biologia molecular - Evolução 3
Esta página já teve 110.796.532 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.762 acessos diários
home | entre em contato
 

biologia molecular

Evolução 3

11/06/2003

A origem da ciência evolutiva


Charles Darwin devotou sua vida à observação de fenômenos naturais, tornando-se um famoso naturalista cujo trabalho é conhecido por todo o mundo. Aos 22 anos, à bordo do navio inglês Beagle, iniciou suas observações que o conduziram à sua teoria da evolução. O Beagle era um navio da marinha inglesa, em uma jornada de 5 anos em volta do mundo, onde o jovem Darwin teve a possibilidade de estudar as mais diferentes espécies por todo o globo. Suas observações e anotações iriam gerar um dos livros mais conhecidos por todo o meio científico, em especial pelos naturalistas. A partir desta viagem e através de seus estudos posteriores Darwin trouxe à tona uma teoria da evolução baseada em evidências concretas.


Talvez o ponto mais lembrado da viagem de Charles darwin seja a passagem do Beagle pelas Ilhas Galápagos. Este arquipélago, situado a cerca de 900 quilometros à oeste da costa do Equador, despertou no naturalista uma série de questões que seriam cruciais para o desenvolvimento de sua teoria. Darwin verificou que os animais destas ilhas eram diferentes dos observados anteriormente na América do sul. Enormes lagartos povoavam as ilhas, vivendo por todas as partes. Estes lagartos são típicos das Ilhas Galápagos, mas seus parentes mais próximos são lagartos sul-americanos. Outro grupo de animais curiosos são os jabutis gigantes (que aliás, dão nome ao arquipélago; galápagos, em castelhano, significa jabutis). Estes jabutis eram os animais mais comuns das ilhas. Eles não só pertencem à um grupo completamente diferente dos jabutis sul-americanos, mas também cada ilha possui uma raça particular de jabutis. Estas raças eram tão distintas que uma pessoa podia dizer, apenas observando um determinado jabuti, de que ilha o animal viera.

Além destes animais, outras observações foram feitas por Darwin, em relação à determinadas plantas e animais. Observações estas que colocavam em dúvida a velha teoria fixista de que todos os animais jamais se modificaram, que haviam sido criados tal como se pareciam, por obra da inspiração divina.


Ainda em Galápagos, Darwin estudou a flora das várias ilhas. Notou que as maiores árvores, que eram também as mais comuns, pertenciam todas à mesma família, Compositae. Na verdade, pertenciam à um único gênero, Scaleria. O curioso é que no mundo inteiro os representantes deste grupo são ervas rasteiras, no máximo pequenos arbustos. Mais um problema para ser explicado. Como estes organismos conseguiram se desenvolver tanto naquela região? Darwin também notou pequenas diferenças na vegetação entre uma ilha e outra, como ocorria com os jabutis. E outro ponto, quanto mais a ilha se aproximava de um continente ou de outro, mais sua vegetação era parecida com a daquele continente.


Outra observação importante feita por Darwin foi em relação à escavações realizadas na Patagônia. Nesta ocasião Darwin encontrou fósseis de grandes animais, que possuíam uma organização do esqueleto muito semelhante à dos tatus que habitam atualmente o continente sul-americano. Foi importantíssimo para a teoria da evolução toda essa pesquisa e exploração realizada por Darwin. Como se fosse montar um quebra cabeças gigante, Darwin estava ainda recolhendo todas as peças.
Ao voltar para a Inglaterra, Darwin já possuía sérias dúvidas sobre a imutabilidade das espécies. Com todo o material de suas pesquisas nas mãos, Darwin começa a montar o "quebra-cabeças". Provavelmente levantou algumas questões, que iam de encontro à tradicional teoria do creacionismo:

1. Se as espécies foram criadas tal como são, e não sofrem alterações, por que as espécies vegetais e animais não estão homogeneamente distribuídas pelo mundo? Por exemplo, por que o jabuti gigante e as árvores do gênero Scaleria não estão distribuídos pelo mundo todo, mas sim se restringem por algumas ilhas? Além destes exemplos Darwin possuía em mãos dados de várias outras espécies animais e vegetais.
2. Por que ilhas com as mesmas características físicas não possuem uma fauna e flora semelhantes, mas sim assemelham-se mais aos continentes das quais estão mais próximas? Darwin comparava as Ilhas Galápagos com Cabo Verde, uma outra ilha, com características muito parecidas com Galápagos, porém próxima ao continente africano.
3. Por que aqueles fósseis encontrados tem uma organização tão semelhante aos animais atuais? Ou seja, os animais já extintos assemelham-se aos animais atuais.

De acordo com a teoria fixista, estas questões não poderiam ser respondidas a não ser atribuindo-se estes fatores à um mero capricho do Criador. Mas isto não contentava Darwin, e ele buscou algumas explicações para estes fenômenos. Podemos encontrar algumas explicações razoáveis se admitirmos que as espécies se modificam ao longo das gerações:

1. No caso dos fósseis encontrados na Patagônia, eles seriam apenas uma forma menos modificada dos animais atuais. Então, se admitirmos que os animais se modificam, podemos entender que os animais extintos seriam os ancestrais dos atuais. Ao longo do tempo estes animais foram sofrendo modificações, até que surgiram as espécies atuais. Sob este ponto de vista fica fácil entender o porquê da semelhança entre os fósseis e os animais atuais.
2. No caso da fauna e flora serem mais parecidas no caso de ilhas próximas, também pode surgir uma explicação, seguindo-se a lógica de que as espécies se modificam: os ancestrais das plantas e animais encontrados nas diversas ilhas teriam vindo do continente, e então se diversificado separadamente nas várias ilhas. Isso teria gerado as diferenças entre as raças dos jabutis, por exemplo.
3. Seguindo esta lógica é fácil entender por que as Ilhas Galápagos e Cabo Verde possuem fauna e flora próprios. Os ancestrais dos animais e vegetais presentes em cada ilha teriam vindo do continente mais próximo, sendo completamente diferentes entre si.

www.ib.usp.br


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos