Esta página já teve 115.080.659 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.737 acessos diários
home | entre em contato
 

Otorrinolaringologia/ORL

Cirurgia da Otosclerose

09/08/2003

 

RECOMENDAÇÕES APÓS A ALTA HOSPITALAR

Deve evitar esforços físicos violentos.

Evite ambientes ruidosos.

Não espirre e não se assoe obstruindo o nariz.

Poderá molhar o ouvido ou praticar natação três semanas após cirurgia se a cicatrização estiver completa (a confirmar pelo seu médico).

Não viajar de avião até quatro semanas após a cirurgia.

A prática de mergulho em apnéia ou c/ escafandro deve ser discutida com o seu médico.

É normal:

Apresentar sensação de ouvido tapado durante algumas semanas.

Ter maior sensibilidade no ouvido.

Poderá sentir alterações do paladar.

Alguma instabilidade postural (sensação de desequilíbrio).

No caso de sentir o curativo molhado, iniciar otorréia (saída de líquidos pelo ouvido), ou vertigens intensas com vômitos, contate telefonicamente o médico ORL de urgência (dias úteis até às 20 horas)!

Deve tomar sempre a medicação prescrita pelo seu médico.

Deve voltar à consulta, na data indicada.


Informação ao doente

As complicações da Estapedotomia são raras e relacionam-se com a presença de variações anatômicas fora do comum. A incidência de cofose reportada pelos cirurgiões mais experientes é de cerca de 1/200 doentes. A paralisia do facial é extremamente rara. A perda de paladar no bordo da língua é umas queixas freqüentes, que regra geral resolve ao fim de dois meses. É normal surgirem tonturas que podem durar alguns dias ou semanas, embora a presença de vertigem forte possa indicar lesão do ouvido interno e o cirurgião deve ser informado. O zumbido que existia antes da cirurgia normalmente persiste, embora em alguns casos desapareça. Por outro lado, pode surgir zumbido como conseqüência da cirurgia. Não se conhece a sua incidência, mas não é freqüente. Em 2% dos casos não há melhoria da audição ou existe mesmo o seu agravamento e é muitas das vezes devida a anomalia congênita do nervo facial, do estribo, janela oval ou redonda, ou a obliteração maciça da platina do estribo levando a que a cirurgia seja incompleta ou impossível. A prótese auditiva pode ser uma alternativa razoável à cirurgia e as duas opções devem ser discutidas. A estapedotomia é um procedimento eletivo, salvo opinião contrária do cirurgião.

 

www.otorrino.com.pt


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos

Poítica de Privacidade