Stress/estresse - Bebidas estimulantes mascaram a fadiga
Esta página já teve 117.081.816 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.653 acessos diários
home | entre em contato
 

Stress/estresse

Bebidas estimulantes mascaram a fadiga

18/07/2005

"Seja para garantir horas extras de estudo durante a madrugada ou para curtir com disposição uma festa badalada, as bebidas energéticas estão conquistando a população, sobretudo das faixas etárias mais jovens. Grande parte dos usuários, no entanto, não faz a menor idéia do que está ingerindo e dos riscos que o produto pode trazer. Popularmente conhecidas como energéticas, as bebidas que excitam o sistema nervoso são, na verdade, estimulantes. A diferença está no fato de que a bebida energética tem um teor elevado de carboidratos, que ajuda na recuperação da energia após treinos, competições ou durante os intervalos de atividades físicas prolongadas. No mercado brasileiro, há produtos energéticos como o Sport Energy e o Carb-up. Já as bebidas estimulantes, à venda em bares e casas noturnas, são produtos que têm, além dos carboidratos que fornecem energia para o organismo, substâncias excitantes para o sistema nervoso, como a cafeína. Depois da ingestão de uma bebida estimulante, o usuário tem a sensação de que está mais disposto. No Brasil, há marcas conhecidas como o Red Bull e o Flying Horse."

Vício

As bebidas estimulantes conseguem mascarar a fadiga do indivíduo, o que nem sempre é um fator conveniente. "A pessoa que consome este tipo de produto pode não detectar a tempo uma possível lesão muscular ou articular por overdose de treino", alerta a nutricionista Carmen Zita Pinto Coelho. A nutricionista afirma que a bebida também pode viciar. Os usuários freqüentes podem ter o desempenho reduzido quando não consumirem antes a cafeína. Carmen Zita explica que se a pessoa não abre mão de usar a bebida estimulante, o melhor é escolher uma competição prolongada e importante para ingeri-la - no início e nos intervalos -, evitando que seu consumo se torne um hábito em todas as competições e ocasiões.

Isotônicas

Outro tipo de bebida que também conquistou o mercado são as isotônicas, como Gatorade, SportDrink e Energyl C. As isotônicas provocam a hidratação, possibilitando também a reposição de carboidratos em concentrações consideradas pequenas - de 6% a 8% - e de eletrólitos, que são substâncias que se perdem no suor. "A bebida isotônica deve ser consumida com regularidade a partir de uma hora após o início da atividade física. Antes deste período, o ideal é priorizar a ingestão de água", explica a nutricionista. As bebidas isotônicas também são usadas em festas para a reidratação e a reposição de pequenas quantidades de glicose e eletrólitos.

A verdadeira bebida energética, rica em carboidratos, não deve ser consumida por pessoas diabéticas. Para os demais indivíduos, que querem recuperar a energia rapidamente após a atividade física, o consumo não traz problema. No entanto, o usuário deve ficar atento à quantidade de calorias ingeridas, que precisa estar de acordo com a dieta diária recomendada. "Já as bebidas estimulantes são contra-indicadas para pacientes com hipertensão e cardiopatias, pessoas nervosas ou com problemas psiquiátricos, além de diabéticos e indivíduos com insônia", recomenda Carmen Zita.

Desidratação

Um dos riscos de consumir a bebida estimulante e o álcool é a desidratação. Tanto o álcool quanto a cafeína são produtos potencialmente diuréticos. Por isso, a orientação é para que o usuário alterne a ingestão do estimulante com grandes quantidades de água.

A cafeína não é a única fonte de preocupações dos especialistas da área de saúde. Algumas bebidas também contêm a droga efedrina, que é um estimulante, normalmente encontrado em descongestionantes nasais. Segundo alguns médicos, a cafeína misturada com a efedrina pode causar sérios problemas cardíacos. O aminoácido natural taurina é outro componente de algumas bebidas deste tipo. Em alguns alimentos, este aminoácido é encontrado em pequenas quantidades. Nas bebidas estimulantes, no entanto, sua concentração é semelhante à encontrada em 500 taças de vinho. Em grandes quantidades, acredita-se que o taurina potencialize o efeito dos demais estimulantes presentes na bebida. Seus efeitos em longo prazo ainda não foram estudados.

Comercialização

Se consumida por muito tempo e com freqüência, a bebida estimulante pode causar alterações no sistema nervoso. Por seus efeitos no organismo e seu teor de cafeína, as bebidas energéticas são produtos que têm a venda acompanhada com cuidado em outros países. No Canadá, França e Dinamarca, diversas bebidas estimulantes não foram aprovadas. O produto austríaco Red Bull, responsável por metade do mercado norte-americano e um sucesso de vendas no Brasil, foi um deles.

Apesar das restrições em alguns países, as bebidas estimulantes têm conseguido o registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), órgão responsável pelo controle do produto no Brasil. Segundo a Anvisa, 31 marcas têm autorização para serem comercializadas no País. Red Bull, Ninja, Blue Energy Xtreme, Red Dragon, Ecstasy, Liquid Energy, Sky Horse Energy Drink, Repique, Dynamite, First One Atomic Energy Drink, Strength Bulls-Energy Drink, Flyng Horse-Booster e On line são algumas das bebidas estimulantes regularizadas.

Carmen Zita não recomenda o consumo das bebidas estimulantes. Segundo ela, o produto pode ser usado, mas em casos esporádicos. "Se alguém precisa estar em uma festa e está desanimado, uma dose não faria mal, mas isto não pode se tornar um hábito. Vale lembrar que o produto não deve ser consumido por pessoas com hipertensão e diabetes, por exemplo", alerta.

Inofensivos?

Apesar da preocupação dos especialistas, os fabricantes das bebidas estimulantes afirmam que estes produtos são inofensivos. A única orientação das indústrias é que os usuários se mantenham hidratados, já que a cafeína e o álcool são diuréticos, ou seja, provocam a perda de líquidos no corpo. Em todo o mundo, há três casos de morte - possivelmente ligados a este tipo de bebida - sendo investigados. Um deles, de uma jovem, por desidratação, que consumiu a bebida estimulante e álcool.

Boa Saúde, 15/07/05


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos