Antienvelhecimento/Longevidade - Modificações no envelhecimento
Esta página já teve 117.091.699 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.649 acessos diários
home | entre em contato
 

Antienvelhecimento/Longevidade

Modificações no envelhecimento

10/06/2003

1. Quais as modificações que o envelhecimento provoca no nosso organismo?

R: O envelhecimento é um processo normal que atinge todas as pessoas com o passar dos anos. As caracteristicas principais da velhice são a redução da capacidade de adaptação ambiental, diminuição da velocidade de desempenho e aumento da sucetibilidade a doenças. Especificamente ocorrem mudancas como: redução da altura corporal, extremidades ficam mais finas e o tronco mais grosso, diminuição do peso entre 55 e 75 anos devido principalmente a perda de massa muscular, agua e massa óssea.

Além disso, a memória a curto prazo, a acuidade visual e a resistência a doenças infecciosas diminuem com a idade e ocorre perda progressiva da capacidade de audição. Nao há indicios, porem, de que a função cardíaca decline com a idade, e o desempenho físico pode aumentar como resultado da prática diária de exercícios.

Várias das deficiências que comumente são atribuídas a velhice podem ser causadas pelos efeitos das doenças, muito mais do que pelo envelhecimento.

2. A velhice atinge todas as regiões do corpo simultaneamente?

R: O envelhecimento não é um processo único, mas uma soma de vários processos, assaz distintos. Ocorre envelhecimento desigual nos diferentes sistemas e aparelhos orgânicos em diferentes pessoas. Temos, por exemplo, pessoas com cabelos brancos e pele enrugada, mas ouvidos e cerebro ainda vigorosos: pessoas com doença grave no aparelho respiratório mas ainda com bom funcionamento digestivo.

3. Tenho 82 anos e uma tomografia computadorizada de crânio que realizei constatou diminuição do tamanho do cérebro. Isto e normal ?

R: O cérebro humano é um órgão muito complexo sendo constituído de cem bilhões de células nervosas. No recém-nascido, o cérebro pesa cerca de 280 gramas e próximo aos 20 anos atinge 1.200 gramas. A partir dai, o peso do cérebro diminui, sendo que aos 9O anos pesa cerca de 90% do seu peso aos 20 anos.

Estudando cérebros humanos descobriu-se que acontece perda celular em algumas partes do cérebro, embora não em todas. Não foi comprovado que perda de células cerebrais provoque redução de função mental. Embora não ocorra substituição das células cerebrais, as células restantes fazem novas conexões recuperando a condição anterior do cérebro idoso.

A perda da capacidade mental ocorrida com o avançar da idade e evitável, sendo que a senilidade não é característica normal do envelhecimento.

4. Minha altura diminuiu com o avançar da idade. Isto é normal?

R: Estudos sobre o envelhecimento mostram que a altura do ser humano reduz com o avançar da idade. Ocorre uma diminuição progressiva da altura do ser humano, tanto de pé quanto sentado, iniciando nos homens próximos dos 40 anos e nas mulheres em torno dos 43. Mas, como esta perda é muito pequena, só notamos lá pelos 60 anos. Em média a perda de altura nas mulheres é de 5 centímetros e nos homens fica entre 60 milímetros e 2,5 centímentros.

Provavelmente a redução da altura corporal ocorre por uma combinação de fatores como perda da água corporal, mudança na postura, deformindades espinhais, degeneração de discos da coluna vertebral ou esteoporose. Nas mulheres, a causa predominantes da redução da altura associada ao envelhimento é a osteoporose.

 

5. Porque os cabelos embranquecem?

R: Na mocidade, o couro cabeludo tem cerca de cem mil fios de cabelo. As pessoas loiras tem um pouco mais. Estudos mostram que com o avançar da idade, a densidade, o diametro e a força dos fios de cabelo diminuem.

O embranquecimento do cabelo é o sinal mais notável de envelhecimento, mas não é universal nem ocorre simultaneamente em todas as pessoas. O embranquecimento geralmente inicia nas têmporas e progride para o alto da cabeça.

Esse fenômeno é causado pela perda de células que produzem melanina e, por conseguinte, pela perda de melanina. A melanina é o pigmento que dá cor ao cabelo e a pele.

  Nervosismo

1. Estar nervoso engorda?

R: O nervosismo em si não é determinante para aumentar o peso do indivíduo.

O que determina a associação da obesidade com o nervosismo é o fato de a pessoa ansiosa ou tensa usar a alimentação como compensação de problemas emocionais, o que a leva a ingerir uma maior quantidade de calorias.

O marcante neste comportamento é que a pessoa, em geral, não tem noção da quantidade que esta comendo. O indivíduo, portanto, eleva o seu peso porque come muito, e come muito porque está nervoso.

 

  Problemas digestivos

1. Muitas vezes sofro de indigestão. Como posso fazer uma boa digestão?

R: As pessoas queixam-se de indigestão quando ocorrem dor epigástrica (na parte superior do abdômen), inchaço, sensação de plenitude, gases, náuseas e azia, relacionados ao ato de comer.

Estes sintomas podem sugerir doença ulcerativa peptica, mas em quase metade das pessoas nenhuma úlcera é descoberta no exame endoscópico.

Quando nenhuma lesão orgânica é encontrada orienta-se comer devagar, mastigar bem os alimentos, evitar assuntos desagradáveis durante a refeição e quantidade execessiva de comida, não exagerar em alimentos gordurosos, temperos, doces, bebidas gasosas, café e álcool.

Gases abdominais podem ser eliminados com a restrição de grãos (feijão, ervilha, grão de bico), batata-doce, couve-flor, repolho, massas, doces, bebidas gasosas e leite. Não tenha o hábito de realizar esforço físico ou deitar-se depois das refeições e não use vestuário apertado, pois comprime o abodômen.

 

  Pressão alta

1. O que acontece se eu não tratar minha pressão alta?

R: Pessoas com pressão alta (hipertensão arterial) habitualmente não sentem nada, exceto se sua pressão arterial aumentar muito repentinamente ou se a pessoa já tiver alguma complicação. Como os hipertensos geralmente estão assintomáticos, isto favorece o descuido no tratamento.

A pressão alta força o trabalho do coração além de sua capacidade, aumenta o risco de derrame cerebral e ataque cardíaco e facilita a deposição de gordura nas artérias, tornando-as estreitadas e dificultando a passagem do sangue.

 

  Colesterol

1. Existe um colesterol bom?

R: Ao colesterol HDL atribui-se certa proteção contra o desenvolvimento da arterosclerose (placas de gordura que entopem as artérias), daí ser popularmente chamado de colesterol bom. Entre os fatores que elevam os níveis de colesterol HDL estão: exercicíos, doses moderadas de bebida alcoólica e redução do excesso de gordura corporal.

2. O colesterol somente causa prejuízo ao organismo?

R: O colesterol é um tipo de gordura produzido no fígado e que circula no sangue. Além de ser sintetizado no corpo humano, é retirado de certos alimentos.

O colesterol é um elemento importante para o organismo, sendo utilizado para a formação de membranas celulares, ácidos biliares, hormônios e outras funções.

Quanto maior o nível de colesterol no sangue, maior será seu acúmulo na parede das artérias e, por conseqüência, formação de placas gordurosas (ateroscleróticas) que provocarão o endurecimento da parede arterial e a obstrução progressiva da circulação sangüínea.

 

  Depressão

Quais são os sinais de alerta para identificar depressão em idosos?

R: A maioria das expressões do idoso apresenta manifestações hipocondríacas e exuberância de sintomas ansiosos, caracterizados por sentimentos de pessimismo e catástrofe iminente. Ocorrem ideias delirantes com fundo auto-acusatório (culpa, indignidade e ruína) e perseguição, com sentimentos de prejuízo e frustração.

Existem sintomas que precedem o processo depressivo: insônia, queda do rigor físico e mental, diminuição do desejo sexual, irritabilidade e impulsibilidade e mudança do comportamento habitual.

 

  Alzheimer

1. O médico diagnosticou que minha mãe tem doença de Alzheimer. Devo dedicar-me exclusivamente aos seus cuidados?

R: A doença de Alzheimer caracteriza-se pela perda das funções mentais, principalmente da linguagem, memória, capacidade visoespacial, personalidade e cognição (abstração e cálculo). Em estágios avançados o doente torna-se confuso e desorientado, podendo ser incapaz de estruturar uma conversa, desatento, com incontinência urinaria e fecal, ficando incapaz de cuidar-se a si próprio.

Estudos mostram que familiares com dedicação só, ou quase só, ao cuidado do doente estão mais propensos a ansiedade e depressão. Portanto, a decisão de dedicar-se ao doente deve ser desestimulada.

2. Quais os sinais de alerta para identificar a doença de Alzheimer ?

R: A pessoa inicia a perda progressiva da memória. Demonstra dificuldade para escrever, falar e orientar-se no tempo e no espaço, modifica seu comportamento deixando de reconhecer amigos e familiares, não consegue mais realizar cálculos ou tomar decisões.

Na fase avançada da doença, a situação é de plena dependência: a pessoa não consegue alimentar-se sozinha, locomover-se ou manter hábitos de higiene.

3. O que é estar com esclerose ?

R: A esclerose é uma confusão mental que se inicia lentamente e quase sempre evolui de forma gradativa. Mas esse termo, na verdade, não é apropriado, uma vez que dá a impressão, incorreta na maioria dos casos, de que os sintomas estão relacionados a má circulação cerebral.

Esse tipo de distúrbio, em medicina, é denominado demência, cujos sintomas são: alterações de memória, da linguagem e do comportamento, que evoluem gradativamente. Algumas causas da demência podem ser revertidas, como as relaionadas a doenças da tireóide ou a deficiência de vitamina B.

 

  Infecções

1. Frequentemente tenho infecção urinária. Como posso prevenir o problema ?

R: Normalmente o sistema urinário está livre de bactérias. Quando bactérias oriundas do intestino (ou da vagina, nas mulheres) invadem o trato urinário, ocorre a infecção.

Medidas preventivas reduzem substancialmente as possibilidades de surgimento do problema. Deve-se urinar com freqüência (se possível a cada 3 ou 4 horas ); beber aproximadamente dois litros de líquido ao dia e usar papel higiênico apos as evacuações sempre de frente para trás. Tambem é importante a micção após as relações sexuais.

2. Tenho 78 anos e quando chega o inverno fico com receio de ter pneumonia.

R: Quais os sinais de alerta para identificar essa doença?

As pessoas idosas não costumam apresentar o quadro clássico de pneumonia: início repetido de tosse com catarro, febre e dor no tórax.

Geralmente, a pneumonia no idoso se manifesta com queda de estado geral, desorientação, distúrbio do sono e aceleração da freqüência respiratória e/ou cardíaca. Tosse e febre costuman estar presentes, mas podem ser sinais leves ou até ausentes.

Como forma de prevenção, existe vacina específica que a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda para pessoas com mais de 65 anos.

 

 Quedas

1.Tenho 65 anos e ultimamente tenho sofrido quedas. Como posso evitá-las?

R: As quedas são a causa mais comum de acidentes em idosos, podendo ocasionar lesões dolorosas, fraturas e hematomas. Existem as alterações relacionadas a idade, como diminuição da capacidade visual e auditiva, instabilidade postural e isquemia cerebral, doença de Parkinson, queda da pressão arterial, desidratação e uso de medicação que precisam de avaliação médica.

Os fatores predisponentes para quedas no ambiente domiciliar do idoso devem ser considerados na prevenção, tais como evitar assoalhos escorregadios e tapetes soltos, fornecer boa iluminação, distribuir os móveis de forma que os caminhos não fiquem obstruídos, usar chinelos para chuveiro ou cadeira para banho, usar barra de apoio lateral no assento sanitário, usar corrimão nas escadas ,instalar prateleiras e armários em altura acessível.



Copyright © 1997 Universidade Estadual de Campinas


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos