Genética/Clonagem/Terapia gênica - Casamentos consangüíneos apresentam maior risco de gerar crianças com doença hereditária
Esta página já teve 114.595.426 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.787 acessos diários
home | entre em contato
 

Genética/Clonagem/Terapia gênica

Casamentos consangüíneos apresentam maior risco de gerar crianças com doença hereditária

14/07/2005

14/7/2005

Há quinze anos, Elenara Maria de Queiroz Moura estava grávida - e a cena de uma novela não lhe saía da cabeça. Um casal de primos queria ter filhos e procurara um ginecologista. Quando soube que os clientes eram parentes próximos, o doutor do folhetim televisivo fora taxativo: era melhor evitar a gravidez.

Casamentos consangüíneos apresentam maior risco de gerar crianças com alguma doença hereditária. Se queriam descendentes, era mais prudente adotar um, sentenciara o médico. Elenara, então com 20 anos, tinha motivos para se preocupar.

Era casada com José Moura Sobrinho, um primo em primeiro grau cinco anos mais velho. Ambos eram naturais de Serrinha dos Pintos, um município de 4.300 habitantes, distante 370 quilômetros a oeste de Natal, no Rio Grande do Norte, onde subir ao altar com um parente é um costume local. E tinham na família 'deficientes', tios confinados a cadeiras de rodas devido a uma misteriosa doença que, paulatinamente, enrijece e enfraquece primeiro pernas e depois braços, além de afetar a postura em geral e, em menor intensidade, a visão e a fala.

Apesar dos temores, Isabela, a primogênita do casal, nasceu normal. 'Fiquei aliviada e pensei que estava tudo bem', relembra Elenara. 'Engravidei da minha segunda filha sem medo.' Mas a história de Paulinha, a caçula de 10 anos, foi diferente.
 
Fonte: Governo do Estado de São Paulo
 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos