Pediatria/Criança - Coronavírus da Síndrome Respiratória Aguda Grave, Patogênese, Doença e Vacinas: Atualização
Esta página já teve 116.477.497 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.687 acessos diários
home | entre em contato
 

Pediatria/Criança

Coronavírus da Síndrome Respiratória Aguda Grave, Patogênese, Doença e Vacinas: Atualização

20/12/2004
 




Um novo coronavírus tem sido recentemente identificado como causa da síndrome respiratória aguda grave (SARS-CoV). A capacidade desta família de RNA vírus para deslocar entre as espécies e causar doença grave em humanos, com potencial para gerar pandemia, tem sido confirmada.

 

O entendimento da doença, sua patogênese e genética das infecções pelo coronavírus, bem como estratégias para tratar ou prevenir estas infecções são essenciais. A história da vacina para o coronavírus e a ocorrência de infecções pelo SARS-CoV associada ao laboratório enfatiza a necessidade de estabelecer cepas atenuadas de SARS-CoV e outros coronavírus.Em um artigo publicado recentemente na revista Pediatric Infectious Disease Journal, os autores discutem a atualização sobre a doença, patogênese e terapêutica.

 

Um rápido progresso tem sido feito para o entendimento da doença clínica da SARS em adultos e crianças. Em adultos, a infecção sistêmica com alterações clínicas e bioquímicas, bem como infecção respiratória, pode ser a regra.  A SARS é muito mais leve em crianças abaixo de  12 anos de idade do que em adolescentes e adultos. Nas crianças menores de 12 anos, os sintomas geralmente são inespecíficos e semelhantes a um resfriado. Numerosas abordagens para o desenvolvimento de vacinas para o  SARS-CoV têm sido feitas e há evidência de que anticorpos podem proteger a replicação e patologia em modelos animais.

 

Os autores concluíram que a disponibilidade de sistemas genéticos reversos tem tornado possível construir e recuperar variantes de coronavírus que contenham mutações  geneticamente estáveis que crescem bem em cultura, porém que sejam atenuados para replicação, virulência ou ambos. Tais variantes serão plataformas para o crescimento seguro de SARS-Cov e candidatos para vacinas de vírus vivos atenuados.

Severe Acute Respiratory Syndrome Coronavirus Pathogenesis, Disease and Vaccines: An Update - Pediatric Infectious Disease Journal – 2004; 23(11) Supplement:S207-S214

Salvage Lopinavir-Ritonavir Therapy in Human Immunodeficiency Virus-Infected Children.
Pediatric Infectious Disease Journal. 23(10):923-930, October 2004.
Resino, Salvador PhD *; Bellon, Jose Maria MsC *; Ramos, Jose Tomas MD ++; Navarro, Maria Luisa MD +; Martin-Fontelos, Pablo MD [S]; Cabrero, Esther MD [//]; Munoz-Fernandez, Maria Angeles PhD, MD *

Abstract:
Objective: To study the control of viral replication in human immunodeficiency virus (HIV)-infected children on different salvage therapies.

Design and Setting: A retrospective observational study in 120 HIV-infected children was conducted. The children were divided into 3 groups according to their salvage therapies: (1) children receiving first line highly active antiretroviral therapy (HAART); (2) protease inhibitor-experienced children receiving second line HAART; (3) protease inhibitor-experienced children receiving HAART including lopinavir-ritonavir (LPV/r). The outcome variables examined were time to achieve viral load (VL) <=400 copies/mL, success in achieving VL <=400 copies/mL and time to virologic failure (VL >400 copies/mL).

Methods: VL (HIV-RNA copies/mL) was quantified with reverse transcription-polymerase chain reaction molecular assay. For each protocol, survival analyses were conducted to determine the probability of achieving VL <=400 copies/mL and rebound of VL.

Results: VL <=400 copies/mL was achieved by 52.4% of children receiving first line HAART, 48.3% receiving second line HAART and 71.5% receiving HAART including LPV/r. Children receiving HAART including LPV/r reached VL <=400 copies/mL in a shorter time than children receiving second line HAART (P = 0.017), but quite similar to children receiving first line HAART. In terms of adjusted relative risk, children receiving HAART including LPV/r were 3.36 [95% confidence interval (95% CI), 1.59, 7.07] more likely to achieve VL <=400 copies/mL than children receiving a different second line HAART. VL rebound occurred in 68.2% children receiving first line HAART, 73.4% receiving second line HAART and 32.4% receiving HAART including LPV/r. Children receiving HAART that includes LPV/r has less incidence of VL rebound (P=0.013) and 3.29 (95% CI 1.04, 10.3) times less risk to achieve a VL rebound than children receiving a different second line HAART.

Conclusions: HAART that includes LPV/r is able to control HIV replication more efficiently than other classic salvage antiretroviral therapies.


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos
 
Hacked by
#TeaMGh0sT

~ DB GOT DROPPED ~