alergia - Desencadeantes da Asma e da Rinite Alérgica
Esta página já teve 111.052.469 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.784 acessos diários
home | entre em contato
 

alergia

Desencadeantes da Asma e da Rinite Alérgica

09/07/2005
A asma é uma doença crônica que acomete 10% da população brasileira, sendo responsável, anualmente, por 400.000 internações hospitalares, 2.000 óbitos, número incontável de atendimentos ambulatoriais, principalmente em salas de urgência, e de faltas ao trabalho e à escola.
A asma é caracterizada por, tosse, sensação de aperto no peito, respiração curta e chiado no peito.
Se você tiver asma, os seus sintomas podem ser reduzidos se você evitar os fatores que provocam seus sintomas e trabalhando junto com o seu médico para desenvolver um plano adequado para o combate e prevenção das crises.

Os principais fatores desencadeantes de asma são:
· alérgenos (poeira, mofo, epitélio de animais) e fatores irritantes;
· infecções virais ou dos seios da face;
· exercício;
· doença do refluxo gastroesofágico;
· medicações ou alimentos;
· ansiedade (fatores emocionais)

A rinite alérgica é considerada um fator de risco para asma. Aponta-se que até cerca de 78% dos pacientes com asma têm também rinite alérgica (http://www.sbai.org.br/publico2.htm). Os sintomas de ambos podem ser desencadeados pelos mesmos alérgenos. Estes podem também incluir polens e mofos transportados pelo ar (em determinadas épocas do ano - http://www.sbai.org.br/publico4.htm ), pêlos de animais (flocos inoperantes da pele), os ácaros da poeira de casa e da barata, e mofo. (http://www.sbai.org.br/publico1.htm)

Se sua asma for provocada por alérgenos é importante evitar a sua exposição a eles. Informe-se com seu alergista/imunologista sobre as recomendações e as medidas de controle do ambiente que ajudam evitar os alérgenos.
Algumas substâncias não alergênicas também desencadeiam asma porque agravam a rinite alérgica. Estas substâncias, chamadas irritantes, podem provocar a asma. Alguns exemplos incluem:
· os poluentes do ar, tais como a fumaça de cigarro, a da combustão da madeira, os produtos químicos no ar e o ozônio;
· exposição ocupacional a alérgenos e aos vapores, à poeira, aos gases ou às emanações;
· odores fortes ou pulverizadores, tais como perfumes, produtos de limpeza da casa, emanações do ato de cozinhar (especialmente algumas frituras), pinturas ou vernizes,
· outras partículas transportadas pelo ar, tais como a poeira de carvão, o pó de giz ou o pó do talco; condições de mudança de · tais como mudanças na temperatura e na umidade, pressão barométrica ou ventos fortes.
Todos estes irritantes podem agravar a asma, principalmente o cigarro (tabaco). Diversos estudos relataram uma incidência aumentada de asma nas crianças cujas mães fumam. Ninguém deve fumar na presença de um asmático, assim como no interior do seu quarto.
Infecções virais, como gripes ou pneumonias virais, podem provocar ou agravar a asma, especialmente em crianças pequenas. Estas infecções podem irritar as vias aéreas, o nariz, a garganta, os pulmões e os seios da face, e esta irritação provoca freqüentemente crises de asma. Além disso, a sinusite (inflamação das cavidades ocas encontradas em torno dos olhos e atrás do nariz) pode provocar a asma. Os sintomas de sinusite podem incluir chiado, o gotejamento pós-nasal, a tosse – noturna, as dores de cabeça, a pressão ou a dor no rosto ou aumento dos linfonodos (ínguas). Acredita-se que a drenagem do muco pela garganta e pelos brônquios, causada pela sinusite, pode provocar ou agravar a asma.
O exercício físico extenuante pode também provocar crises asmáticas. A respiração pela boca no frio, o ar seco, ou em atividades prolongadas podem aumentar a probabilidade da asma induzida por exercício. (http://www.sbai.org.br/publico3.htm)
A doença do Refluxo Gastroesofágico, uma circunstância em que o ácido do estômago reflui pelo esôfago, afeta um grande número de asmáticos. Os sintomas incluem regurgitação grave ou repetida, dor retroesternal (atrás do peito) em queimação, asma à noite, sintomas de asma após refeições ou exercícios. O tratamento do refluxo é freqüentemente benéfico para a melhora dos sintomas da asma.
Alguns adultos com asma podem ter crise aguda de asma em conseqüência do uso de determinados medicamentos. Estes podem incluir a aspirina ou outras drogas antiinflamatórias não derivadas de esteróides, como o diclofenaco e o ibuprofeno, assim como beta-bloqueadores (usados para tratar o coração, a hipertensão arterial ou as enxaquecas). Até 19 % dos pacientes adultos tem crises de asma desencadeadas por aspirina ou por intolerância a drogas antiinflamatórias não derivados de esteróides. Os pacientes com asma devem consultar seus médicos para uma orientação sobre que medicamentos podem tomar.
Aproximadamente 6% a 8 % das crianças com asma, têm crises desencadeadas por determinados alimentos ou por aditivos alimentares. Os principais alimentos envolvidos no desencadeamento da crise asmática são: leite de vaca, ovo, amendoim, carne de porco, soja, trigo, peixes e o marisco. Nestes casos o melhor a fazer é evitar o alimento que desencadeou a crise.
Os fatores emocionais isolados não provocam a asma, entretanto, a ansiedade e o estresse podem causar a fadiga, que pode também aumentar os sintomas da asma e agravar uma crise.
O descanso, a nutrição e o exercício apropriados são importantes para o bem estar do paciente asmático e podem colaborar no controle desta doença.
Procure a orientação de um alergista/imunologista, ele poderá ajudá-lo muito.

SBAI


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos