Psiquiatria e Psicologia - Mania de repetição
Esta página já teve 115.691.049 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.710 acessos diários
home | entre em contato
 

Psiquiatria e Psicologia

Mania de repetição

11/03/2004

Para evitar que algo desagradável aconteça, muitas pessoas repetem um mesmo ato diversas vezes. Ligar e desligar a luz e girar três vezes a chave, para frente e para trás, antes de trancar a porta, como faz o escritor Melvin Udall, vivido pelo ator Jack Nicholson no filme Melhor Impossível, são exemplos de rituais resultantes de pensamentos obsessivos, que povoam a mente de pessoas portadoras do distúrbio obsessivo-compulsivo (DOC).

O distúrbio, ou na visão mais moderna, transtorno, é uma doença psiquiátrica que atinge 3% da população mundial, independentemente de sexo, classe social ou idade. Na tentativa de evitar que algo desagradável aconteça, essas pessoas passam a repetir um determinado ato diversas vezes. Alguém que, por exemplo, imagina ter sido contaminado por um germe, sente uma forte angústia e, para se livrar dessa obsessão, passa a lavar as mãos seguidamente. No filme, Melvin não aceita vestir um paletó usado do restaurante, que não permite a entrada de homens com camisa esportiva, por ter medo de se infectar com uma peste. Ele deixa a mulher por quem está interessado na porta e vai comprar um paletó.

Superstições não são distúrbios psiquiátricos

Determinados hábitos, quase sempre supertisiosos, como, por exemplo, bater na madeira para isolar uma idéia ruim, não podem ser confundidos com distúrbios psiquiátricos. A patologia começa quando obsessões e compulsões passam a causar transtornos e a atrapalhar o ritmo normal da vida. Existem pessoas que não conseguem chegar na hora marcada do compromisso porque ficam horas em casa pensando se desligaram o gás ou não, por exemplo. Elas vão até a cozinha e verificam que ele está fechado. Quando estão para sair, ficam na dúvida se desligaram ou não. Aí voltam e ficam nesse vaivém interminável. Vários tipos de compulsão podem se manifestar simultaneamente. Entretanto, o mais comum é encontrar pessoas com predominância de um determinado tipo de transtorno obsessivo-compulsivo.

O distúrbio pode aparecer em qualquer idade

Segundo os especialistas, o distúrbio obsessivo-compulsivo pode aparecer em qualquer idade, poém, é mais comum surgir entre os 10 e 23 anos, tanto no homem como na mulher. Como na maioria das doenças mentais, não existe apenas um fator causador do distúrbio. Médicos apontam uma série de fatores sociais e emocionais e até mesmo componentes genéticos que provocariam o DOC.

Tratamento: medicações e psicoterapia

O primeiro passo não é decidir pela troca ou não das meias, e sim, buscar auxílio. Nesse caso, a terapia familiar pode ser a abordagem inicial. Frequentemente, esses pacientes necessitam de um tratamento psicanalítico de longa duração para resolver os conflitos inconscientes que se expressam pelos sintomas obsessivos e compulsivos. Segundo os especialistas, como qualquer patologia, a cura não depende apenas da vontade. De modo geral, o tratamento eficaz para o DOC associa mediccações e psicoterapia.

Fonte: Informativo Unimed Ribeirão Preto


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos
 
Hacked by
#TeaMGh0sT

~ DB GOT DROPPED ~