Esta página já teve 115.675.826 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.707 acessos diários
home | entre em contato
 

Alergia

Angioedema

25/09/2003

 


 

Nomes alternativos:

Edema angioneurótico, inchaço - olhos


 

Definição:

Desenvolvimento de grandes vergões (pápulas) na superfície da pele, especialmente ao redor dos olhos e dos lábios. Tais vergões podem afetar mãos, pés e garganta.

A condição está associada a alergias e liberação de histamina.


 

Causas, incidência e fatores de risco:

O angioedema é um inchaço similar à urticária, porém o inchaço encontra-se por baixo da pele ao invés de estar sobre a superfície. Parece existir uma tendência hereditária tanto no desenvolvimento de angioedemas como de urticária (veja angioedema hereditário). O angioedema está associado à liberação de histamina e outras substâncias químicas na corrente sangüínea, como parte de uma resposta alérgica.


 

As alergias comuns incluem:

  • medicamentos

  • alimentos (tais como frutas, mariscos, peixes, nozes, ovos, leite e outros)

  • pólen

  • caspa animal (escamas da pele)

  • picadas de insetos

  • exposição à água, luz solar, calor ou frio

  • estresse emocional

As urticárias e o angioedema também pode apresentar-se depois de infecções ou doenças (como os distúrbios auto-imunes, leucemia e outros).


 

Sintomas:

  • surgimento repentino de vergões ou pápulas

    - geralmente localizados nos olhos e boca, mas também podem ocorrer nas mãos, pés e garganta

    - vermelhos

    - coceira ou dor

    - clareiam e incham quando irritados

    - profundos

  • edema localizado (olhos e boca parecem inchados)

  • cãibras abdominais

  • dificuldade respiratória

  • quemose

Sinais e exames:

O diagnóstico baseia-se principalmente na aparência da pele e antecedentes de exposição a um irritante/alérgeno. Pode haver um chiado (silvo durante a inalação) se a garganta estiver afetada. Raramente realiza-se testes de alergia para determinar qual o alérgeno causador.

Tratamento:

Os sintomas leves não precisam de tratamento. Os sintomas de moderados a graves podem necessitar de tratamento. Dificuldade de respirar ou estridor indicam uma condição de emergência.

Os cuidados pessoais consistem na aplicação de compressas frias no local para aliviar a dor e reduzir os sintomas.

Os medicamentos para reduzir a resposta alérgica e os sintomas são: anti-histamínicos, adrenalina (epinefrina), terbutalina, cimetidina, corticosteróides (veja corticosteróides orais), sedativos e tranqüilizantes.

Em casos de emergência, deve-se proteger as vias respiratórias (veja primeiros socorros para dificuldades respiratórias). No hospital, pode ser necessário entubar o paciente (colocar uma sonda na garganta para manter as vias respiratórias livres).

Para prevenir a recorrência do angioedema, deve-se evitar a irritação da área afetada, os alérgenos conhecidos e temperaturas extremas. Veja também reações alérgicas.


 

Expectativas (prognóstico):

O angioedema pode ser incômodo mas, geralmente, é inofensivo e de curta duração.


 

Complicações:

  • obstrução das vias respiratórias com risco de vida do paciente (quando há inchaço na garganta)

  • reação anafilática


 

Solicitação de assistência médica:

Procure assistência médica se o angioedema for grave ou se não responder ao tratamento.

Vá ao pronto socorro ou ligue para o telefone de emergência (190) quando o angioedema estiver acompanhado de dificuldade respiratória, chiado, estridor ou desmaio.


 

Prevenção:

Evitar os alérgenos conhecidos e não tomar medicamentos que não tenham sido receitados por um médico.

ADAM-Aventis


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos

Poítica de Privacidade