Alcoolismo/Álcool - Efeitos do álcool sobre o cérebro
Esta página já teve 113.913.482 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.865 acessos diários
home | entre em contato
 

Alcoolismo/Álcool

Efeitos do álcool sobre o cérebro

11/05/2004

EFEITOS ADVERSOS DO ÁLCOOL SOBRE O SISTEMA NERVOSO CENTRAL (SNC)

Dr. Osmi Hamamoto (Disciplina de Neurocirurgia da FAMEMA)

Pauta - Quando a qantidade de álcool (ETANOL) ingerida pode ser um problema para as pessoas?
Dr. Osmi - As diferenças demográficas, sócios-culturais, educacionais e religiosas determinam diferentes graus de tolerância ao uso e abuso de álcool.Porém o critério mais freqúentemente empregado para estabelecer o padrão de uso abusivo de álcool puro consumida e a freqüencia de consumo:

Classificação dos tipos de bebedores:
A.Bebedor Discreto("bebedor social"):Ingere memos de 212 gramas de álcool por mês.
B.Bebedor Moderado:Ingere de 212 a 540 gramas / mês.
C.Bebedor Excessivo:Ingere mais de 540 gramas / mês.

Pauta - COMO O ÁLCOOL INGERIDO CHEGA ATÉ O CÉREBRO ?
Dr. Osmi - Quando ingerimos o etanol, ele é rapidamente absorvido no trato gastrointestinal, sendo uma quantidade substancial já absorvida ao nível do estômago. Atinge concentração sanguínea máxima em 1 hora e depois é oxidado no fígado por enzimas chamadas desidrogenases alcoólicas, transformando-se em aldeído acético. Ao atingir o sangue, circula até o sistema nervoso que inclui o cérebro, medula espinhal e nervos periféricos.

Pauta - QUAL A AÇÃO DO ÁLCOOL NO CÉREBRO?
Dr. Osmi - O etanol possui ação puramente depressora sobre as células nervosas, diminuindo os impulsos nervosos. Pode causar efeitos mínimos quando a concentração sanguínea é mínima, em torno de 46 mg / 100 ml de sangue, pode levar ao coma com concentrações em torno de 300 mg / 100 ml e até mesmo à morte quando atinge concentrações em torno de 500 mg / 100 ml.

Pauta - SE O ÁLCOOL DEPRIME O CÉREBRO, PORQUE QUANDO BEBEMOS, NO INÍCIO HÁ DESINIBIÇÃO, EUFORIA ?
Dr. Osmi - Porque em pequenas quantidades o etanol inicialmente possui efeito depressor sobre os neurônios dopaminérgicos do Sistema Límbico ( Região do Cérebro responsável por nossos sentimentos e emoções). Esses neurônios inibem algumas de nossos sentimentos e emoções e portanto ação depressora do álcool sobre neurônios inibitórios leva à EXCITAÇÃO, DESINIBIÇÃO, EUFORIA. Ao continuar ingerindo álcool o mesmo atinge também outras áreas do cérebro, com ação predominantemente excitatória e a partir daí começa haver inibição, sonolência, torpor e até coma.

Pauta - O ÁLCOOL PODE ALTERAR OS REFLEXOS NEUROLÓGICOS E PORTANTO LEVAR À ACIDENTES, CASO A PESSOA DIRIJA APÓS BEBER ?
Dr. Osmi - Sim, como dissemos o álcool tem ação depressora sobre o cérebro e pode causar sonolência, desatenção, desconcentração e eventualmente desmaios o que pode acarretar tragédias no trânsito caso a pessoa dirija após ingestão de bebidas alcoólicas. Em um estudo realizado nos EUA em motoristas urbanos, envolvidos ou não em acidentes de trânsito, concluiu-se que:
- Com dosagens sanguíneas de 80 mg / 100 ml há aumento de 4 vezes na probabilidade de ocorrer acidentes;
- Com dosagens de 150 mg / 100 ml há aumento de 25 vezes na chance de ocorrer acidentes.
Portanto no Reino Unido é ilegal dirigir com uma concentração sanguínea de etanol superior à 80 mg / 100 ml.

Pauta - . QUAIS AS COMPLICAÇÕES QUE O ÁLCOOL PODE CAUSAR NO SISTEMA NERVOSO ?
Dr. Osmi - As complicações podem ser de 2 tipos:
- As agudas: Que são decorrentes da ingestão excessiva e isolada de álcool;
- As crônicas: Decorrentes da ingestão excessiva e freqüente (diária) de álcool ao longo de meses ou anos.
Dentre as complicações agudas que ocorrem no SNC, podemos destacar a chamada intoxicação alcoólica aguda, que clinicamente pode se manifestar como:
A) Intoxicação patológica: É uma situação onde o indivíduo após ingerir bebida alcoólica torna-se irracionalmente furioso, violento, destrutivo.
B) "Blackout": Ocorre uma lacuna de memória em que o indivíduo não se lembra de eventos e ações ocorridas durante um período de bebedeira, durante o qual o seu estado de consciência parecia adequado.
C) Coma: Emergência médica onde o indivíduo pode apresentar insuficiência respiratória sendo necessário entubação e ventilação mecânica para evitar lesões cerebrais definitivas e seqüelas.

Pauta - E QUAIS SÃO AS COMPLICAÇÕES NEUROLÓGICAS DECORRENTES DO ALCOOLISMO CRÔNICO ?
Dr. Osmi - Dentre as complicações crônicas podemos ter:
- Abstinência alcoólica: Inicia-se 6 a 24 h após a abstinência absoluta ou relativa da ingestão de álcool. Caracteriza-se por ansiedade, inquietação, irritabilidade, insônia, tremor, aumento da frequ~encia cardíaca, aumento da pressão arterial, aumento da transpiração corporal e da temperatura. No segundo ou terceiro dia há alucinação, desorientação no tempo e espaço, confusão, delírio, agitação, taquicardia, sudorese, hipertermia, caracterizando o "Delirium Tremens (D.T.)", que geralmente melhora após 3 ou 4 dias. Em casos mais graves pode haver distúrbios metabólicos, desidratação, convulsões e até mesmo óbito.
- Síndrome de Wernicke-Korsakoff: Caracteriza-se por desorientação, confusão, amnésia, dificuldade para deambular e confabulação. Pode iniciar-se de forma aguda (horas ou dias) e às vezes subaguda ( semanas), após a ingestão excessiva de álcool.
- Demência Alcoólica: É um quadro de origem multifatorial (Efeito tóxico direto do etanol sobre os neurônios, traumatismo craniano, deficiência nutricional), mostrando sinais de lesão nos Lobos Frontais do cérebro e alterações da personalidade. Caracteriza-se por apatia, tendência à mentira, redução da capacidade de julgamento, perda do interesse pelo ambiente e pela sua aparência, perdadas habilidades viso-espaciais e da memória.
- Miopatia: O alcoolismo é uma das causas mais comuns de lesão de células musculares esqueléticas e excreção de mioglobina (proteína existente nos músculos) pelos rins levando à uma miopatia que é caracterizada por dor intensa, câimbras musculares, necrose muscular. Pode ainda levar à lesões renais e insuficiência renal.
- Polineuropatia periférica: É o acomentimento de nervos periféricos, geralmente dos membros inferiores, causando dormência, diminuição da sensibilidade, sensação de choque, queimação, e até anestesia nos pés e mãos, podendo levar à lesões nestes órgãos por redução da sensibilidade táctil, térmica e dolorosa.

Pauta - ESSAS LESÕES NO SNC SÃO REVERSÍVEIS CASO HAJA INTERRUPÇÃO DA INGESTÃO DE ÁLCOOL ?
Dr. Osmi - Depende do tipo, da extensão e do grau da lesão. A miopatia e a polineuropatia são exemplos de problemas que podem melhorar após a interrupção do alcoolismo, porém quase todas as outras lesões melhoram em maior ou menor grau com o tratamento adequado e interrupção da ingestão de álcool.

www.pautaantidrogas.com.br


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos