Geriatria/Gerontologia/Idoso - Osteoporose
Esta página já teve 117.096.194 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.650 acessos diários
home | entre em contato
 

Geriatria/Gerontologia/Idoso

Osteoporose

28/02/2005

 


  • Você sabia que em 2041, 25% da população mundial estará acima dos 65 anos e como conseqüência um aumento do número de casos de osteoporose?
  • Você sabia que existe maior chance de você morrer devido a fratura de quadril por osteoporose do que por câncer de mama?
  • Você sabia que a Sociedade Canadense de Osteoporose recomenda que homens e mulheres acima de 50 anos devem ser avaliados quanto aos fatores de risco para osteoporose?

    O que é a osteoporose?
    A osteoporose é a principal doença que acomete o metabolismo ósseo da espécie humana constituindo-se em um dos mais importantes problemas de saúde pública, devido a suas implicações médicas, financeiras e sociais.
    Ela é caracterizada por um distúrbio esquelético que compromete a resistência do osso, predispondo o indivíduo a um maior risco de fratura.

    Quem é acometido pela osteoporose?
    Acomete principalmente mulheres, porém também homens. No Canadá, aproximadamente 1 : 4 mulheres e 1: 8 homens têm osteoporose. Nos Estados Unidos em 2001, 10 milhões de indivíduos tem osteoporose, sendo 20% homens. Crianças mais raramente sob determinadas condições.


  • O osso é uma célula viva?
    Sim, o osso é uma célula viva que permanece ativa em constante processo de formação e reabsorção.

    Quais são as principais células do osso?
    Osteoblastos: responsáveis pela sua formação
    Osteoclastos: responsáveis pela sua reabsorção
    Osteócitos: responsáveis pelo processo de regulação dos níveis de minerais

    Quais são os dois principais tipos de ossos do corpo humano?
    Os principais são: osso cortical, que constitui a sua parede externa e o trabecular que preenche o seu espaço interno.

    Quando é alcançado o pico de massa óssea e quando ela começa a declinar?
    Nas mulheres o pico (máximo da reserva) de massa óssea ocorre por volta dos 16 anos de idade, permanecendo estável até 30 anos e a seguir começa a cair 1% ao ano. Já nos homens, o pico ocorre aos 18 anos de idade, permanecendo estável até os 40 anos. A seguir começa a cair lentamente ao longo dos anos, segundo características individuais de cada pessoa.

    Vários fatores são responsáveis pelo ganho da massa óssea na adolescência :
    1. hereditário: principal (60%);
    2. nutricional: ingestão de cálcio;
    3. endócrino: hormônios sexuais;
    4. mecânico: atividade física orientada, com ênfase aos exercícios de contração dos músculos que atuam contra a força da gravidade e o próprio peso corporal.

    Quais são os principais fatores de risco que identificam indivíduos predispostos para osteoporose?

    Fatores de risco maiores

    • Idade > 65 anos
    • História familiar de fratura por Osteoporose
    • Menopausa precoce (idade <45 anos)
    • Hipogonadismo
    • Fratura de corpo vertebral por Compressão
    • Fratura por fragilidade após os 40 anos
    • Tendência a quedas
    • Uso de cortisona por mais de 3 meses
    • Síndrome de mal absorção intestinal
    • Hiperparatireoidismo primário
    • RX ósseo sugestivo de osteopenia

    Fatores de risco menores

    • Peso corpóreo < 57 kilos
    • Tabagismo
    • Uso abusivo de álcool
    • Uso excessivo de cafeína (café e chá)
    • Baixa ingestão de cálcio
    • Perda > de 10% do peso corpóreo apresentado aos 25 anos de idade
    • Artrite reumatóide
    • Uso crônico de anticonvulsivantes
    • Hipertireoidismo
    • Uso crônico de heparina

    Quais os fatores de risco permanentes para a osteoporose?

    • Sexo: mulheres são mais predispostas que os homens;
    • Idade: risco aumenta com a idade;
    • Constituição corpórea: indivíduos pequenos e magros;
    • Raça: branca e amarela;
    • História familiar: risco de fratura em parte associado à hereditariedade.

    Quais os fatores de risco para a osteoporose que os pacientes podem colaborar?

    • Alimentação balanceada evitando anorexia e obesidade;
    • Utilização de medicamentos, conforme orientação médica;
    • Exercícios físicos para ganho muscular, ósseo e prevenção de quedas;
    • Ingestão suficiente de cálcio e vitamina D;
    • Controle no uso de medicamentos como, cortisona fazendo a sua prevenção;
    • Suspender o tabagismo;
    • Consumo moderado de álcool e café;

    Quais são os quatro principais fatores de risco preditivos para o desenvolvimento de fraturas por osteoporose?

    • Baixa massa óssea;
    • Fratura prévia por fragilidade;
    • Idade;
    • História familiar de osteoporose.

    Como se classifica a osteoporose na mulher?
    A classificação da osteoporose é extensa, entretanto daremos ênfase a osteoporose involucional, que se divide em :

    • osteoporose pós-menopausa: Ocorre maior perda de massa óssea devido a um aumento da formação e reabsorção do osso, conseqüente a diminuição de produção de estrógenos (hormônio feminino). Maior incidência entre 50 a 60 anos de idade, com velocidade maior de perda de massa óssea nos primeiros anos de menopausa, da ordem de 3 a 5% por ano. O osso trabecular é o mais acometido.
    • osteoporose senil: Ocorre uma perda mais lenta de massa óssea decorrente a diminuição da formação e reabsorção óssea. Acomete mulheres em menopausa a mais de dez anos. Os ossos trabecular e cortical são igualmente comprometidos.

    Os homens devem se preocupar com a osteoporose?
    Sim, pois estudos epidemiológicos demonstraram que após os 50 anos de idade, 1 em cada 8 homens terão uma fratura por osteoporose. A cada ano, 80.000 homens tem uma fratura de quadril e 30% dos mesmos morrem em decorrência da mesma no primeiro ano.

    Em relação ao diagnóstico e prevenção da osteoporose em homens , os mesmos tem sido negligenciados pelos médicos e pacientes, e a ocorrência de fraturas tem revelado a sua importância, sendo necessário uma maior atenção.

    A maior resistência muscular dos homens e a atividade física estão associadas a maior massa óssea.

    Como se classifica a osteoporose nos homens?
    A Osteoporose nos homens se classifica em:

    • osteoporose idiopática: Nesta forma, não se identifica doenças ou fatores de risco que possam explicar a perda da massa óssea. Acomete homens com idades entre 20 a 80 anos com maior incidência na sétima década.
    • osteoporose secundária: Nesta forma, se observa 30 a 60% das fraturas da coluna vertebral. Entre suas principais causas, temos: alcoolismo e tabagismo crônico, redução de testosterona, drogas (anticonvulsivantes, heparina, cortisona, hormônios tiroideanos), hiperparatireoidismo, hipertireoidismo, cirrose hepática, doenças inflamatórias intestinais, artrite reumatóide , espondilite anquilosante, diabetes mellitus , insuficiência renal, transplantes de órgãos, vida sedentáriar e imobilização prolongada.

    Osteoporose é uma doença que apresenta sintomas?
    A osteoporose é uma doença indolor, entretanto quando ocorrer uma fratura ou micro fraturas pode ser sintomática apresentando:

    • Redução da altura do indivíduo;
    • Retificação da lordose da coluna lombar;
    • Alteração do diâmetro da caixa torácica (infecções respiratórias);
    • Alteração da forma abdominal (obstipação intestinal crônica).

    Qual o risco de homens e mulheres desenvolverem fraturas por osteoporose?
    O risco estimado do desenvolvimento de fraturas durante a vida depende da região do corpo acometida.

    Em mulheres a fratura da coluna vertebral é observada em 16% , proximal do fêmur (osso da perna) em 17,5%, do radio distal (osso junto ao punho) em 16% e qualquer uma das três em 39,7%.

    Homens apresentam uma menor incidência, a fratura da coluna vertebral em 5%, proximal do fêmur em 6%, distal do rádio em 2,5% e qualquer uma das três em 13,1%.

    Quais são as principais conseqüências das fraturas?
    As fraturas são responsáveis por uma série de efeitos indesejáveis que incluem mortalidade, dependência física, custos financeiros e a incapacidade ao trabalho.

    Entre as fraturas, a do quadril é aquela com maior impacto pois reduz a expectativa do tempo de vida em até 20% dos acometidos. As mortes ocorrem imediatamente ou nos primeiros 6 meses de sua ocorrência, geralmente devido a complicações clínicas como trombose venosa profunda, embolia pulmonar, pneumonia e infecções do trato urinário.

    Do ponto de vista social às fraturas promovem incapacidade funcional crônica, com prejuízo da qualidade de vida. Dependência parcial ou total em 6,7% dos casos, e admissão precoce em casas de repouso em 7,8%, sendo a fratura de quadril responsável por 30% das incapacidades.

    O custo econômico direto das fraturas por osteoporose (hospitalização e casas de repouso) foi estimado nos Estados Unidos em 14 bilhões de dólares a cada ano.

    Qual o exame mais freqüentemente utilizado para o diagnóstico de osteoporose e sua importância?
    O principal exame é a densitometria óssea. É um método destituído de risco e de baixo custo que avalia a quantidade de massa óssea, permitindo melhor avaliação e seguimento do risco de fraturas, bem como, seguimento da eficácia do tratamento clínico.

    Deve ser sempre realizado no mesmo equipamento .

    O risco de fratura por osteoporose é inversamente proporcional à medida da densidade óssea , sendo que, a cada desvio padrão de queda aumenta o seu risco de 1,5 a 3 vezes. Entre os 40-80 anos, a cada 10 anos o risco de fratura dobra.

    O ultra-som de calcâneo, tem sido utilizado para medir a quantidade da massa óssea. Ele parece ser efetivo para estimar o risco de fratura em mulheres acima de 65 anos, porém, apresenta evidencias limitadas para pacientes abaixo de 65 anos e não permite um bom acompanhamento clínico.

    Na atualidade também podemos pesquisar várias substancias liberadas pelas células do osso, marcadores bioquímicos que refletem o índice de formação e reabsorção óssea.

    Os principais marcadores de formação são: osteocalcina, fosfatase alcalina e o peptídeo pró colágeno I carboxi-terminal (PICP) e os marcadores de reabsorção são; deoxipiridinolina, piridinolina, hidroxiprolina e o colágeno tipo I de N telopeptídeo de ligação cruzada (NTX).
    Alguns desses marcadores são dosados no sangue outros na urina. A utilização na rotina clínica é limitada a alguns.

    Como devemos tratar a osteoporose?
    A osteoporose deve ser sempre tratada inicialmente por ações não farmacológicas e após farmacológicas, sob orientação médica.

    Quais as medidas não farmacológicas no tratamento da osteoporose?
    As medidas não farmacológicas incluem particularmente a conscientização do indivíduo em mudar o seu estilo de vida, adquirido ao longo da vida .Estas devem ser iniciadas desde a infância e adolescência orientadas por seu médico pediatra.

    • Alimentação saudável e balanceada

    A suplementação adequada de cálcio e vitamina D é essencial para a prevenção da osteoporose, com doses a serem ajustadas de acordo com as várias faixas etárias.

    O consumo de café e álcool deve ser moderado. A cafeína em excesso (> 4 xícaras de café/dia) esta associada à fratura de quadril em homens e mulheres.

    Uso excessivo do sódio (sal) não é recomendado. Dietas que excedam 2100 mg de sódio por dia podem ser prejudiciais na manutenção da massa óssea em homens e mulheres.
    Não existem evidências científicas na utilização de magnésio, zinco, fósforo, flúor e cobre.

    • Exercícios físicos

    A atividade física, contra a resistência, deve ser estimulada desde a infância, sendo indicados exercícios de impacto e esportes. A natação não contribui para o ganho de massa óssea

    Em relação a prevenção das quedas ,são essenciais exercícios de treino de marcha e fortalecimento muscular por meio de condicionamento físico orientado.

    • Exposição cuidadosa ao sol

    Estimula a síntese de vitamina D.

    • Abolir o uso do tabaco

    Qual é o principal objetivo do tratamento medicamentoso na osteoporose?
    Pelo fato da osteoporose ter múltiplas causas, as várias drogas ministradas para a sua prevenção e tratamento devem ser individualizadas após estudo criterioso de cada indivíduo. O tratamento medicamentoso tem como objetivo proteger o patrimônio ósseo residual preservando a integridade estrutural do esqueleto, assim promovendo uma redução do risco de fraturas .

    Como são classificados os principais medicamentos utilizados no tratamento da osteoporose?
    Os fármacos que atuam sobre o tecido ósseo são classificados em dois grupos:

    • Anti-reabsortivos: maioria das drogas , que procuram reduzir a reabsorção óssea. Algumas diminuem os riscos de fraturas outras, não.
    • Estimuladores: procuram aumentar a formação de massa óssea.

    Quais são os principais medicamentos anti-reabsortivos?

    • Bisfosfonatos - Servem para prevenção e tratamento da osteoporose e fraturas de coluna como de fêmur e punhos, em homens como mulheres.
    • Terapêutica de Reposição Hormonal (TRH) - Utilizada para prevenção e tratamento de osteoporose pós-menopausa.Deve ser utilizada com cautela sempre orientado pelo ginecologista devido a seus riscos, particularmente cardiovasculares, derrame cerebral e câncer de mama.
    • Moduladores seletivos de receptores de estrógenos (SERMs) - É eficiente na prevenção de fraturas vertebrais em mulheres na menopausa. Sua utilização deve ser criteriosa pois aumenta o risco de tromboembolismo venoso.
    • Calcitonina - Auxiliam no tratamento da dor associada a fratura e osteoporose severa.
      Em relação a isoflavona (soja), não existem evidências de seus benefícios na prevenção e tratamento de osteoporose.

    Quais são os principais agentes estimulantes de formação?

    • Hormônio da paratireóide- hPTH(1-34)- É um agente recentemente comercializado que tem como objetivo aumentar massa óssea. Também é eficiente na prevenção de fraturas vertebrais e de outras localizações em mulheres e homens com osteoporose severa.

      O fluoreto de sódio, de eficácia não comprovada,tem sido pouco utilizado.

    Qual a conclusão final que podemos ter sobre a osteoporose?
    A osteoporose é uma afecção que vem apresentando morbidade e mortalidade crescente e pode ser prevenida. As manifestações clínicas devido a fraturas podem ser extremamente dolorosas, desfigurante e incapacitante.

    www.portaldacoluna.com.br


    IMPORTANTE

    •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
    • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
    Publicado por: Dra. Shirley de Campos
    versão para impressão

    Desenvolvido por: Idelco Ltda.
    © Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos