Vascular/Cirurgia Vascular/Circulação - Qualidade de vida após correção de Aneurisma Aórtico abdominal é semelhante após reparo por via Retroperitoneal ou por via Endovascular
Esta página já teve 115.229.742 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.726 acessos diários
home | entre em contato
 

Vascular/Cirurgia Vascular/Circulação

Qualidade de vida após correção de Aneurisma Aórtico abdominal é semelhante após reparo por via Retroperitoneal ou por via Endovascular

30/06/2004


 

Pesquisadores publicaram, recentemente, no Journal of Vascular Surgery, um estudo em que avaliaram as alterações da qualidade de vida e as evoluções clínicas em pacientes que foram submetidos à correção de aneurisma aórtico abdominal por via endovascular ou por via retroperitoneal.

No período compreendido entre Outubro de 2000 e Maio de 2003, 129 indivíduos foram submetidos à cirurgia eletiva de reparo de aneurisma aórtico abdominal, sendo que 22 pacientes foram operados por via endovascular e 107 indivíduos sofreram cirurgia por via retroperitoneal. Aplicou-se o questionário SF-12 no período pré-operatório e após três semanas, quatro meses e um ano após a alta hospitalar. Os seguintes parâmetros foram estatisticamente avaliados: qualidade de vida, tempo de internação hospitalar, tempo de permanência em Unidade de Terapia Intensiva, complicações perioperatórias, disposição à alta hospitalar e à reinternação, e custo hospitalar.

Detectou-se diferenças significantes quanto aos escores de Componente Físico (p < 0,001) e de Componente Mental (p = 0,001) no período do estudo. Não ocorreram diferenças significantes em cada item dos escores de Componente Físico e Mental nos pacientes submetidos à cirurgia por via retroperitoneal ou endoscopicamente. O número de semanas necessário para retorno dos pacientes às atividades basais, após a cirurgia, foi semelhante nos grupos submetidos à correção retroperitoneal ou à cirurgia endoscópica (7,22 versus 5,47 semanas, respectivamente; p = 0,09). O tempo de internação hospitalar e de permanência em Unidade de Terapia Intensiva foram iguais a 4,4 e 1 dias, respectivamente, para pacientes submetidos à correção de aneurisma de aorta abdominal por via retroperitoneal, e de 1,9 e 0 dias, respectivamente, para indivíduos submetidos à cirurgia por via endoscópica (p < 0,0001).

Não foram observadas diferenças significativas, entre os grupos, quanto a ocorrência de complicações perioperatórias, disposição à alta hospitalar e à reinternação (p > 0,53). O custo hospitalar total médio, nos casos de correção de aneurisma aórtico abdominal por via endovascular, foi 1,60 vezes superior ao custo médio verificado no grupo de pacientes submetidos à correção de aneurisma aórtico abdominal por via retroperitoneal (diferença média = US$ 11 662,00; p < 0,0001; IC95% = US$ 17 799 - US$ 5 525).

Os pesquisadores concluíram que a qualidade de vida após correção de aneurisma aórtico abdominal é semelhante após reparo por via retroperitoneal ou por via endovascular.

Quality of life before and after endovascular and retroperitoneal abdominal aortic aneurysm repair - Journal of Vascular Surgery 2004; 39(4)

April 2004 • Volume 39 • Number 4


Clinical research study
Quality of life before and after endovascular and retroperitoneal abdominal aortic aneurysm repair

Jeffrey L. Ballard, MD*a [MEDLINE LOOKUP]
Ahmed M. Abou-Zamzam, MDa [MEDLINE LOOKUP]
Theodore H. Teruya, MDa [MEDLINE LOOKUP]
Christian Bianchi, MDa [MEDLINE LOOKUP]
Floyd F. Petersen, MPHb [MEDLINE LOOKUP]
Previous article in Issue
Next article in Issue
• View full-text version
• View print version (PDF)
Drug links from Mosby's DrugConsult
Genetic information from OMIM
• Citation of this Article
   • View on PubMed
   • Download in citation manager format
   • Download in Medlars format
Related articles in PubMed

   Abstract  TOP 

Purpose This study was undertaken to evaluate changes in quality of life and to compare conventional outcomes in patients undergoing endovascular and open retroperitoneal abdominal aortic aneurysm (AAA) repair.

Methods Between October 2000 and May 2003, 129 patients underwent elective AAA repair, endovascular repair in 22 patients and open retroperitoneal repair in 107 patients. The Short-Form Health Survey, 12 items (SF-12) was administered preoperatively and at 3 weeks, 4 months, and 1 year after discharge. Quality of life, hospital and intensive care unit stay, perioperative complications, discharge disposition, readmission, and hospital cost were statistically evaluated.

Results For the total group, significant differences were observed for both Physical Component Summary scores (P < .001) and Mental Component Summary scores (P = .001) between time points. There were no significant differences for either Component Summary score between open and endovascular procedures for any time period. Number of weeks required to return to baseline functional status was similar after either open or endovascular repair (7.22 vs 5.47 weeks, respectively; P = .09). Mean hospital and intensive care unit stay was 4.4 and 1 days, respectively, for open repair versus 1.9 and 0 days, respectively, for endovascular repair (P < .0001). No significant difference between groups was observed in terms of perioperative complications, discharge disposition, or hospital readmission (P .54). Mean total hospital cost for endovascular repair was 1.60 times that for open repair (mean difference, $11,662; P < .0001; 95% confidence interval, $17,799-$5525).

Conclusions Hospital stay is significantly shorter after endovascular AAA repair. However, hospital cost is almost twice that for open retroperitoneal repair. Perioperative complications, discharge disposition, and hospital readmission are not statistically different between the two groups. Effect on health-related quality of life is similar after either open retroperitoneal or endovascular AAA repair.


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos
 
kill yourself rogue.