Gastroenterologia/Proctologia/Fígado - Análise do enema contrastado com bário, colonografia por tomografia computadorizada e colonoscopia: comparação prospectiva
Esta página já teve 115.240.020 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.722 acessos diários
home | entre em contato
 

Gastroenterologia/Proctologia/Fígado

Análise do enema contrastado com bário, colonografia por tomografia computadorizada e colonoscopia: comparação prospectiva

08/06/2005
Lancet 2005;365(9454):305-11
ROCKEY DC, PAULSON E, NIEDZWIECHI D, ET AL

O enema contrastado com bário e a colonoscopia são exames de imagens usualmente utilizados para a detecção de pólipos e câncer de cólon. Esses exames têm vantagens e desvantagens em potencial. Muitos clínicos preferem a colonoscopia ao enema contrastado por acreditarem que a primeira apresenta melhor acurácia. Entretanto, itens como custo, segurança, disponibilidade e desconforto do paciente são favoráveis ao enema contrastado. A colonografia tomográfica computadorizada (também conhecida por colonoscopia virtual) foi introduzida na última década como método de imagem colônica. Porém, o quão úteis são essas técnicas de imagem do cólon atualmente disponíveis – incluindo enema contrastado com bário, colonografia por tomografia computadorizada e colonoscopia – para a detecção de pólipos e câncer permanece incerto. Os autores avaliaram a sensibilidade dessas três técnicas. Pacientes com sangue oculto nas fezes, melena, anemia por deficiência de ferro ou histórico de câncer de cólon foram submetidos aos três exames (enema contrastado com bário, seguido de tomografia e colonoscopia após 7-14 dias). O objetivo primário do estudo foi a detecção de pólipos e câncer. Os resultados foram avaliados pela construção de uma visão completa do cólon por meio dos resultados das três técnicas de exames. Seiscentos e quatorze pacientes completaram as três análises. Quando realizada análise por paciente, para lesões de 10 mm ou maiores (n=63), a sensibilidade do enema com bário foi de 48% (95% IC; 35-61), da tomografia, de 59% (46-71, p=0,1083 para tomografia versus enema contrastado), e da colonoscopia, de 98% (91-100, p<0,0001 para colonoscopia versus tomografia). Para lesões de 6 a 9 mm (n=116), a sensibilidade foi de 35% para o enema contrastado (27-45), 51% para a tomografia (41-60, p=0,008 para tomografia versus enema contrastado) e 99% para a colonoscopia (95-100, p<0,0001 para colonoscopia versus tomografia). Para lesões de 10 mm ou maiores, a especificidade foi maior para a colonoscopia (0,996) quando comparado com enema contrastado (0,90) ou tomografia (0,96), e mais reduzida para enema contrastado e tomografia quando lesões menores foram consideradas. Os autores concluem que a colonoscopia foi mais sensível do que os outros exames, do modo que são realizados atualmente, para a detecção de pólipos e câncer do cólon. Esses dados têm importantes implicações para o uso diagnóstico de exames de imagem do cólon.

www.dialogocientifico.com.br


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos
 
kill yourself rogue.