Teses/Estudos Avançados/Questões - Como sobreviver a uma tese
Esta página já teve 115.022.974 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.743 acessos diários
home | entre em contato
 

Teses/Estudos Avançados/Questões

Como sobreviver a uma tese

04/09/2005



Não deixe
de ler
Aprender sempre, esse é o caminho

Conhecendo o mestrado profissional

Mestrado profissional X MBA

Roteiro de um pré-projeto de pesquisa

Como não enlouquecer ao escrever sua tese

Cinco dicas práticas para a produção acadêmica

Como sobreviver a uma tese

Fortaleça seu currículo

Prepare-se para a entrevista de ingresso

Pós em projeto

Como definir um tema para uma pesquisa em pós-graduação

De tão acostumada a ver os efeitos da tese em seus orientandos e amigos, a professora do Departamento de Administração Geral e Recursos Humanos da EAESP/FGV (Escola de Administração de Empresas São Paulo da Fundação Getúlio Vargas), Maria Ester de Freitas, resolveu escrever sobre as tensões enfrentadas por quem está vivendo a produção de um projeto acadêmico. O texto, curto, direto e muito divertido, é um verdadeiro descritivo das angústias nascidas neste período. Ela também relaciona uma série de atitudes que podem tornar menos doloroso este processo. Confira as principais:

1) Misture disciplinas obrigatórias com eletivas
Durante a fase dos créditos, busque cursar disciplinas que tenham relação com o seu objetivo, para manter seu interesse.

2) Informe-se sobre os professores do programa e seus interesses de pesquisa
Talvez você não tenha que decidir de imediato qual será o seu orientador, mas não poderá fugir dessa escolha por muito tempo. Assim, escolha professores com potencial para se tornar orientadores e leia as teses e os últimos trabalhos publicados ou orientados para verificar se existe afinidade teórica.

3) Tenha certeza de que o tema lhe agrada
O interesse no assunto que você irá pesquisar deve ser genuíno. É preciso ter em mente que quem irá conviver com o tema é você e por isso, é sua a decisão de suportá-lo no dia-a-dia ou no ano-a-ano. O alerta é válido pois em alguns casos o interesse do orientador, que está em outra perspectiva, prevalece sobre a vontade do aluno.

4) Respeite suas características pessoais
Só você pode saber o seu momento mais produtivo. Respeite-o. Se você acredita que produz melhor de madrugada, escreva neste período. Se gosta de ouvir música, coloque um CD para tocar. E assim por diante.

5) Mantenha seu foco
Parece incrível, mas é só você começar a se interessar, de fato, pelo seu assunto na tese para as pessoas começarem a convidá-lo para participar de projetos irrecusáveis. Não de deixe levar e siga no seu objetivo.

6) Sempre que puder, ria de si mesmo
Curta o seu trabalho de maneira que, quando acabar, você tenha saudade desse período, o suficiente para depois querer se aventurar em outro. Assim você poderá fazer sua coleção de obras-primas.

Para saber mais:
"Viva a Tese!: um Guia de Sobrevivência"
Autora: Maria Ester de Freitas
Editora FGV
Onde encontrar: nas livrarias
Preço médio: R$ 16,00 (valor de julho/2002)

Trecho:

"Cena 1: X é um fulano que está concluindo o seu doutorado em psicologia experimental numa universidade paulista de prestígio. Há três anos ele prepara a sua tese sobre o comportamento de uma aranha. Como o tempo de vida de uma aranha parece ser menor do que o tempo de fazer uma tese, o exemplar original já foi várias vezes substituído. Toda vez que uma aranha morre e outra assume o palco, nosso doutorando treme, com receio de que a novata tenha um comportamento discrepante em relação ao de suas antecessoras, e fica muito estressado com tudo isso.

Cena 2: Z é a mulher de X, com quem tem dois filhos. Já cansada, enjoada e enojada de ver, ouvir e competir com a maldita aranha da pesquisa, ela faz as malas, pega as crianças e antes de jogar a chave da casa no lixo, diz em alto e bom som: nada menos que o divórcio! Eu seria até capaz de perdoar você por me trair

 

www.universiabrasil.net


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos