intravenosa) e não-sérias foram semelhantes para os grupos tratados com Enbrel® (Etanercepte) e placebo, quando ajustadas de acordo com a duração da exposição. Infecções do trato respiratório superior foram as infecções não-sérias mais frequentementefreqüentemente relatadas.

 

Os dados de um estudo clínico em pacientes com septicemia estabelecida sugerem que o tratamento com Enbrel® (Etanercepte)  pode aumentar a mortalidade nesses pacientes.

 

 

Doenças Malignas  Câncer Malignancies

 

A frequênciafreqüência e incidência de novas doenças malignas observadas nos estudos clínicos com Enbrel® (Etanercepte)  foram semelhantes às esperadas nas populações estudadas (ver Precauções). Durante o período de pós-comercialização, foram recebidos relatos de doenças malignas afetando diversos locais.

 

Formação de auto-anticorpos

 

Em estudos controlados, houve aumento da porcentagem de pacientes que desenvolveram novos anticorpos antinucleares positivos (ANA) (³ 1:40), novos anticorpos anti-DNA de dupla fita positivos e novos anticorpos anticardiolipina em comparação aos pacientes que receberam placebo. Esses pacientes não apresentaram nenhum sinal característico de uma nova doença reumática auto-imune. Não se sabe qual o impacto do tratamento a longo prazo com Enbrel® (Etanercepte) sobre o desenvolvimento de doenças auto-imunes.

 

Raros relatos foram descritos em pacientes, incluindo portadores de fator reumatóide positivo, que desenvolveram auto-anticorpos adicionais em conjunção com síndrome tipo lúpus ou erupções cutâneas compatíveis com lúpus cutâneo subagudo ou lúpus discóide manifestadasclinicamente manifesto e confirmado por biópsia (ver também tabela a seguir com outros efeitos indesejáveis).

 

As reações adversas relacionadas com Enbrel® (Etanercepte) estão de acordo com as seguintes frequênciasfreqüências:

 

Muito Comuns: >10%

Comuns: > 1% e <10%

Incomuns: > 0,1% e <1%

Raras: >0,01% e <0,1%

Muito raras: <0,01%

 

A tabela a seguir de efeitos indesejáveis suspeitos baseia-se em estudos clínicos e/ou relatos pós-comercialização:

 

 

Sistema Corporal

Reação Adversa

 

Distúrbios do sistema linfático e sangue

 

Incomum

Trombocitopenia

Raras

Anemia, leucopenia, neutropenia, pancitopenia (ver Precauções)

 

Muito rara

 

 

 

Distúrbios do sistema imune

 

Comum

 

 

Raras

Anemia aplástica (aplastic)

(ver Precauções)

 

 

 

 

Reações alérgicas (ver “Distúrbios da pele e tecido cutâneo”), formação de auto-anticorpo

 

Reações alérgicas/anafiláticas sérias (incluindo angioedema, broncoespasmo)

 

 

Distúrbios gerais e condições no local da administração

 

Comum

Febre

 

Distúrbios do sistema nervoso

 

Raras

Convulsões, eventos desmielinizantes do SNC, incluindo esclerose múltipla e condições desmielinizantes localizadas, como neurite óptica e mielite transversa

(ver Precauções)

 

Distúrbios da pele e tecido cutâneo

 

Comum

 

Incomum

 

 

Distúrbios músculoesqueléticos, do tecido conjuntivo e dos ossos

 

Raras

 

Prurido

 

Urticária

 

 

 

 

 

Lúpus eritematoso cutâneo subagudo, lúpus eritematoso discóide, síndrome do tipo lúpus

 

Distúrbios cardíacos

Houve relatos de piora de insuficiência cardíaca congestiva.

 

Pacientes Pediátricos

 

Em geral, os eventos adversos em pacientes pediátricos apresentaram frequênciafreqüência e tipo semelhantes aos observados em adultos.

 

Os pacientes com artrite crônica juvenil tratados com Enbrel® (Etanercepte) apresentaram incidência significantemente maior de reações no local da administração (eritema e/ou prurido, dor ou inchaço) do que os pacientes tratados com placebo em estudos clínicos controlados.

 

Infecção foi o evento adverso mais comum em pacientes pediátricos tratados com Enbrel® (Etanercepte), tendo ocorrido com incidência semelhante à observada no grupo placebo. Os tipos de infecções relatadas em pacientes com artrite crônica juvenil foram, em geral, leves e compatíveis com os frequentementefreqüentemente observados em populações de pacientes pediátricos ambulatoriais.

 

Em estudos clínicos, foram relatados dois casos de varicela com sinais e sintomas sugestivos de meningite asséptica entre os pacientes com artrite crônica juvenil tratados com Enbrel® (Etanercepte).


 

 

POSOLOGIA

 

Uso em adultos

 

Pacientes com 18 anos ou mais: 25 mg de Enbrel® (Etanercepte), duas vezes por semana (com 72-96 horas de intervalo), por via subcutânea.

 

O uso de metotrexato, glicocorticóides, salicilatos, antiinflamatórios não-esteróides (AINEs) ou analgésicos pode ser mantido durante o tratamento com Enbrel® (Etanercepte) em adultos.

 

A dose de 25 mg, uma vez por semana produz uma resposta mais lenta e pode ser menos efetiva.

 

Uso em menores

 

Menores (> 4 e < 18 anos): 0,4 mg/kg (até no máximo, 25 mg por dose), duas vezes por semana (com 72-96 horas de intervalo), por via subcutânea.

 

O uso de glicocorticóides, antiinflamatórios não-esteroidaisnão-esteróides (AINEs) ou analgésicos pode ser mantido durante o tratamento com Enbrel® (Etanercepte) em menores.

 

Enbrel® (Etanercepte) não foi estudado em crianças com menos de 4 anos de idade.

 

Uso em pacientes idosos e em pacientes com insuficiência renal e/ou hepática

 

Não é necessário ajuste de dose.

 

 

Modo de administração

 

Enbrel® (Etanercepte) deve ser administrado por via subcutânea na coxa, abdômen ou braço. Alternar os locais de administração. A cada nova aplicação, usar um local diferente a, pelo menos, 3 cm de um local anterior. NÃO aplicar a injeção em áreas em que a pele estiver sensível, com hematoma, avermelhada ou endurecida.

 

As pessoas responsáveis pelo cuidado do paciente ou os próprios pacientes que irão administrar Enbrel® (Etanercepte) devem ser orientados quanto à mistura do pó com o líquido e às técnicas de injeção. A primeira injeção deve ser administrada sob a supervisão de um profissional de saúde qualificado caso a medicação tenha de ser administrada pelo próprio paciente ou pela pessoa responsável pelo seu cuidado (ver Informações ao Paciente - Instruções para Preparo e Administração).

 

?

 

A tampa da agulha da seringa do diluente contém látex (borracha natural seca) e não deve ser manuseada por pessoas com possível sensibilidade ao látex.

 

Os pacientes ou as pessoas responsáveis pelo cuidado do paciente que irão administrar Enbrel® (etanercepte) devem ser orientados quanto à maneira correta de descartar a seringa e a agulha, sem reutilizá-los.

 

Enbrel® (etanercepte) não utilizado, as seringas ou os materiais para descarte devem ser desprezados de acordo com as exigências locais.

 

Na ausência de estudos de incompatibilidade, Enbrel® (Etanercepte) não deve ser misturado a outros medicamentos.

 

 

SUPERDOSAGEM

 

Ainda não foi estabelecida a dose máxima tolerável de Enbrel® (Etanercepte) em humanos. Em um estudo de endotoxemia, doses únicas intravenosas de até 60 mg/m2 foram administradas a voluntários saudáveis sem evidências de toxicidade dose-limitante. O nível de dose mais elevado avaliado em pacientes com artrite reumatóide foi uma dose de ataque, por via intravenosa, de 32 mg/m2, seguida de doses de 16 mg/m2 (~25 mg), por via subcutânea, administradas duas vezes por semana.

 

Durante os estudos clínicos em pacientes com artrite reumatóide não foi observada toxicidade dose-limitante.

 

Não há antídoto conhecido para Enbrel® (Etanercepte).

 

 

PACIENTES IDOSOS

 

Não se recomenda ajuste posológico específico de Enbrel® (Etanercepte) de acordo com a idade do paciente.

www.prnewswire.com.br


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos

Poítica de Privacidade