Dietas/Emagrecimento - Aderência a dietas da moda é pequena e diminui com o tempo
Esta página já teve 110.990.326 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.775 acessos diários
home | entre em contato
 

Dietas/Emagrecimento

Aderência a dietas da moda é pequena e diminui com o tempo

06/06/2005


Data:            03/06/2005
Autor(a):       Patricia Logullo

Trabalho prospectivo e randomizado realizado em um centro médico de Boston, nos Estados Unidos, aplicou quatro diferentes dietas da moda a uma população de 160 pessoas com sobrepeso ou obesos. Nenhuma delas mostrou melhores resultados em relação à perda de peso ou redução do risco para doença cardiovascular e a aderência individual a todas elas caiu muito no decorrer de um ano. “Embora percentual substancial dos participantes tenham conseguido cumprir as orientações, nenhuma dieta levou a níveis satisfatórios de aderência e a queda progressiva na adesão média foi praticamente igual nas quatro propostas”, informa a publicação. “O abandono da dieta foi maior na Atkins e na Ornish, o que sugere que muitas pessoas talvez as tenham achado muito rígidas”.

A mais famosa das dietas da moda nos Estados Unidos, a de Atkins, exige extremamente radical redução na ingestão de carboidratos. A dieta dos Vigilantes do Peso promove redução nas porções de comida e na ingestão calórica. A dieta Zone modula o equilíbrio entre diferentes macronutrientes para controle insulinêmico e a Ornish restringe a ingestão de gordura. Qual delas é a melhor em termos de perda de peso e marcadores de risco cardiovascular, como colesterol, glicemia e gordura abdominal visceral?

Teoricamente, a melhor dieta seria a que levasse o indivíduo a atingir seu peso ideal e manter-se nele, e que oferecesse, ao mesmo tempo, segurança quanto à redução dos marcadores de risco para doença cardiovascular. Os pesquisadores desenharam, sob essa perspectiva, um estudo em que esses marcadores eram avaliados ao longo do tempo em intervalos regulares e desconhecidos previamente pelos participantes: aos dois e aos seis meses e em um ano. Nos dois primeiros meses, todos deveriam seguir rigidamente as recomendações de cada dieta. Nos 10 meses subseqüentes, os indivíduos podiam obedecer ou não ás orientações e essa aderência às regras foi medida por dois instrumentos: auto-avaliação e recordatório alimentar.

Ao final do ano, a diminuição do peso foi significativa para os seguidores de todas as dietas, porém sem diferença entre elas (ou seja, nenhuma dieta foi capaz de promover maior perda de peso que outra), mesmo assumindo perda de peso nula para os que abandonaram a pesquisa no meio. A perda de peso foi maior entre os que disseram ter cumprido as regras mais freqüentemente. Não houve diferença estatisticamente significativa quanto às frações de colesterol, proteína C-reativa e insulina entre as dietas e as modificações nesses marcadores estavam associadas à perda de peso. “Isso mostra que a adesão à dieta, mais do que o tipo da dieta, é a chave determinante dos benefícios clínicos”, afirmam os autores. Glicemia e pressão arterial não se alteraram ao final de um ano em nenhuma dieta.

“Descobrimos que uma variedade de dietas da moda pode ajudar a reduzir o peso e muitos fatores de risco cardiovascular em condições clinicamente realistas, porém apenas para a minoria dos indivíduos que podem sustentar uma alta adesão à dieta”, concluíram os pesquisadores, alertando para o fato de que nenhuma das quatro dietas analisadas se mostrou melhor que as outras.

Mais resultados

  • Os escores de aderência de acordo com os recordatórios alimentares e a auto-avaliação foram altamente associados com a duração do estudo e diminuíram com o tempo, igualmente para todas as dietas

  • Cerca de 25% dos participantes conseguiram apresentar escore de aderência de 6,0 (de um total de 10,0), o que os pesquisadores consideraram clinicamente significativo

  • Ao final do ano, a redução na ingestão calórica em comparação com o início do estudo foi de:

    • 138 kcal para a dieta Atkins

    • 251 kcal para a dieta Zone

    • 244 kcal para a Vigilantes do Peso

    • 192 kcal para Ornish

  • A diferença na redução da ingestão calórica comparando-se as quatro dietas entre si não foi significativa (p = 0,70), o mesmo valendo para a perda de peso (p = 0,40)

  • Cerca de 25% dos participantes inicialmente inscritos em cada grupo conseguiram, em um ano, perder mais que 5% de seu peso inicial

  • Cerca de 10% dos participantes inicialmente inscritos em cada grupo conseguiram, em um ano, perder mais que 10% de seu peso inicial

  • A perda de peso em um ano foi altamente associada à redução da medida da cintura para todas as dietas, sem diferença entre elas

  • Entre as mulheres, houve redução média (desvio-padrão) de 2,4 kg (5,1 kg) em um ano e, entre os homens, 3,3 kg (6,4 kg), sem diferença significativa entre os gêneros

  • Entre as mulheres, a medida da cintura reduziu-se, em média (desvio-padrão), 2,3 cm (4,5 cm) em um ano e, entre os homens, 3,1 cm (5,8 cm), sem diferença significativa entre ambos

  • A perda de peso foi fortemente associada com a aderência à dieta de acordo com a auto-avaliação: participantes no primeiro tercil de aderência perderam 7% do peso corpóreo em média

  • Atkins não conseguiu reduzir LDL significativamente



Bibliografia(s)

Dansinger ML, Gleason JA, Griffith JL, Selker HP, Schaefer EJ. Comparison of the Atkins, Ornish, Weight Watchers, and Zone diets for weight loss and heart disease risk reduction: a randomized trial. JAMA. 2005;293(1):43-53.

Nutritotal


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos