Genética/Clonagem/Terapia gênica - Nobel de medicina: Desligamento de genes
Esta página já teve 115.243.760 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.723 acessos diários
home | entre em contato
 

Genética/Clonagem/Terapia gênica

Nobel de medicina: Desligamento de genes

04/10/2006
Craig Mello (esq.) e Andrew Z. Fire, que descobriram a interferência de RNA, são os ganhadores do Nobel de Medicina (fotos: divulgação)
Notícias

“Desligamento” de genes ganha Nobel


03/10/2006

Agência FAPESP - Foram anunciados nesta segunda-feira (2/10) os vencedores do Prêmio Nobel de Medicina e Fisiologia de 2006. Os norte-americanos Andrew Z. Fire, 47 anos, e Craig Mello, 45, foram os responsáveis pela descoberta da interferência de RNA, técnica que permite “desligar” genes com precisão. O mecanismo, além de importante ferramenta de pesquisa, pode ter aplicação no combate a doenças que vão de infecções virais ao câncer.

Os pesquisadores dividirão o prêmio equivalente a US$ 1,36 milhão, cerca de R$ 3 milhões. Fire, professor de genética da Universidade de Stanford, e Mello, da Escola Médica da Universidade de Massachusetts, publicaram em 1998, na revista Nature, um artigo que descreve o mecanismo de controle do fluxo de informação genética.

Na época, a dupla de cientistas estudava como a expressão genética é regulada no verme Caenorhabditis elegans. Descobriram que moléculas duplas de RNA (formado, em circunstâncias normais, por moléculas simples) são capazes de barrar a passagem da informação do DNA para o formato de proteína.

O genoma opera enviando instruções para a fabricação de proteínas do DNA, no núcleo da célula, para o mecanismo de síntese protéica, no citoplasma, através do chamado RNA mensageiro. A interferência de RNA destrói o RNA mensageiro, impedindo a síntese de proteínas – o efeito, na prática, é semelhante ao “desligamento” do DNA.

Ao disponibilizar uma ferramenta capaz de “desligar” qualquer gene, a interferência de RNA pode ajudar a desvendar a utilidade de dezenas de milhares de genes cujas funções são desconhecidas, segundo declaração publicada pelo Instituto Karolinska, da Suécia, responsável pela organização do Prêmio Nobel.

“A interferência de RNA ocorre em plantas, animais e humanos. É de grande importância para a regulação da expressão genética, participa da defesa contra infecções virais e mantém sob controle os ‘genes saltadores’”, diz a declaração. “A interferência de RNA já está sendo utilizada como um método para estudar a função de genes e pode proporcionar novas terapias no futuro.”

O anúncio do prêmio de Medicina e Fisiologia marca o início de duas semanas de premiações que terminam com o anúncio do Nobel da Paz no dia 13 de outubro. O Nobel de Física será anunciado nesta terça-feira (3/10) e o de Química no dia seguinte.

Mais informações: http://nobelprize.org.

http://www.agencia.fapesp.br/boletim_dentro.php?id=6173


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos
 
kill yourself rogue.