Tabagismo/Fumo/Cigarro - Cigarro atrapalha performance sexual
Esta página já teve 114.674.986 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.773 acessos diários
home | entre em contato
 

Tabagismo/Fumo/Cigarro

Cigarro atrapalha performance sexual

17/10/2004


A mídia está enganada. A clássica cena cinematográfica em que o ator ou atriz sentem prazer ao fumar após a relação sexual não tem fundamento na medicina.

As pesquisas são conflitantes, mas todas elas concordam em um ponto: o tabagismo faz mal para a prática do sexo e a fertilidade.

O ponto polêmico gira em torno de o cigarro ser ou não a causa direta de distúrbios sexuais.

Nos EUA, estudo do Instituto de Andrologia do Centro para Medicina Reprodutiva, em Lexington, revela que o prejuízo pode ser de forma direta. Durante o ato sexual a qualidade da relação dos fumantes é pior do que em indivíduos que não fumam. E a capacidade de concepção também é menor. A conclusão da pesquisa é de que fumar diminui o desejo sexual dos homens. E diante da ausência de desejo, diminui a frequência, inclusive, com episódios de impotência.

Mas alguns investigadores acreditam que os resultados ainda são prematuros, e dizem que isso está comprovado apenas em indivíduos hipertensos ou diabéticos. É o que afirma o andrologista Celso Gromatzki, do Hospital das Clínicas, em São Paulo (SP). "Com relação à impotência, por exemplo, o cigarro afeta o pênis de forma indireta", afirma.

Qualidade

Gromatzki explica que os efeitos do cigarro atingem primeiro as artérias do corpo, onde causam obstruções na microcirculação, atingindo e entupindo os vasos sanguíneos que levam o sangue para os cavidades cavernosas, ou seja, a estrutura erétil do pênis.

"Em pacientes que têm enfisema pulmonar, por exemplo, que não conseguem ter uma respiração normal, o corpo se encarrega de suprir a falta de oxigênio com a elevação da taxa de hemoglobina, o que pode provocar problemas circulatórios e, indiretamente, causar distúrbios na ereção", relata Gromatzki.

"Uma pesquisa realizada em ratos há dez anos constatou que os animais ficaram com a atividade sexual prejudicada quando expostos à fumaça do cigarro", conta Gromatzki.

O vício do cigarro pode causar a deterioração da qualidade do esperma, segundo a pesquisa realizada pelo Instituto de Andrologia do Centro para Medicina Reprodutiva, nos EUA, que revela que a qualidade do espermatozóide de não-fumantes é superior ao de fumantes.

Foi testada a qualidade do esperma e do plasma seminal (um líquido nutriente encontrado no sêmen) de 40 homens com uma média de idade de 32 anos. A metade deles nunca tinha fumado e a outra consumia, em média, 42 cigarros por dia, nos últimos três anos. Segundo os pesquisadores, a diferença de qualidade encontrada entre os dois tipos foi significativa.

Em outra questão da pesquisa, os casais fumantes e não-fumantes foram indagados sobre o grau de satisfação na relação sexual. Os não-fumantes, tiveram média de 8,7, enquanto que os fumantes qualificaram o sexo em 5,2, na média. Apesar de os números mostrarem que o cigarro afeta o desempenho sexual, cientistas ainda não descobriram como o cigarro produz essa deficiência no organismo. Segundo eles, a resposta talvez esteja na área endócrina ou neuroendócrina.

Folha On-line


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos