Medicina Esportiva/Atividade Física - Como ser um atleta
Esta página já teve 114.052.179 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.852 acessos diários
home | entre em contato
 

Medicina Esportiva/Atividade Física

Como ser um atleta

25/03/2005

Nem sempre é fácil suportar as responsabilidades e problemas comuns do dia-a-dia, seja no trabalho ou em casa. Para aliviar o estresse e as tensões acumuladas, faça uma atividade física como a corrida. Além de ajudar a melhorar o bem-estar, qualidade de vida e elevar a auto-estima, com esse exercício, você ainda reduz a quantidade de gordurinhas indesejáveis e queima entre 400 e 700 calorias em uma hora.

Uma das principais vantagens da corrida é que se trata de uma atividade que você pode desenvolver em qualquer lugar. Corra na esteira da academia de ginástica ou em um parque, o importante é não ficar parado. Ricardo Munir Nahas, fisioterapeuta e presidente da Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte, explica que, dependendo do condicionamento físico da pessoa, o aconselhável é iniciar a atividade com uma caminhada, aumentando o ritmo gradativamente, até correr.

Você pode começar realizando a atividade três vezes por semana. Inicie caminhando de 10 a 15 minutos. Em seguida, corra de três a seis minutos. Ande novamente por mais três ou cinco minutos, agora para descansar da fase da corrida. Volte a correr de três a seis minutos, repetindo toda seqüência até completar entre 45 e 60 minutos de exercício.

Marcus Vinicius, professor de Educação Física, ressalta que o segredo para um bom resultado com a atividade física é a regularidade. Além disso, é importante associar a corrida a uma outra atividade como a musculação, que prepara o músculo para correr, e o alongamento, para evitar problemas nas articulações. Se a musculatura das pernas e/ou coxas não estiverem fortes suficientemente para correr, com o passar do tempo, isso causará uma diminuição da massa muscular e provocará lesões.

Transforme a atividade física em um momento agradável e especial na sua vida. Se a corrida for realizada ao ar livre, preste atenção nos possíveis buracos que aparecerão no caminho, para não torcer o pé. “Procure variar os terrenos, corra na grama, asfalto e na terra de forma alternada, assim os riscos de um problema nas articulações por causa do impacto, serão menores”, diz Thiago Castro, técnico de Corrida da Bio Ritmo Academia de São Paulo.

Qualquer pessoa pode correr, desde que não tenha nenhum problema nos joelhos, na coluna etc, já que esse exercício trabalha principalmente os músculos das coxas, pernas e quadril. Mesmo que esteja tudo bem com você, é importante consultar um médico antes de iniciar qualquer atividade física.

Use roupas de tecidos leves e confortáveis, que não impedem o movimento. O algodão é uma boa opção, pois absorve melhor o suor. Não esqueça de escolher um par de tênis fabricado especialmente para esse tipo de atividade. Ele deve ser:

  • Confortável (que não aperte os pés);
  • Flexível;
  • Leve;
  • Com amortecedores;
  • Solado resistente.

Por que correr?

  • Ajuda a emagrecer;
  • Queima gordura e calorias;
  • Trabalha os músculos da perna, coxa e quadril;
  • Aumenta a eficiência do metabolismo;
  • Reduz a pressão arterial;
  • Diminui o colesterol;
  • Melhora a circulação e a resistência cardiorrespiratória;
  • Ativa a circulação sangüínea, diminuindo problemas do coração.

Durante uma corrida, a freqüência cardíaca (FC) deve ficar entre 60% e 75% da FC máxima, que é igual a 220 menos a idade da pessoa. Assim você terá menos chances de sentir dores articulares e/ou musculares após o exercício.

Quem é que nunca sentiu aquela dor no abdômen enquanto corre? Isso é normal, principalmente se você está começando. Essa dor acontece porque o diafragma não está acostumado com a atividade física. Com a melhora do condicionamento físico, ela desaparece.

Na hora de correr

  • Permaneça em uma postura confortável. O indicado é ficar em uma posição reta, com uma leve inclinação para frente. Nada de ficar com os ombros caídos e com a cabeça pendurada;
  • Relaxe as mãos, braços e ombros, mantendo um movimento rítmico;
  • Olhe sempre para frente, focalizando entre dez a 20 metros, com a cabeça reta;
  • Movimente a perna de maneira natural a partir dos quadris, sem suspender demais os joelhos e pés;
  • Coloque primeiro o calcanhar no chão e o restante do pé vai descendo naturalmente.

Especialistas consultados

- Ricardo Munir Nahas – (11) 3864-3540
- Marcus Vinicius – (11) 5083-6900
- Thiago Castro – www.bioritmo.com.br - (11) 3365-0800
xenicare


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos