Nutrologia/Alimentos/Nutrição - HIV- sugestões para cardápio e descrição do poder antioxidante
Esta página já teve 114.643.533 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.779 acessos diários
home | entre em contato
 

Nutrologia/Alimentos/Nutrição

HIV- sugestões para cardápio e descrição do poder antioxidante

24/03/2004

 

 

  

 

 

EXISTEM ALIMENTOS PRIVILEGIADOS COM PODER DESINTOXICANTE E ANTIOXIDANTE ?


 

 

 

Do grande universo dos bons alimentos, alguns são especiais. Destaque para: arroz, aveia, germe de trigo, feijões, lentilha, vagem, ervilha fresca, nabo, cenoura, rabanete, abóbora, tomate, batata-doce, inhame, beterraba, todas as folhas verde-escuras (couve, agrião, espinafre, brócolis, rúcula, bertalha, taioba etc.), tofu (queijo de soja), peixes, ovos, sementes, castanhas do caju e pará, frutas, iogurte natural, alho e cebola. Esses alimentos contêm os nutrientes antioxidantes, que protegem contra os efeitos nocivos dos radicais livres e que fortelecem o sistema imunológico. Aposte neles. Esses nutrientes são: betacaroteno, vitamina E, vitamina C, selênio, zinco e cisteína.

 

 

O que são e de onde surgem os radicais livres?

 

Os radicais livres sempre existiram, não são modismo ou qualquer coisa do gênero. Na verdade, eles são subprodutos de qualquer oxidação. Por exemplo: no ferro causam a ferrugem; na maçã cortada provocam o escurecimento; e no limão guardado dão aquele gostinho amargo.

No corpo humano, os radicais livres são os resíduos da respiração celular e da transformação da comida em energia: "queimar" calorias quer dizer justamente oxidar carboidratos e gordura. Até aí tudo bem, porque o corpo, com sua habitual eficiência, utiliza agentes antioxidantes para neutralizar os radicais livres. O problema é que comida gordurosa, perturbações emocionais, crises de raiva, medo ou preocupação, estresse, infecções, sol forte e mil outras coisinhas aumentam a quantidade de radicais livres no organismo. Quando há radicais livres de mais e antioxidantes de menos, as células passam a sofrer lesões e isso favorece a deficiência imunológica e o aparecimento de infecções.

 



Todo mundo tem radicais livres, mas no caso de pessoas com HIV/AIDS isso se torna preocupante. Para se proteger contra os radicais livres, o paciente precisa ter uma alimentação saudável, balanceada, contendo os alimentos protetores e evitando o excesso de gorduras, frituras, aditivos, doces, bebidas alcoólicas e refrigerantes.

 

 

Os nutrientes também estimulam o sistema imunológico?

Sim. Quando a pessoa está com algum tipo de infecção, manter uma alimentação balanceada, com quantidade adequada de proteína animal (iogurte, peixe etc.), proteína vegetal (sementes, castanhas, nozes etc.), carboidratos, gorduras (ômega 6 - óleo vegetal; e ômega 3 - óleo de peixe), vitaminas e minerais (verduras, legumes e frutas), pode melhorar a resposta imunológica do corpo.

 

Repetir nunca é demais: manter uma alimentação balanceada é fundamental para o bom funcionamento do seu sistema imunológico.

 

 

 

 

 

QUANDO O TRATAMENTO NUTRICIONAL DEVE SER INICIADO ?

 

 

 

 

 


O tempo é um elemento importante. Quanto mais cedo for iniciada uma boa alimentação, maior sucesso você pode ter em se manter cada vez mais saudável.

Assim, fique atento: a identificação de deficiências nutricionais e a aplicação de estratégias de intervenção nutricional são necessárias em todos os estágios da infecção pelo HIV, devendo ser iniciada logo após o diagnóstico.

As pessoas HIV positivas, com bom estado nutricional, também devem adotar, tanto quanto possível, uma alimentação balanceada, com o objetivo de manter um bom padrão nutricional, afastando as infecções e mantendo uma vida com qualidade.

 

MULHER HIV E AIDS

 

 

 


A mulher freqüentemente tende a se preocupar mais com a necessidade nutricional de sua família e negligencia a sua própria saúde e seu estado nutricional. Para a mulher vivendo com HIV, esse "deslize" pode aumentar suas chances de vir a desenvolver a AIDS com mais facilidade, ou seja, ela fica mais propensa à perda de peso e à instalação das infecções.

A mulher com HIV/AIDS precisa se conscientizar da importância dos benefícios que a nutrição pode lhe trazer. Com uma boa alimentação, a mulher HIV positiva pode manter a saúde, fortalecer seu sistema imunológico, aumentar a defesa contra infecções, prevenir a fadiga e manter a energia necessária para levar uma vida ativa e, assim, continuar a cuidar de sua família.

A seguir estão algumas situações que afetam diretamente a mulher e que serão discutidas em relação à nutrição.

 

 

Período menstrual

Algumas mulheres apresentam abundante perda sangüínea durante este período. Para as que estão tomando AZT, há um maior risco de deficiência de ferro, causando anemia.

As refeições devem apresentar alimentos ricos em ferro, como carnes, fígado, folhas verde-escuras, melado de cana, sementes, leguminosas, farelo, inhame e castanhas de caju e do pará. Uma dica importante: o ferro é melhor absorvido em produtos de origem vegetal quando combinado com alimentos que contêm vitamina C, como por exemplo as frutas (laranja, limão, kiwi, caju).

Síndrome pré-menstrual

Você pode melhorar essa condição mantendo uma alimentação saudável e balanceada, segundo a pirâmide apresentada na pág. 12. De qualquer maneira, neste período elimine ou reduza o consumo de cafeína e evite o alto consumo de sal.

Menopausa

Como todas as demais, a mulher HIV positiva na menopausa apresenta uma perda de cálcio dos ossos, necessitando ingerir uma maior quantidade na alimentação. Os alimentos mais ricos em cálcio são o leite e seus derivados, assim como as folhas verde-escuras, como agrião, folhas de batata doce, caruru, espinafre, bertalha etc.

 

Além da recomendação de manter uma alimentação saudável e balanceada, pratique exercícios físicos. Que tal uma simples caminhada?

 

 

 

 

 

MEDICAMENTOS, ALIMENTOS E NUTRIÇÃO ?

 

 


É importante frisar que a eficácia terapêutica e a toxicidade dos medicamentos estão diretamente relacionadas à sua interação com os alimentos e com o estado nutricional do indivíduo.

As pessoas soropositivas usam vários medicamentos para tratar os sintomas do HIV e as infecções oportunistas. Alguns medicamentos podem causar efeito adverso no estado nutricional quando interagem com cafeína, álcool e suplementos nutricionais, como vitaminas e minerais. Eles podem causar reações como diminuição do apetite, náuseas, vômitos e diarréia, podendo levar à perda de peso ou desidratação.

Além disso, os alimentos podem afetar a absorção dos medicamentos. Portanto, é muito importante você ficar ciente dessas interações, de que modo podem afetar o seu estado nutricional e imunológico, e o que você pode fazer para que o efeito terapêutico do medicamento seja alcançado. Confira:

Cafeína: age como um diurético e induz à perda de água e minerais. Consumir muita cafeína pode levar à diminuição da absorção de nutrientes. Fontes que contêm cafeína: café, chá, chocolate e refrigerantes como coca-cola e pepsicola.

 

Limite ao mínimo possível a ingestão de cafeína e sempre beba 1 copo de suco ou água para cada bebida com cafeína consumida por você.

 

 

Álcool: seu consumo excessivo causa deficiências nutricionais. O álcool afeta não apenas a ingestão de alimentos mas também a absorção de nutrientes. Além disso, potencializa ou modifica os efeitos de alguns medicamentos, como anticoagulantes, tranqüilizantes, antidepressivos etc.

 

O álcool também pode aumentar a sensação de náuseas causada por alguns medicamentos utilizados pelas pessoas com HIV/AIDS.

 

Suplementos de vitaminas e minerais: vários desses suplementos podem interferir na absorção do medicamento, diminuindo as concentrações sangüíneas do mesmo. A explicação é a seguinte: se o medicamento não consegue alcançar a corrente sangüínea, não pode trabalhar efetivamente. Sendo assim, os efeitos terapêuticos desejados do medicamento podem não ser obtidos. Por exemplo: cálcio, magnésio, ferro, zinco e alumínio, comumente encontrados em suplementos e antiácidos, podem diminuir a absorção de certos medicamentos e por isso não podem ser tomados em qualquer horário.

Da mesma forma que suplementos nutricionais e antiácidos interferem na absorção e metabolismo dos medicamentos, certas medicações podem afetar a absorção e o metabolismo dos nutrientes. Alguns medicamentos alteram a absorção de muitas vitaminas e minerais e podem contribuir para a deficiência nutricional. Um exemplo prático: a Izoniasida pode diminuir em nosso corpo a reserva de vitamina B6. Alguns estudos sugerem que o tratamento a longo prazo de antibióticos destroem a flora intestinal, a qual tem um papel importante na absorção e metabolismo dos nutrientes.

Ao iniciar uma nova medicação, você pode experimentar algumas reações adversas, como diminuição do apetite, náuseas, vômitos ou diarréia. Em alguns casos, esses efeitos irão passar assim que seu organismo se acostumar a esse novo medicamento. Entretanto, se esses efeitos se prolongarem e passarem a afetar sua ingestão alimentar, você pode vir a perder peso.

Portanto, antes de começar qualquer nova medicação, converse com seu médico e nutricionista e faça as seguintes perguntas: para que essa medicação serve e de que modo deve ser tomada? Deve ser ingerida com alimentos ou em jejum? Quais são os efeitos colaterais possíveis? Quais são as interações medicamentosas e as interações com alimentos e suplementos nutricionais?

 

Lembre-se: o paciente é o maior interessado na sua saúde. Perguntar nunca é demais.

 

 

Há estudos que fazem uma relação direta entre a deficiência de nutrientes, a progressão da doença e a eficácia do tratamento com os medicamentos. As pessoas que usam os anti-retrovirais (AZT, ddI, ddC, Epivir etc.) e que apresentam deficiências de nutrientes não reagem tão bem aos medicamentos como aquelas com bom estado nutricional. Assim, tanto a eficiência quanto a tolerância dos anti-retrovirais podem ser influenciadas pelo estado nutricional.

 

 

 

SUGESTÃO DE CARDÁPIO PARA PESSOAS COM HIV/AIDS QUE NÃO APRESENTAM ALTERAÇÕES INTESTINAIS

 

 

 

 

 

 


O cardápio abaixo é apenas uma demonstração, uma referência de boa alimentação. Consulte um nutricionista para desenvolver com você um plano específico de refeições diárias que atenda às suas necessidades nutricionais atuais.

 

 

Café da manhã

·        Leite ou iogurte = 1 copo de 200ml

·        Pão francês = 1 pãozinho de 50 gramas

·        Manteiga = 2 colheres de chá

·        Queijo branco = 1 fatia de 40 g

·        Fruta = 2 unidades ( banana nanica )

·        Granola ou sucrilhos = 2 colheres de sopa cheias

·        Açúcar mascavo ou rapadura = 2 colheres de chá

·        Suco de manga = 1 copo de 200 ml

 

 

Lanche antes do almoço

·        Vitamina de maçã, laranja e cenoura = 1 copo de 200ml

·        Arroz doce = 1 taça

 

 

 

Almoço

·        Salada verde ( rúcula, alface americana, almeirão ) + legumes (cogumelos, milho verde, tomate cereja ) temperada com molho shoyo = 01 prato de sobremesa

·        Arroz com cenoura e salsa = 2 escumadeiras cheias

·        Feijão = 1 concha grande

·        Carne assada = 2 fatias

·        Suflê de espinafre = 3 colheres de sopa

·        Batatas douradas = 3 colheres de sopa

·        Sobremesa: salada de frutas com castanhas e passas = 1 taça

 

Lanche

·        Suco de frutas e legumes  ( laranja, beterraba e couve ) = 1 copo de 200ml

·        Pão francês = 1 pãozinho de 50 gramas

·        Requeijão = 2 colheres de chá

·        Pêra com calda de chocolate = 1 unidade

 

Jantar

·        Salada de grão-de-bico com atum ralado, tomate, cebola, salsa e cebolinha = 01 prato de sobremesa

·        Arroz com lentilha = 2 escumadeiras cheias

·        Feijão = 1 concha grande

·        Sobrecoxa de chester assada = 1 unidade

·        Creme de milho = 3 colheres de sopa

·        Brócolis refogado = 3 colheres de sopa

·        Sobremesa: fruta = 2 unidades de caqui

 

 

Ceia

·        Suco de soja – sabor maçã = 1 copo de 200 ml

·        Biscoitos cream-cracker = 4 unidades.

·        Barra de cereal = 01 unidade

 

Buscar qualidade em tudo que se faz deve ser uma meta cotidiana. E alimentar-se bem é o princípio de tudo.

 

SUGESTÃO DE CARDÁPIO PARA PESSOAS COM AIDS QUE TOMAM SAQUINAVIR

 

 

 

 


nos horários de 7, 15 e 23 horas e que necessita de uma refeição gordurosa até 2 horas antes

6h

(café da manhã)

·        Iogurte natural batido com semente de linhaça = 1 copo de 200 ml

·        Suco de melão = 1 copo de 200 ml

·        Pão de aveia com semente de gergelim = 2 unidades ( 50 gramas cada )

·         Fruta =  2 unidades sendo :  1 fatia de melancia e uma  unidade de laranja ( consumir com bagaço )

·        Bolo de cenoura com nozes, granola e cobertura de chocolate = 1 fatia de 60 g

 

 

10h

(lanche antes do almoço)

·        Suco de acerola = 1 copo de 200 ml

·        Bolacha maisena = 6 unidades.

 

 

 

13h30

(almoço)

·        Salada verde ( escarola, alface lisa, repolho roxo ) + legumes brócolis, couve-flor e pimentão vermeho, temperada com azeite = 01 prato de sobremesa

·        Arroz à grega ( cenoura, uvas passas, cebolinha e salsa ) = 2 escumadeiras cheias

·        Feijão = 1 concha

·        Posta de cação grelhada = 1 unidade de 250 g

·        Purê de mandioquinha = 4 colheres de sopa

·        Sobremesa: salada de frutas ( kiwi, morango, mexirica, melão, maçã, banana e pêra  com granola, iogurte natural, nozes e passas = 1 taça

 

16h

(lanche)

·        Iogurte natural batido com ameixa = 1 copo de 200 ml

·        Torta de ricota  = 2 fatias – total : 100 g

 

19h

(jantar)

·        Salada de folhas ( alface mimosa, acelga, rúcula ) + legumes ( salada de berinjela ) = 01 prato de sobremesa

·        Arroz com milho e salsa = 2 escumadeiras cheias

·        Feijão = 1 concha

·        Panqueca de frango com espinafre = 3 unidades

·        Legumes no vapor ( batata, cenoura e vagem ) = 4 colheres de sopa

·        Sobremesa = 2 fatias de abacaxi com gengibre

 

 

22h

(ceia)

·        Bolo de maçã com amêndoas e germe de trigo = 2 fatias  = total = 100 g

·         Suco de laranja com hortelã  =  1 copo de 200 ml

 

 

 

A orientação alimentar para quem utiliza o Saquinavir deve ser individualizada. Porém, o importante é estar atento para não exagerar em termos de gordura, pois o consumo em excesso de alimentos como carne gorda, carne de porco, lingüiça, salsicha, presunto, mortadela, bacon e frituras pode levar à diarréia. Se possível, utilize óleo de germe de trigo e azeite de oliva.

Com essa alta ingestão de gordura é recomendável também aumentar a ingestão de vitamina E, presente em sementes de girassol ou de abóbora, amêndoas, nozes, avelãs, castanhas, germe de trigo torrado, granola e óleos (de germe de trigo, soja, milho e girassol). É importante também comer folhas verde-escuras.

 

SUGESTÃO DE CARDÁPIO PARA UMA PESSOA COM AIDS QUE TOMA CRIXIVAN

 

 

 

 

 


nos horários de 7, 15 e 23 horas e que necessita de jejum de 1 hora antes ou 2 horas após as refeições principais

 

 

Horários de jejum:

·        das 5h às 8h

·        das 13h às 16h

·        das 21h às 24h.

Café da manhã (a partir das 8h)

·        Leite batido com morango e granola = 1 copo de 200ml

·        Pão integral = 2 fatias ( 50 g cada )

·        Queijo minas frescal = 2 fatias de 40 g cada

·        Banana-da-terra cozida com açúcar mascavo e canela = 1 unidade

·        Suco de maracujá = 1 copo de 200 ml

·        Bolo de fubá com sementes de erva cidreira = 1 fatia de 50g

 

Lanche antes do almoço (10 h)

·        Suco de beterraba, acerola e laranja = 1 copo de 200 ml

·        Pão de batata  = 2 unidades.

 

Almoço (12h)

·        Salada : Tabule  = 01 prato de sobremesa

·        Arroz com peito de peru desfiado e salsa = 2 escumadeiras cheias

·        Feijão = 1 concha grande

·        Contra-filé acebolado = 1 bife médio

·        Couve-flor gratinada = 3 colheres de sopa

·        Sobremesa: 1 cacho de uva niágara.

 

 

 

Lanche (16h30)

·        Iogurte com maçã, passas e germe de trigo torrado = 1 copo de 200 ml

·        Torradas com patê de beringela = 4 unidades

·        Suco de goiaba = 1 copo de 200 ml.

 

Jantar (19h)

·        Caldo verde = 1 prato de sopa

·        Arroz branco = 2 escumadeiras cheias

·        Almôndegas de frango = 4 unidades

·        Abobrinha recheada com ricota e cheiro-verde = 2 unidades

·        Sobremesa: 2 unidades de pêssego

 

Ceia (20h30)

·        Suco de soja – sabor uva = 1 copo de 200 ml

·        Canjica com canela = 1 taça

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PARA REFORÇAR

O SISTEMA IMUNE

 

 

 

 

 

 


Suplemetação dos aminoácidos pela depleção e carência:

 

Arginina;

Cisteína;

Ornitina

 

 

Vitaminas pela ação antioxidante:

 

Vitamina A;

Vitamina C;

Vitamina E;

Complexo B

 

 

Suplementação dos oligoelementos:

 

Selênio

Zinco

Germânio

Vanádio

 

 

Suplementação com enzimas

Corrigir a má-absorção

 

 

Síntese da Aula e trabalho sobre Dietoterapia na Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (AIDS), proferida pela Professora Doutora Shirley de Campos

No curso de Nutrição Funcional da Universidade Ibirapuera em 2004.

 

Créditos às autoras Pós- Graduandas do

Curso de Nutrição Funcional da Universidade Ibirapuera – SP

E do Centro Valéria Paschoal de Educação

 

  

  

 

Lúcia Helena Guimarães - nutricionista

 

Cristiana Dalton Chêne - nutricionista

 

 

Profa. Dra. Shirley de Campos

CRM 36.055

Nutrologia Médica

www.drashirleydecampos.com.br

drashirleycontato@terra.com.br

 

 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos