Infecto-contagiosas/Epidemias - Leia sobre as estreptococcias
Esta página já teve 115.801.342 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.697 acessos diários
home | entre em contato
 

Infecto-contagiosas/Epidemias

Leia sobre as estreptococcias

27/01/2007

1. INTRODUÇÃO

Streptococcus são cocos gram positivos em cadeias :

Streptococcus grupo A – S. pyogenes (bhemolítico)

Streptococcus grupo B – S. agalactiae

Streptococcus grupo D – Enterococcus sp e S. bovis

Streptococcus a hemolíticos – S. pneumoniae e S. grupo viridans

Transmissão por gotículas de saliva ou secreção nasal e contato direto de portador

são com indivíduo suscetível

Indivíduos não tratados são fonte de disseminação secundária

Streptococcus pyogenes – causa faringites, amidalites, escarlatina, infecções cutâneas

(impetigo ou piodermite), abscessos, pneumonia, endocardite, infecções do trato

urinário e seqüelas como Febre reumática aguda (FRA) e glomerulonefrite aguda

(GNA)

Parede celular : 3 camadas distintas

superficial – proteínas R, M e T (marcadores sorológicos)

média – carboidratos imunologicamente distintos

interna – mucopeptídeo (rigidez e forma)

Produtos extracelulares : exotoxinas (eritrogênica), hemolisinas (estreptolisina O e

S), hialuronidase, estreptoquinase

2. PATOGENIA

Proteína M – capacidade de resistir à fagocitose

Proteína T – não participa da virulência

Exotoxinas – eritrogênica (erupções cutâneas)

hemolisina O (antigênica), S (não antigênica)

Tratamento com antibióticos suprime resposta imune específica – reinfecções com

mesma cepa bacteriana

ESTREPTOCOCCIAS

3. MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS

Faringite estreptocócica – incubação 2 a 4 dias

Dor de garganta, indisposição, rouquidão, febre, anorexia, cefaléia, exsudato

puntiforme ou confluente

Complicações supurativas : sinusite, otite, meningite, septicemia, celulite, fasceíte,

abscessos

Escarlatina – ação toxina eritrogênica

Língua avermelhada ® dor de garganta ® exantema ® após 6 a 9 dias ®

descamação da pele

Piodermite – infecções purulentas na pele

Erisipela – infecção aguda da pele e tecido subcutâneo (bolhas)

Febre Reumática Aguda (FRA) – complicação pós faringite estreptocócica

Lesões inflamatórias envolvendo articulações, coração e tecido subcutâneo até SNC

Pode ocorre por : 1) efeitos tóxicos das hemolisinas; 2) deposição de complexos Ag-

Ac; 3) fenômenos auto-imunes induzidos por semelhança a Ags próprios

Glomerulonefrite aguda (GNA) – complicação pós faringite ou piodermite

estreptocócica que leva à lesão renal grave

4. DIAGNÓSTICO LABORATORIAL

Exames bacteriológicos : cultura secreção de orofaringe, secreção nasal, abscessos

entre outros

Pesquisa de Antígenos por IFD e aglutinação de látex

Pesquisa de Anticorpos : seqüelas não supurativas

Titulação de anticorpos anti-estreptolisina O (ASLO) – aglutinação de látex,

neutralização da toxina, inibição hemólise, turbidimetria, nefelometria e Elisa

ESTREPTOCOCCIAS

5. TRATAMENTO

Antibióticos - Penicilina G benzatina

Antiinflamatórios – AAS e corticóides (supressão da FRA e GNA)

Sedativos – acometimento do SNC

http://www.labcetel.com.br/audrey/Doenças%20Fúngicas%20e%20FR.pdf


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos
 
Hacked by
#TeaMGh0sT

~ DB GOT DROPPED ~