Tabagismo/Fumo/Cigarro - Medidas restritivas ao Fumo na indústria
Esta página já teve 114.469.276 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.797 acessos diários
home | entre em contato
 

Tabagismo/Fumo/Cigarro

Medidas restritivas ao Fumo na indústria

16/06/2006

 

Existe uma série de razões que determinam medidas restritivas ao uso do fumo nos locais de trabalho. Cada vez mais os empresários de todo o mundo tomam consciência desta realidade e, medidas restritivas são adotadas, visando diminuir ou erradicar, de uma vez, o vício de fumar em locais de trabalho.

Evidentemente, sai mais caro empregar fumantes. Eles contraem 5 vezes mais gripes que os não-fumantes, além de outras graves enfermidades. Adoecem com mais frequência, ficam invalidos prematuramente. São responsáveis por um número bem maior de faltas ao trabalho, provocam acidentes e causam outros prejuízos à propriedade.

E tem mais, os fumantes são, inquestionávelmente, menos produtivos devido ao simples ato de fumar. Noventa não-fumantes podem fazer, tranqüilamente, o trabalho de cem fumantes. Além do mais, o fumante aumenta a conta da limpeza.

MAIS ACIDENTES

Os fumantes provocam duas vezes mais acidentes de trabalho que os não-fumantes. Esses dados são do Nacional Instituto de Segurança Ocupacional dos Estados Unidos da América do Norte.

Em diversos países do mundo, os não-fumantes têm um desconto em seus seguros de automóveis. Estudos demonstram que dirigem com maior segurança por não se distraírem na hora de apanhar o cigarro e de acendê-lo evitando, com isso, sujar a roupa de cinzas. Também, provocam menos acidentes de trânsito.

Empresas de países mais desenvolvidos dão aumentos diferenciados aos que deixam de fumar. Eles produzem mais do que os que fumam e o produto final é de melhor qualidade, declaram os empresários.

Diversos trabalhos científicos também coroboram com as afirmações anteriores, pois provam que determinadas substâncias encontradas na fumaça dos cigarros, entre elas o benzopireno, subtraem vitaminas do organismo dos fumantes, entre as quais a vitamina B1, que é diminuída em cerca de 30% e, vitamina C, cujas reservas são reduzidas em até 50%.

Temos, de considerar ainda, que o fumo de ontem, que nossos velhos fumaram (fumo in natura), tinha cerca de 30 substâncias tóxicas e meia dúzia de substâncias cancerígenas. No fumo de hoje, em exames de laboratórios de maior credibilidade, foram encontradas 4720 substâncias prejudiciais à saúde, entre as quais, cerca de 70 são cancerígenas.

 

http://www.zanco.com.br/tabagismo.htm


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos