biologia molecular - Evolução 11
Esta página já teve 115.720.613 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.704 acessos diários
home | entre em contato
 

biologia molecular

Evolução 11

11/06/2003

O caso das mariposas inglesas

 

Na verdade o fenômeno não foi observado apenas na Inglaterra, mas também nos Estados Unidos e em várias regiões industriais do planeta. Diversas espécies de mariposas tiveram uma modificação na sua composição populacional: os representantes mais claros foram substituídos pelos de coloração mais escura.


Vamos analisar o caso de uma destas espécies. Observando os diversos exemplares resultantes da variabilidade, notamos que a coloração pode variar desde cores bem claras até um cinza escuro predominante. Porém, há aproximadamente um século atrás, os exemplares de cor clara eram predominantes, e encontrar uma mariposa escura desta determinada espécie era muito raro. Com o passar do tempo, notou-se que era cada vez mais comum encontrar-se mariposas escuras, e atualmente a situação é tal que muito raramente encontra-se uma mariposa clara. Qual seria a explicação para esse fato?


Devemos levar em conta os efeitos da poluição industrial, pois era justamente nestas áreas que a população de mariposas escuras se sobressaía. Bem, a coloração clara constitui-se em uma ótima camuflagem para as mariposas em seu ambiente natural. Pousada sobre os líquens esbranquiçados que recobrem o tronco das árvores torna-se quase impossível identificar uma mariposa branca. A mariposa escura, porém, se sobressai, ficando a mercê dos predadores.


Com a ocupação industrial, os líquens foram desaparecendo, morrendo devido ao aumento da poluição. Os troncos, antes esbranquiçados, agora apresentavam sua coloração natural, escura, e a situação se inverteu: agora quem ficava melhor camuflada eram as mariposas escuras, enquanto que as de coloração esbranquiçada estavam cada vez mais à vista dos predadores. Então, as maiores chances de sobrevivência passaram a ser das mariposas escuras. Como na nossa simulação, o ambiente se modificou, alterando a pressão seletiva. Antes da mudança a pressão era no sentido de se eliminar os indivíduos escuros; depois da mudança de ambiente, a pressão passou a selecionar estes indivíduos, eliminando os mais claros.


Esta mudança no ambiente causou a mudança na composição populacional das mariposas, através da seleção natural. Este é um exemplo clássico, pois ilustra muito bem o processo de seleção dos mais aptos a partir da variabilidade.

 

 
 
 Aqui temos a ilustração sobre o caso das mariposas; na foto da esquerda, as mariposas em seu ambiente natural. Os líquens esbranquiçados camuflam muito bem as mariposas mais claras, enquanto as mais escuras ficas às vistas dos predadores. Na foto da direita a poluição matou os líquens, deixando apenas os troncos das árvores, mais escuros; agora quem está melhor camuflado são as mariposas escuras, enquanto que as brancas são facilmente encontradas.

 

www.ib.usp.br


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos
 
Hacked by
#TeaMGh0sT

~ DB GOT DROPPED ~