Tabagismo/Fumo/Cigarro - Cristóvão Colombo e o tabaco
Esta página já teve 117.117.874 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.648 acessos diários
home | entre em contato
 

Tabagismo/Fumo/Cigarro

Cristóvão Colombo e o tabaco

30/07/2004

A EXCURSÃO DE CRISTÓVÃO COLOMBO

1492

Como vocês estão cansados de saber, com a História fresquinha na cabeça, foi em 1492 que o pessoal comandado por Cristóvão Colombo deu em terras americanas.

Colombo, que era avançadíssimo para o seu tempo, tinha sérias suspeitas de que a Terra fosse redonda e buscava um outro caminho que levasse às Índias. Acabou por descobrir um continente. Apesar de ser italiano, genovês, sua empreitada foi bancada pela coroa espanhola, após o seu projeto de viagem ter sido rejeitado pelos portugueses. Morreu na Espanha, em Valladolid, em 1506, aos 55 anos.

Na verdade, o chamado "descobrimento" é um lance meio esquisito de se compreender, uma vez que por aquelas terras já havia um bom número de seres humanos que, pela versão oficial, estavam carentes de orientação, prontos a serem catequizados e submetidos à nova ordem mundial. O mesmo, aliás, ocorreu no Brasil, onde à época do nosso "descobrimento", havia 5 milhôes de índios. Hoje, cinco séculos depois, são pouco mais de 500 mil. Portanto, ao analisar esses números, vemos que o "descobrimento" foi o de como dizimá-los.

Estes, assim chamados, nativos, repletos de hábitos peculiares, aos olhos dos civilizados europeus, tinham um que chamou particularmente a atenção: punham-se em círculos, em momentos de ritual de grupo, com muita cantoria e muita dança, e aspiravam a fumaça de umas folhas que queimavam.

Só este ritual bastaria para ser incorporado ao jeito europeu de ser, mas, além disto, diziam que a fumaça do tabaco tinha propriedades medicinais. Portanto, além ser alegoria e adereço do barato grupal, ela supostamente curava doenças.

Ilustração de  Rhobson Bola

Quando a excursão se encerrou, na bagagem de volta, entre outras espécies de plantas do "novo" continente, mudas daquelas folhas foram parar em solo europeu. 

Séculos se passaram, e é como se os índios, após tanto desrespeito, quando suas crenças foram menosprezadas, sendo-lhes imposta uma forma estranha de relação com O Deus, quando as suas famílias foram dizimadas, quando não tiveram a posse da terra reconhecida, tendo de se contentar com reservas, tivessem exportado uma planta, que hoje é responsável pela morte de 5 milhões de pessoas no mundo por ano _ a Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que serão dez milhões de mortes por ano, a partir do ano 2020.

Tal consequência, essa mortalidade inacreditável, poderia ser a reparação, quase que kármica, para tanta falta de sensibilidade e arrogância ocorridas no passado. Entendendo-se o Karma como uma oportunidade de aprendizado e não uma punição. E, de vez em quando me pergunto: será que aprendemos alguma coisa desde lá?

Um pulmão normal, ladeado por um pulmão de fumante com câncer.

CAMPANHA DO MINISTÉRIO DA SAÚDE CANADENSE.

É claro que você, adolescente, pode me dizer: " Alôô, e eu com isso ?? ", ou, " Fala sério, sequelado, vai cuidar da tua vida !?! ".

www.cigarro.med.br


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos