Esta página já teve 115.753.672 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.706 acessos diários
home | entre em contato
 

Medicina Alternativa/Fitoterapia/Acupuntura

Guaraná

12/10/2003

   

 

Paullinia cupana H. B. K.; Sapindaceae

Medicamento Fitoterápico Tradicional

apresentação e forma farmacêutica:
 cápsulas gelatinosas duras

uso: Adulto

 

COMPOSIÇÃO

Cada cápsula contém:
Guaraná em pó....................................................................470mg
(equivalente a 18,8 mg de cafeína)

INFORMAÇÃO AO PACIENTE

Ação esperada do medicamento:
O Guaraná é indicado como tônico geral e estimulante do sistema nervoso central. Combate o estresse e a fadiga causado pela grande carga de trabalho muscular, restabelecendo temporariamente a capacidade física e mental.

Cuidados de armazenamento:
Conserve o produto na embalagem original e não exponha ao calor e a umidade.
Prazo de Validade:
Prazo de validade, data da fabricação e número do lote: vide cartucho.
Não use medicamento com o prazo de validade vencido.
Gravidez e lactação:
Não deve ser usado durante a gravidez e a lactação. Informe seu médico a ocorrência de gravidez durante o tratamento ou após seu término. Informe ao médico se estiver amamentando.

Cuidados de administração:
Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. A ingestão do produto por longo prazo, pode produzir tolerância e dependência física (hábito).
Interrupção do tratamento:
Não interromper o tratamento sem o conhecimento de seu médico.

Reações adversas:
Informe seu médico o aparecimento de reações desagradáveis, como insônia, nervosismo, ansiedade ou ainda problemas gástricos como náuseas e vômito.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

Ingestão concomitante com outras substâncias:
Recomenda-se não associar à bebidas como café, chá, refrigerantes a base de extrato de cola e mate, já que pode haver potencialização dos efeitos.

Contra-indicações e precauções:
Contra-indicado em pacientes com ansiedade, arritmias, taquicardia, hipertensão, gastrites, diabetes, hipertireoidismo e também durante a gravidez e lactação e em pacientes com hipersensibilidade aos componentes da formulação. Informe seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do início ou durante o tratamento.

Riscos de automedicação:
NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO, PODE SER PERIGOSO PARA A SAÚDE.

INFORMAÇÃO TÉCNICA

Características:
Os principais constituintes do Guaraná são as metilxantinas: cafeína (3 – 5 %), traços de teobromina (0,02 – 0,03 %) e teofilina (0,25 %); além de altas concentrações de taninos (4 a 6 %, podendo chegar até 12 %). As metilxantinas pertencem a um grupo de drogas que atuam como estimulantes do sistema nervoso central. Neste grupo se incluem a cafeína, teobromina e teofilina, todas presentes no guaraná. Das três metilxantinas mencionadas, a cafeína possui a ação estimulante mais potente. No bulbo, a cafeína estimula o centro respiratório. Sobre os brônquios e bronquíolos, as metilxantinas produzem um efeito relaxante da musculatura lisa, sendo a aminofilina a mais potente. No sistema cardiovascular são estimulantes, aumentando os batimentos cardíacos e o fluxo sangüíneo. Na circulação central, a cafeína reduz o fluxo sangüíneo que chega ao cérebro, sendo assim útil em casos de cefaléia. As pessoas que ingerem cafeína ou produtos que contém cafeína em geral têm menos sonolência, menos fadiga e um fluxo mais rápido e claro de pensamento. A ingestão de 85 a 250 mg de cafeína, produz um aumento temporário da capacidade de esforço intelectual e diminui o tempo de reação. A cafeína aumenta a capacidade de trabalho muscular em seres humanos. Os mecanismos propostos para os efeitos farmacológicos e fisiológicos induzidos por xantinas incluem: inibição de fosfodiesterases, aumentando portanto o AMP cíclico intracelular, efeitos diretos na concentração intracelular de cálcio, efeitos indiretos na concentração intracelular de cálcio via hiperpolarização da membrana celular, desacoplamento do aumento de cálcio intracelular com os elementos de contração muscular e antagonismo de receptores de adenosina. As metilxantinas são distribuídas em todos os compartimentos corpóreos. Elas atravessam a placenta e passam para o leite materno. O volume aparente de distribuição é similar para a cafeína e a teofilina, e geralmente está entre 0,4 e 0,6 L/kg. Elas são eliminadas em primeiro lugar por metabolismo hepático. Menos de 5% de cafeína administrada é recuperada inalterada na urina. A cafeína tem uma meia-vida plasmática de 3 a 7 horas, aumentando em duas vezes nas mulheres durante os últimos estágios de gravidez ou com o uso a longo prazo de anticoncepcionais esteróides orais. A cafeína é metabolizada por desmetilação e por oxidação na posição 8. A principal via nos seres humanos continua com a formação de paraxantina. O Guaraná tem demonstrado diminuir a fadiga em condições de estresse e tem sido considerado um tônico e estimulante das funções cerebrais através de testes conduzidos em voluntários. Isso deve-se ao efeito estimulatório das metilxantinas e ao potencial adaptógeno, proporcionado pelas saponinas. A ingestão, do produto por longo prazo, pode produzir tolerância e dependência física (hábito).
Indicações:
Indicado como tônico geral e estimulante do sistema nervoso central. Combate o estresse e a fadiga causado pela grande carga de trabalho muscular, restabelecendo temporariamente a capacidade física e mental.
Contra-indicações:
O produto é contra-indicado durante a gravidez e lactação, em pacientes com ansiedade, arritmias, taquicardia, hipertensão, gastrites, diabetes, hipertireoidismo e pacientes com hipersensibilidade aos componentes da formulação.

Interações medicamentosas:
Recomenda-se não associar a bebidas que contém metilxantinas (café, chá, refrigerantes a base de extrato de cola e mate), já que pode haver potencialização dos efeitos. Este medicamento só pode ser utilizado por mulheres durante a gravidez ou lactação sob orientação médica.

ações adversas e alterações de exames laboratoriais:
O Guaraná pode causar insônia, nervosismo ou ansiedade. A nível digestivo, as metilxantinas se comportam como irritantes da mucosa gástrica, podendo causar náusea e vômito.

Posologia:
 a critério médico.

Superdosagem:
Os primeiros sintomas de superdosagem são espasmos abdominais e vômito. Nestes casos o tratamento baseia-se em induzir vômito ou realizar lavagem gástrica. Pode-se administrar carvão ativado ou sorbitol para retardar a absorção. Espasmos devem ser tratados com diazepam.

Pacientes idosos:
Não há relatos na literatura sobre restrições específicas quanto ao uso ou adequações de posologia de Guaraná em pacientes idosos.

 

Bionatus


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos

Poítica de Privacidade