Vascular/Cirurgia Vascular/Circulação - Cuidados simples evitam mal-estar em viagens aéreas longas
Esta página já teve 117.137.275 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.640 acessos diários
home | entre em contato
 

Vascular/Cirurgia Vascular/Circulação

Cuidados simples evitam mal-estar em viagens aéreas longas

02/07/2004
Segredos da saúde nas alturas
Cuidados simples evitam mal-estar em viagens aéreas longas
Paula Pitta

A idéia de viajar de avião pode causar pânico, mas algumas pessoas evitam realizar a viagem não pelo medo, e sim por problemas de saúde que enfrentam dentro da "caixinha de asas", como náusea, enjôo, inchaço nas pernas e dor de ouvido. Os vilões dos males a bordo são mudanças de umidade, pressão e nível de oxigênio dentro da aeronave. Apesar do desconforto dos vôos longos, os passageiros não devem considerá-los "bichos de sete cabeças". Existem medidas simples que podem evitar as doenças durante a viagem e quem já tem complicações de saúde deve redobrar a atenção, principalmente com idosos e crianças.

Os problemas de saúde a bordo, normalmente, afetam os passageiros com predisposição, que já têm um histórico do problema ou estejam debilitados, de acordo com a médica do posto de primeiros socorros do Aeroporto Luís Eduardo Magalhães Murita Sampaio. Para evitar complicações de saúde durante o vôo e torná-lo mais agradáveis, exercícios, chicletes e água fazem parte da lista de dicas do bem viajar.

As artimanhas são simples e podem ser realizadas na poltrona do avião ou antes da viagem. A principal precaução é para quem já tem histórico de doenças, como diabete, hipertensão, entre outros males. Essas pessoas devem continuar utilizando seus medicamentos normalmente. Quem tem rinite, otite, sinusite pode sentir dores no ouvido com a pressão durante a decolagem e aterrissagem. Além de fazer uso do remédio adequado, os passageiros podem solicitar ao comissário de bordo o protetor auricular.

As mães devem dar água aos bebês para evitar a pressão no ouvido e as crianças devem ficar sempre com um bombom na boca para relaxar os músculos. Esse artifício também pode ser usado pelos adultos. Como faz a estudante universitária Ticiana Bitencourt. "Começo a mascar chiclete antes da viagem para deixar os músculos da face mais flexíveis. Faço também durante o vôo movimentos com a mandíbula para tirar o ar da região do ouvido. Isso diminui a pressão e o incomodo é menor", disse.

O uso de bebida alcoólica é um dos fatores de mal-estar, principalmente, durante a viagem, pois uma dose de bebida nas alturas equivale a três, de acordo com doutora Murita Sampaio. Apesar da absorção ser triplicada, a eliminação é mais lenta, piorando os efeitos, o que pode causar náuseas, tonturas e enjôos. Mas, para quem não resiste a um whisky, vinho ou cerveja, o ideal é ingerir ao mesmo tempo outros líquidos para hidratar o corpo, como indica o doutor Paulo Magalhães, gerente da Fundação Rubem Berta/Varig.

***

Dicas para uma viagem tranqüila

O cuidado com a comida deve ser o mesmo da bebida. O viajante tem que redobrar sua atenção com o que comer antes da viagem, o recomendável é fazer refeições leves e em pouca quantidade. O passageiro deve retirar de seu cardápio comidas que fermentam ou de difícil digestão, pois essas aumentam a quantidade de gás no intestino, onde já há um crescimento natural no nível de 10% à 20% dentro do avião, deixando a pessoa inchada, de acordo com o doutor Magalhães.

O ambiente do avião também contribui para o surgimento de outros problemas. Como a umidade é baixa e o ar que entra na aeronave é aquecido pelas turbinas, a tripulação pode ficar com os lábios, garganta e olhos ressecados. Para diminuir a secura dos lábios e da garganta, o recomendável é tomar bastante líquido, que ajuda também na circulação do sangue. É aconselhável ainda evitar bebidas gasosas e com cafeína, como café e coca-cola, por que dificultam a digestão. As pessoas mais sensíveis ao ar seco devem usar colírios lubrificantes.

Outros macetes ajudam a prevenir náuseas e enjôos. O ideal é sentar nas poltronas que ficam entre as asas, onde o avião tem maior estabilidade, diminuindo os balanços e solavancos. As cadeiras perto das janelas também colaboram, já que o passageiro pode ver a parte externa e ter uma sensação de controle. Questões psicológicas podem atrapalhar quem tem medo de viajar entre as nuvens. Nessa situação, pode-se fazer uso de calmantes relaxantes com indicação médica, mas não é recomendável usar remédios fortes, que façam dormir, pois o viajante deve se movimentar durante o vôo.

***

TVP é o inimigo nos vôos longos

O inimigo das viagens aéreas é a trombose venosa profunda (TVP), conhecida erroneamente, segundo doutor Magalhães, como "síndrome da classe econômica". A trombose é causada pela imobilidade prolongada, quando a pessoa fica sentada em um ângulo que dificulta a circulação, entupindo as veias e criando coágulos. Esse problema pode ser causado tanto nas classes econômicas, quanto na primeira classe e em outros meios de transporte, desde que se fique muito tempo parado.

Quem teve câncer, está grávida ou tem mais de 40 anos tem mais predisposição à doença e deve tomar alguns cuidados. "Essas pessoas devem procurar seus médicos e verificar quais medidas adequadas para evitar o problema. O médico pode recomendar meias elásticas ou medicamentos específicos, mas o uso tem que ser indicado por um profissional, pois pode também prejudicar", disse doutor Magalhães.

As pessoas que não têm essas características também podem se prevenir com exercícios durante a viagem. Os movimentos podem ser feitos na própria poltrona, fixando o calcanhar no chão e levantando a ponta do pé e depois o inverso. Isso vai contrair a panturrilha, que aperta as veias da região, como se fosse uma "pasta de dente", ensina o doutor. A ginástica deve ser feita quantas vezes puder, acompanhada de alongamentos e mudanças de posição. Os idosos, além de fazerem os exercícios, em vôos de mais de duas horas devem andar pela aeronave, durante cinco minutos, a cada uma hora. Eles podem, também, girar os pés e movimentar os dedos.

***

Viaje bem

* Leve sua mini-farmácia. Pode ser trabalhoso comprar remédios em outros países. Os aviões possuem suas medicações, mas o ideal é utilizar os medicamentos que já está acostumado e conhece os efeitos;

* Quem tem rinite, sinusite e otite deve fazer uso do remédio prescrito por seu médico com antecedência de dois dias;

* Operados e enfermos devem levar atestado do médico que lhe assiste para autorizar o vôo;

* As mulheres grávidas também devem levar atestado do seu médico autorizando a viagem;

* Faça ginástica e alongamento durante o vôo;

* Se estiver muito gripado, consulte o médico para verificar se pode viajar.

www.correiodabahia.com.br


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos