Cardiologia/Coração/CirurgCardíaca - Colesterol
Esta página já teve 113.926.678 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.869 acessos diários
home | entre em contato
 

Cardiologia/Coração/CirurgCardíaca

Colesterol

17/06/2003

O que é colesterol?
      É uma substância semelhante à gordura, que ocorre em todas as partes do corpo e que é necessária para o funcionamento normal do organismo. É produzida pelo fígado e também está presente na dieta que contenha produtos de origem animal. A vitamina D, os sais da bile que ajudam na digestão e muitos dos hormônios são produzidos a partir do colesterol.

Como ele age no organismo?
      O colesterol é transportado no sangue por "pacotes" chamados lipoproteínas. Há o pacote HDL - lipoproteína de alta densidade -, conhecido como o bom colesterol, por remover a gordura da corrente sangüínea. E existe o LDL - lipoproteína de baixa densidade -, o mau colesterol, que distribui a gordura por todo o organismo. É justamente essa fração que está elevada quando se diz que uma pessoa tem "colesterol alto".

Por que o colesterol é prejudicial?
      Só um pouco do colesterol encontrado nos alimentos (ovos, carnes vermelhas, leite e seus derivados) é absorvido e incorporado ao nosso corpo. A maior parte do colesterol circulante é produzida pelo próprio organismo. O colesterol pode ser prejudicial por três razões: devido à sua quantidade no sangue; devido a problemas nas proteínas específicas que o transportam; ou, ainda, devido a algum transtorno nos receptores celulares que facilitam o seu metabolismo. Se a gordura sobrar na circulação por qualquer um desses motivos, ela irá se depositar nas paredes das artérias.

E quais são as conseqüências?
      Com o colesterol fazendo placas nas paredes das artérias, sobra menos espaço para a passagem do sangue e, com o tempo, algumas artérias podem entupir. Se isso ocorrer numa artéria do coração, por exemplo, a pessoa tem um ataque cardíaco. Se for no cérebro, é um derrame que se manifesta. Para não chegar a esse ponto, cada indivíduo deve prestar atenção aos seus níveis de colesterol, procurando orientação médica. Infelizmente, colesterol elevado não provoca nenhuma dor nem perturbação, até que a situação esteja bastante grave. Para descobrir se existem riscos, é preciso recorrer à análise laboratorial, ou seja, fazer exames de sangue específicos para medir a taxa de colesterol total, de suas frações (LDL e HDL) e dos triglicérides.

O que são triglicérides?
      São um tipo de gordura presente na circulação sanguínea e que é depositada no tecido gorduroso. São formados principalmente a partir das gorduras e dos hidratos de carbono presentes na dieta. Os triglicérides elevados podem contribuir para aumentar a taxa de LDL, o "colesterol ruim".

A partir de que idade é recomendável medir o colesterol?
      A cada dia, mais e mais pediatras têm considerado a necessidade de uma avaliação dos níveis de colesterol logo nos primeiros anos de vida. Mas, com certeza, o ideal é começar aos 20 anos, realizando exames a cada cinco anos se os resultados estiverem dentro dos intervalos adequados. Quem tem parentes em primeiro grau com altas taxas de colesterol - sobretudo pai e mãe - deve verificar os níveis mais cedo, com acompanhamento médico.

Esse exame requer algum preparo especial?
      É fundamental estar em jejum de, no mínimo, 12 horas e, no máximo, 16 horas para realizar o chamado perfil lipídico, que mede colesterol total, frações (HDL e LDL) e triglicérides. Como o álcool altera a taxa de triglicérides - uma cerveja, por exemplo, já é suficiente para elevar seus níveis por mais de um dia -, recomenda-se não consumir bebidas alcóolicas nos três dias que antecedem à coleta de sangue, para evitar um resultado falsamente alto. O Fleury procura se certificar de que o indivíduo a ser avaliado não ingeriu nada que contenha álcool às vésperas do exame, questionando o cliente a esse respeito.

Como é possível reduzir taxas do LDL (mau colesterol)?
      Fazendo exercícios físicos e tendo uma alimentação saudável. Deve-se preferir as carnes brancas (grelhadas e sem pele) e ingerir muitas frutas, verduras e legumes, pois esses alimentos contêm fibras, que ajudam a reduzir o colesterol. Antes de colocar um produto no carrinho do supermercado, é bom ler o rótulo, evitando os que têm gorduras saturadas - elas podem aparecer sob o nome de gordura vegetal hidrogenada. Para continuar consumindo leite e seus derivados, o ideal é optar pelos desnatados ou "light", mas com moderação. Quem fuma ou toma bebidas alcóolicas deve rever seus hábitos, já que o cigarro e o álcool agravam os efeitos do mau colesterol.

E se o colesterol não baixar, mesmo com todo esse cuidado?
      O melhor negócio é voltar ao médico. Ele deve avaliar todas as possibilidades e tentar descobrir o que eleva as taxas de colesterol no organismo - pode ser alguma doença, como disfunção hepática ou renal e, até mesmo, a obesidade. Seu médico também é quem deve decidir sobre o uso de medicamentos para reduzir o colesterol.

Entenda melhor o colesterol
      Temido causador de problemas cardíacos e de derrames, o colesterol tornou-se um grande vilão para a saúde humana. Anos atrás, só ameaçava homens adultos. Mas, hoje, também atinge mulheres e até adolescentes. Para você se defender desse mal, entendê-lo já é meio caminho andado.

Todos os direitos reservados. Proibida a cópia, impressão e divulgação com outra finalidade que não o uso pessoal.
Atualizado em maio/2002 - Copyright © 2002 Fleury - Centro de Medicina Diagnóstica

 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos