Minerais - Relação de palavras-chave para o entendimento dos recursos minerais
Esta página já teve 116.516.080 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.683 acessos diários
home | entre em contato
 

Minerais

Relação de palavras-chave para o entendimento dos recursos minerais

06/09/2004
 

Glossário


Escolha a primeira letra do termo que você quer consultar


  • Abissal
    Relativo às profundidades oceânicas em geral superiores à 2.000 metros.

  • Acavalamento
    Fenômeno de encurtamento de um segmento rochoso associado a falhas de empurrão.

  • Acidez da Água
    Quantidade de ácido, expressa em miliequivalentes de uma base forte por litro de água, necessária para titular uma amostra a um determinado valor do pH.

  • Afloramento
    Qualquer exposição de rochas ou solos na superfície da Terra. Podem ser naturais – escarpas, lajeados ou artificiais – escavações.

  • Ágata
    Variedade de quartzo criptocristalino com bandas coloridas. Comumente depositada em cavidades nas rochas.

  • Agência Nacional de Águas (ANA)
    Entidade federal de implementação da política Nacional de Recursos Hídricos, integrante do Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos. Criada pela Lei 9.984, de 17 de julho de 2000.

  • Agente de Floculação
    Substância coagulante que, quando acrescentada à água, forma um precipitado floculoso que contém material suspenso, promovendo a sua sedimentação.

  • Água
    1) Fase líquida de um composto químico formado aproximadamente por 2 partes de hidrogênio e 16 partes de oxigênio em peso. Na natureza ela contém pequenas quantidades de água pesada, de gases e de sólidos (principalmente sais) em dissolução.

    2) Recurso mineral considerado como bem econômico na Conferência Internacional sobre a Água e o Meio Ambiente em Dublin (1992). Considerada também como um bem mineral, energético, comum, social e estratégico.

  • Água Alcalina
    Água com pH superior a 7 (sete).

  • Água Artesiana
    Água subterrânea confinada submetida a uma pressão suficiente para fazer com que se eleve acima do fundo de uma fissura ou outra abertura na camada confinante, situada acima do aqüífero, e jorre na superfície.

  • Água Bruta
    Àquela da fonte de abastecimento que não recebeu qualquer tratamento.

  • Água Capilar (sinônimo Água de Capilaridade)
    Água retida por capilaridade no solo, acima do lençol freático; água do solo acima da umidade higroscópica e abaixo da capacidade de campo.

  • Água Combinada
    Água retida no solo mais por forças químicas do que por forças físicas.

  • Água Contaminada
    Apresenta impurezas em quantidade e natureza tal que se torna imprestável para consumo humano, agropecuário e industrial.

  • Água de Adsorção
    Água fixada na superfície das partículas sólidas, por forças moleculares e com emissão de calor (ABID, 1978).

  • Água de Infiltração
    Água que aparece como resultado da percolação de águas de superfícies ou de precipitação, na parte superior da litosfera (ABID, 1978).

  • Água Destilada
    Àquela pura, após sofrer um processo perfeito de vaporização seguido de liquefação (destilzação).

  • Água do Solo
    Água retida na camada superior da zona de aeração do solo tão próxima à superfície que pode passar à atmosfera por evapotranspiração (CID) e onde se fazem sentir influências diurnas e sazonais, como por exemplo, chuva, irrigação, inundações, drenagem e evapotranspiração.

  • Água Doce
    Água, nem salgada, nem amarga, cuja composição química a torna apropriada ao consumo (pelo fraco teor em matéria sólida dissolvida).

  • Água Dura
    Água que contém, em dissolução, quantidades relativamente grandes de substâncias minerais, principalmente sais de cálcio e de magnésio. (WHO)

  • Água Esterilizada
    Àquela isenta de microorganismos vivos.

  • Água Freática
    Lençol subterrâneo limitado superiormente por uma superfície livre (à pressão atmosférica normal).

  • Água Industrial
    Água que é utilizada exclusivamente em processamento industrial.

  • Água Intersticial
    1) Água contida nos interstícios de uma rocha ou solo.
    2) Água que ocupa os interstícios dos grãos do substrato de um ambiente aquático. É considerada o vetor de transporte de compostos químicos dissolvidos entre a coluna da água e o substrato sedimentar.

  • Água Mineral
    Água com elevada quantidade de sais minerais de ocorrência rara (ABID, 1978).

  • Água Pesada
    Água enriquecida com moléculas que contém isótopos pesados (estáveis e radioativos) do hidrogênio (deutério, trítio) e oxigênio 18.

  • Água Poluída
    Água que apresenta forte cheiro pela presença de substâncias químicas e detritos orgânicos, de coloração variada e com algum gosto, imprópria para uso consuntivo.

  • Água Potável
    1) Água apropriada para a bebida.
    2) Água que apresenta boas características física, química e biológica.

  • Água Residuária
    Qualquer despejo ou resíduo líquido com potencialidade de causar poluição.

  • Água Salgada
    Água cuja concentração de sais é relativamente alta (aproximadamente 25 g/Kg).

  • Água Salina
    Água com salinidade igual ou superior a 3% (ABID, 1978).

  • Água Salobra
    1) Geralmente, águas contendo minerais dissolvidos em quantidades que excedem os padrões normalmente aceitos para usos municipal, doméstico e de irrigação. Consideravelmente menos salinas que a água do mar (ABID, 1978).
    2) Também águas marinhas e estuarinas com salinidade entre 0,5 e 30 partes por mil, devida aos sais oceânicos.
    3) Água contendo de 1000 a 4000ppm de Sólidos Dissolvidos Totais (SDT).
    4) Água que contém sais em concentrações menores do que na água do mar. A concentração da quantidade total de sais dissolvidos está compreendida entre 1.000 e 10.000 mg/l.

  • Água Subterrânea
    Água do subsolo ocupando a zona saturada.

  • Água Superficial
    Água que se escoa ou se acumula na superfície do solo.

  • Água Tratada
    Àquela que tenha sido submetida a um processo de tratamento, com o objetivo de torná-la adequada para um uso específico.

  • Alimentação Do Aquífero (Recarga)
    Componente do balanço hídrico representativa da quantidade de água acrescentada ao lençol subterrâneo durante o período considerado.

  • Alinhamento
    a) conjunto de elementos geológicos ou geofísicos de natureza semelhante, dispostos segundo uma linha regular, aproximadamente reta.
    b) representação em planta da direção correta de uma linha ou feição linear em relação a outras linhas ou feições.

  • Almofada
    Feição envolvendo rochas sedimentares ou ígneas que se assemelha tridimensionalmente a uma almofada com base plana. Em tectônica salífera, refere-se a corpos rochosos estruturados e/ou individualizados sob esta forma. Em planta, exibem formas elípticas ou circulares, com diâmetro médio em geral não ultrapassando 10 km.

  • Alóctone
    Massa rochosa deslocada de seu sítio de origem por processo tectônico. Termo empregado, tradicionalmente, com referência a nappes. Tem sido também aplicado a ambientes distensivos com altos valores de estiramento crustal.

  • Alteração
    a) mudança na composição mineralógica de uma rocha, causada por meios físicos ou químicos, especialmente pela ação de soluções hidrotermais; troca secundária, isto é, superergênica, na rocha ou no mineral. A alteração é considerada às vezes, como uma fase do metamorfismo, mas, geralmente diferenciada deste, por ser mais suave e mais localizada do que o metamorfismo.
    b) normalmente considerada como mudança composição química e mineralógica de uma rocha, produzida pelo intemperismo. (Bates e Jackson, 1987, p.19)

  • Alteração Deutérica
    Modificação que se dá em uma rocha magmática durante os últimos estágios de sua consolidação e em continuação à consolidação do próprio magma.

  • Alteração Hidrotermal
    Mudança na composição química das rochas produzida por soluções hidrotermais.

  • Altitude
    Altura em relação ao nível do mar.

  • Alto
    Bloco(s) crustal(is) de movimentação descendente retardada em áreas subsidentes - horst intrabacial.

  • Altura de Precipitação (sinônimo Altura de Chuva)
    Quantidade de água líquida procedente da atmosfera, expressa em altura de água sobre uma superfície horizontal.

  • Altura Piezométrica (sinônimo Carga Piezométrica)
    1) Altura da água medida num piezômetro.
    2) Soma da altura da superfície piezométrica e da altura de carga num certo ponto, expressa em unidades de altura.

  • Aluvião
    1)Argila, silte, areia, cascalho, seixo ou outro material detrítico depositado pela água.
    2) Acumulação de partículas como areia e silte que são carregadas pelo rio, depositando-se abaixo, em suas embocaduras ou ao longo de suas margens, formando bancos férteis de areia.

  • Ambiente
    1) Sistema constituído por fatores naturais, culturais e sociais, inter-relacionados entre si, que condicionam a vida do homem e que por sua vez são constantemente modificados e condicionados por este.
    2) Tudo aquilo que cerca ou envolve os seres vivos ou as coisas. O ambiente pode ser favorável ou desfavorável ao desenvolvimento dos seres vivos na terra.

  • Amígdala
    Vesículas preenchidas posteriormente com minerais formados a partir de soluções aquosas ou gasosas.

  • Amigdaloidal
    Massa rochosa que contém vesículas disseminadas e preenchidas com materiais de composição diferente ao da matriz.

  • Amostra
    Porção representativa de água, ar, qualquer tipo de efluentes ou emissão atmosférica ou qualquer substância ou produto, tomada para fins de análise de seus componentes e suas propriedades.

  • Amostrador
    Instrumento por meio do qual pode ser retirada uma porção representativa de líquido ou de sedimentos para análise ou exame.

  • Amostragem
    Operação que consiste em extrair amostras de solo, rocha, ar ou água de um local para análise individual.

  • Anaeróbicas
    Condições nas quais o organismo não requer oxigênio para viver e se reproduzir.

  • Análise de Bacia
    Termo derivado do inglês basin analysis, de uso consagrado. Entretanto, considerando-se ser, de fato, um método de integração dos dados disponíveis sobre uma determinada bacia, cujo produto final tem caráter mais sintético que analítico, melhor seria denominá-lo estudo de bacia.

  • Análise Estrutural
    Estudo de feições estruturais observáveis em escalas que variam desde lâminas delgadas até imagens de satélites. Inclui a interpretação dos movimentos e dos campos de tensões responsáveis pelas deformações nos corpos rochosos.

  • Anastomosado
    Padrão linear segundo o qual numerosos traços (inclusive de superfícies de falhamentos) bifurcam-se e fundem-se, aleatoriamente.

  • Andesito
    Rocha ígnea de granulação fina composta principalmente por feldspato plagioclásio e com 25 a 40% por anfibólio e biotita. não contém quartzo.

  • Anfibólio
    Importante mineral formador de rochas, pertencente ao grupo dos silicatos ferromagnesianos.

  • Anfibolito
    Rocha metamórfica formada principalmente por anfibólios e feldspato plagioclásio.

  • Anortosito
    Rocha ígnea intrusiva de granulação grosseira composta principalmente por feldspato plagioclásio rico em cálcio.

  • Antearco
    Posição geotectônica anterior (do oceano para o continente) ao arco magmático, em zona de convergência de placas tectônicas. Tratando-se de convergência envolvendo placa oceânica, diz-se da bacia ou região situada entre o prisma acrescionário e o arco magmático.

  • Antefossa
    Profunda depressão alongada, bordejando um arco de ilha ou um cinturão orogenético; fossa oceânica.

  • Antepaís
    Área estável marginal a um cinturão orogenético, em direção à qual as rochas do cinturão são empurradas; em geral constitui-se de crosta continental, particularmente de borda de área cratônica ou plataformal. Diz-se das bacias situadas entre o cráton e os cinturões orogenéticos, em zona de colisão de placas litosféricas.

  • Anticlinal
    a) dobra com concavidade para cima, cujo núcleo contém rochas estratigraficamente mais antigas.
    b) diz-se da configuração do sal quando este se apresenta com base plana e topo levemente arqueado, em dimensões quilométricas.

  • Antrópica
    Diz-se das ações resultantes da atuação do homem sobre o meio ambiente.

  • Aqüífero
    Formação porosa (camada ou estrato) de rocha permeável, areia ou cascalho, capaz de armazenar e fornecer quantidades significativas de água. (W)

  • Aqüífero Artesiano
    Aqüífero que contém água com suficiente pressão para elevá-la acima da superfície do solo.

  • Arco
    a) feição estrutural relativamente alta, sem implicação genética.
    b) feição geológica regional ou continental que, em planta, exibe geometria curvilinear.

  • Arcósio
    Rocha sedimentar detrítica de granulação entre 0,02 e 2 mm, formado por fragmentos de quartzo, rica em feldspato (mais de 25%) e pouca argila. É geralmente o produto de decomposição de granitos e gnaisses em climas áridos.

  • Ardósia
    Rocha metamórfica de granulação fina, fortemente laminada e xistosidade tabular perfeita. Produto de metamorfismo regional de argilitos, siltitos e outros sedimentos clásticos de granulação fina.

  • Área de Proteção Ambiental (APA)
    Tipo de unidade de conservação que tem o objetivo de conservar a diversidade de ambientes, espécies, processos naturais e do patrimônio cultural, visando a melhoria da qualidade de vida, através da manutenção das atividades sócio-econômicas da região.

  • Área Molhada
    Parte da seção transversal de um curso d’ água que fica abaixo da superfície líquida.

  • Areia
    Sedimento clástico não consolidado, composto essencialmente de grãos de quartzo de tamanho que varia entre 0,06 e 2 mm.

  • Areias Quartzozas
    Classe de solos minerais, pouco desenvolvidos, de textura arenosa, formados por material arenoso virtualmente destituído de minerais primários, menos resistentes ao intemperismo.

  • Arenito
    Rocha sedimentar proveniente da consolidação de areia por um cimento qualquer (sílica, carbonato, etc.).

  • Arenoso
    Material desagregado ou solo com menos de 15% de argila.

  • Argila
    Material sedimentar de grãos muito finos. Termo empregado também para designar a fração granulométrica de um sedimento, inferior a 0,002 mm. (Wentworth).

  • Argila Coloidal
    A parte da argila cujas partículas são de tamanho inferior a 0,002 mm. Atribui-se à argila coloidal a responsabilidade principal pelo comportamento plástico dos solos ou terrenos argilosos.

  • Argilito
    Rocha sedimentar detrítica constituída essencialmente por partículas argilosas. Distinguem-se de folhelhos e ardósias por não se partir paralelamente à estratificação e não possuir clivagem ardosiana.

  • Arqueamento
    Ampla dobra aberta em escala regional, geralmente correspondendo à feição associada ao embasamento. Em anticlinal, diz-se arqueamento (mais freqüente); em sinclinal, arqueamento negativo.

  • Arqueano
    Período do tempo geológico compreendido entre 3.800 e 2.500 milhões de anos atrás.

  • Arqueologia
    Estudo científico dos restos materiais das culturas, de povos pré-históricos ou históricos (Parker, 1989, p.117)

  • Arrasto
    Dobramento dos estratos em ambos os lados da falha, causado pela fricção dos blocos adjacentes, que se movimentam ao longo do plano de falha.

  • Assoreamento
    Processo de elevação de uma superfície por deposição de sedimentos.

  • Astenosfera
    Camada subjacente à litosfera, cujo topo está situado a profundidades variáveis de até 200 km (em média, 100 km), e a base, a 400 km. É o provável sítio dos mecanismos propulsores responsáveis pela dinâmica das placas litosféricas, dos ajustes isostáticos, e da principal geração de magma, onde, por definição, há fluência da matéria e a transferência de calor se dá predominantemente por convecção. Individualiza-se da litosfera em decorrência de contraste térmico, cujo limite situa-se em torno dos 1.200oC/1.400oC, refletindo-se na mudança de suas condições mecânicas e, conseqüentemente, em sua definição geofísica. A parte superior da astenosfera, onde as ondas sísmicas sofrem uma redução de velocidade de cerca de 6%, é denominada de low velocity zone (LVZ), a qual está melhor identificada sob crosta oceânica.

  • Aterro Controlado de Resíduos Sólidos
    Técnica de disposição de resíduos sólidos urbanos no solo (ABNT).

  • Aterro Sanitário
    1) Método de engenharia para disposição de resíduos sólidos no solo, de modo a proteger o meio ambiente. Os resíduos são espalhados em camadas finas, compactadas até o volume praticável e cobertos com terra ao final de cada jornada.
    2) Processo de disposição de resíduos sólidos na terra, sem causar moléstias nem perigo a saúde ou a segurança sanitária. Consiste na utilização de métodos de engenharia para confinar os despejos em uma área, a menor possível, reduzindo a um volume mínimo, e cobri-los com uma capa de terra diariamente, ao final de cada jornada, ou em períodos mais freqüentes, segundo seja necessário.
    3) Sistema empregado para a disposição final dos resíduos sólidos sobre a terra, os quais são espalhados e compactados numa série de células e diariamente cobertos com terra, para não resultar em nenhum risco ou dano ao ambiente.

  • Auditoria Ambiental
    1) Instrumento de política ambiental que consiste na avaliação documentada e sistemática das instalações e das práticas operacionais e de manutenção de uma atividade poluidora, com o objetivo de verificar: a obediência aos padrões de controle e qualidade ambiental; os riscos de poluição acidental e a eficiência das respectivas medidas preventivas; o desempenho dos gerentes e operários nas ações referentes ao controle ambiental e a pertinência dos programas de gestão ambiental interna ao empreendimento.
    2) Auditoria de sistemas de gerenciamento ambiental. Ela é uma ferramenta de gestão. Os objetivos de uma AA se definem pelo cliente e o escopo pelo auditor.

  • Aulacógeno
    Do grego aulax (trincheira), o termo foi introduzido por Shatsky (1946) para designar depressões alongadas que se projetam para o interior de áreas cratônicas, a partir de reentrâncias voltadas para uma bacia adjacente ou para uma cadeia de montanhas adjacente que cresceu a partir de um geossinclinal. Com o advento da Tectônica de Placas, os aulacógenos foram interpretados como riftes abortados, ocupando aquela posição particular.

  • Autóctone
    Referindo-se a todo conjunto rochoso, e não apenas a constituintes isolados, diz-se da unidade litoestratigráfica que permaneceu, em termos relativos, no mesmo local de sua formação, enraizada ao seu embasamento. Embora não deslocadas significativamente de seu sítio original, as rochas autóctones podem apresentar-se consideravelmente deformadas.

  • Avaliação de Impacto Ambiental (AIA)
    Instrumento de política ambiental e gestão ambiental de empreendimentos, formado por um conjunto de procedimentos capaz de assegurar que se faça, desde o início do processo, um exame sistemático dos impactos ambientais de uma proposta (projeto, programa, plano ou política) e de suas alternativas, e que os resultados sejam apresentados de forma adequada ao público e aos responsáveis pela tomada de decisão, e por eles considerados. Além disso, os procedimentos devem garantir a adoção das medidas de proteção do meio ambiente, no caso de decisão sobre a implantação do projeto.

    topo

     

  • Portal de Recursos Minerais

    www.prossiga.br


    IMPORTANTE

    •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
    • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
    Publicado por: Dra. Shirley de Campos
    versão para impressão

    Desenvolvido por: Idelco Ltda.
    © Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos