Nutrologia/Alimentos/Nutrição - Multimistura como complemento alimentar em crianças com déficits nutricionais
Esta página já teve 115.745.627 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.704 acessos diários
home | entre em contato
 

Nutrologia/Alimentos/Nutrição

Multimistura como complemento alimentar em crianças com déficits nutricionais

22/05/2005

A desnutrição infantil é um problema de base fundamentalmente sócio-econômica, que continua a preocupar o Brasil, principalmente quando olhamos para a região Nordeste. Nela encontram-se cerca de 50% do total de todo país de crianças com déficits de peso ou estatura. Apesar da relativa redução (aproximadamente um terço) nos índices de desnutrição em crianças até cinco anos desde a década de 70, os números hoje ainda permanecem alarmantes, podendo agravar-se conforme caminhamos para as regiões mais miseráveis.

Soluções alternativas emergem nesse contexto, na tentativa de suprir a carência de ações do poder público. Uma dessas propostas foi a adoção da “multimistura” – composição formulada a partir de casca de ovo, pó de folha de mandioca e farelo de trigo, na proporção 1:1:8 – como suplemento alimentar. Grande parte da aceitação dessa alternativa esteve no fato de ser ela de fácil acessibilidade, baixo custo, preparação caseira e ainda por não interferir nos hábitos alimentares da população. Contudo, o meio acadêmico ainda apresenta muita resistência quanto a sua utilização. Nesse sentido, o pesquisador Haroldo da Silva Ferreira e sua equipe realizaram um estudo na tentativa de avaliar a eficiência da utilização da multimistura, bem como suas possíveis conseqüências negativas, e apresentam esse trabalho no artigo publicado na edição de janeiro/fevereiro de 2005 da Revista de Nutrição.

A pesquisa contou com 56 ratos Wistar, caracterizados por desnutrição pós-natal, que foram divididos em sete grupos de acordo com a dieta a qual foram submetidos. Um grupo composto por oito ratos foi mantido como controle e os demais foram divididos entre aqueles que recebiam uma alimentação com carência de vitaminas, de sais minerais ou ainda de ambos simultaneamente, e também aqueles que tiveram essas três carências suplementadas com 4g da multimistura para cada 100g de dieta.

Ao final de 28 dias todos apresentaram desempenho inferior ao do grupo controle, com coeficientes de eficiência protéica (CEP) e coeficientes de eficiência alimentar (CEA) menores que 0,05. A exceção ficou por conta do grupo que recebeu dieta com deficiência em vitaminas mais a multimistura, o qual atingiu o mesmo nível da dieta controle. Aqueles que receberam uma alimentação com deficiência de minerais e também a multimistura, apesar de apresentarem coeficientes menores do que os do grupo controle, mostraram um desempenho significantemente superiores aos que não tiveram a mistura adicionada à dieta, sendo este (deficiência de minerais) o grupo de pior desempenho durante toda a pesquisa.

No caso da pesquisa em questão, a multimistura foi fornecida pela Pastoral da Criança de Maceió, que desseca e pulveriza os ingredientes para posteriormente homogeneizar e levá-los a torrefação por 10 minutos em fogo baixo. Todos esses cuidados no intuito de garantir que sejam destruídos os microorganismos e inativadas quaisquer substâncias tóxicas que possam existir. Contudo, como afirmam os autores, “uma dificuldade relacionada ao estudo da efetividade da multimistura como suplemento dietético, decorre da própria concepção de sua proposta: ela não tem uma composição uniforme”. Essa característica além de proporcionar resultados conflitantes entre diferentes pesquisas, também dificulta o controle de qualidade de seu padrão microbiológico e físico-químico. Exemplo disso é que já foram encontrados em multimisturas tanto restos de insetos quanto valores de coliformes fecais acima do permitido.

Ainda assim, os pesquisadores defendem o uso da multimistura e afirmam que ela “parece suprir razoavelmente os requerimentos vitamínicos dos animais; porém, apenas parcialmente, suas necessidades minerais”. Mas completam lembrando que ainda “há necessidade de estudos que esclareçam quais suas reais potencialidades, de modo que sua utilização, em situações e contextos epidemiológicos específicos, possa ser indicada”. De qualquer maneira, havendo o controle de qualidade, a multimistura parece ser um bom recurso no auxilio da complementação alimentar de crianças com déficits de nutrição, contudo é preciso enfatizar que ela não substitui uma alimentação adequada, sendo apenas uma solução paliativa.

Também, de acordo com os autores, após a pesquisa, foi sugerido à Pastoral da Criança de Maceió e esta prontamente adotou que fossem retiradas as fontes de carboidratos, tendo em vista que a função do suplemento é essencialmente vitamínica e mineral.

Agência Notisa (jornalismo científico - science journalism)


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos
 
Hacked by
#TeaMGh0sT

~ DB GOT DROPPED ~