Medicina Esportiva/Atividade Física - O atleta e a Morte Súbita Cardíaca
Esta página já teve 116.630.581 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.683 acessos diários
home | entre em contato
 

Medicina Esportiva/Atividade Física

O atleta e a Morte Súbita Cardíaca

07/10/2005



 


O colapso repentino de um atleta durante a participação em uma atividade vigorosa pode levantar dúvidas sobre os benefícios adquiridos com a prática regular da atividade física. A mídia tem veiculado imagens recentes de mortes súbitas que ocorreram frente às câmeras de televisão e suscita dúvidas quanto a saúde dos atletas.
Em geral, as mortes súbitas são decorrentes de duas patologias principais: a primeira seria a doença isquêmica do miocárdio, mais freqüente em pessoas acima dos 35 anos, decorrente de doenças aterosclerótica; a segunda seria a presença de anormalidades congênitas.
O risco de morte súbita é muito mais elevado nas pessoas sedentárias, que passaram a fazer atividade física, em comparação às que já são ativas habitualmente.
Assim, o pequeno aumento do risco de morte súbita em pessoas que passaram a fazer atividade física regular é de longe superado pelos benefícios globais que a pessoa adquire passando a ter uma vida mais ativa.
É bom lembrar que as pessoas sedentárias que pretendem iniciar-se na prática de exercícios devem passar por uma avaliação médica criteriosa de um especialista para que se reduzam os riscos.

Referências Bibliográficas:

Fox Physiological Basis for Exercise and Sport, 6a. edição.



www.medicinadoesporte.com

 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos