Antienvelhecimento/Longevidade - Alterar hábitos alimentares após os 60 anos pode prevenir doenças
Esta página já teve 115.702.346 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.707 acessos diários
home | entre em contato
 

Antienvelhecimento/Longevidade

Alterar hábitos alimentares após os 60 anos pode prevenir doenças

17/08/2007


 

Anemia, hipertensão, prisão de ventre, osteoporose, diabetes, doenças cardiovasculares. Esses são apenas alguns dos problemas de saúde que podem ser prevenidos e melhorados com o auxílio de uma boa alimentação. Quem já passou dos 60 e até agora não se preocupou com isso pode aproveitar este momento para começar.

"Conforme envelhecemos, ocorre perda da massa muscular, o metabolismo diminui e há mais facilidade para acumular gordura. Quem come mal fica com tendência a ter mais gordura abdominal.

Corrigir a alimentação, mesmo que seja na terceira idade, ajuda muito", diz a nutricionista Maura Corá Gomes, membro do Genuti (Grupo de Estudos de Nutrição na Terceira Idade). Segundo a especialista, é preciso driblar um problema que afeta muitos idosos, principalmente os que moram sozinhos: o desinteresse pela alimentação. "Muitos acabam ficando no café com leite e pão com manteiga em vez de fazer uma refeição mais rica", alerta.

Mesmo quem já se alimenta de forma saudável deve ficar atento à ingestão de cálcio. Devido à maior perda de massa óssea, principalmente em mulheres que passaram pela menopausa, as quantidades recomendadas para quem tem mais de 50 anos aumentam de 1 g para 1,2 g por dia --o equivalente a quatro copos e meio de leite (ou de iogurte, ou uma fatia de queijo).

Comer alimentos ricos em ferro, como carne vermelha, também é importante: nos idosos, diminui a produção pelo estômago de uma substância chamada fator intrínseco, o que reduz a absorção desse micronutriente. Fora isso, as recomendações não mudam muito em relação às de outras faixas etárias: manter uma dieta rica em frutas, verduras e legumes e pobre em frituras e doces, fazer várias refeições mais leves por dia e beber bastante água são algumas orientações.

Na prática, pode não ser fácil, principalmente para quem já está acostumado a um tipo de alimentação por muitos anos. A dica, então, é fazer as mudanças aos poucos.

"Principalmente nessa idade, a dieta não pode ser muito restritiva. É importante mudar gradativamente e indicar substituições em vez de retiradas radicais. Se a pessoa toma leite, indicamos o leite desnatado. Quem come muita manteiga pode trocá-la por margarina sem gordura trans", afirma Celso Cukier, nutrólogo do hospital São Luiz e autor do livro "Nutrição na Terceira Idade" (ed. Sarvier). Para ele, é preciso ajustar a dieta ao estilo de vida, e não o contrário.

Os especialistas lembram que, na maturidade, é preciso levar em conta certos fatores que afetam a escolha alimentar. Muitas medicações, por exemplo, podem interferir na salivação, diminuir o apetite ou alterar o gosto dos alimentos. Alterações de mastigação e deglutição também são comuns.

 

Fonte: Folha Online

 

 

Nossas notícias são retiradas na íntegra dos sites de nossos parceiros. Por esse motivo, não podemos alterar o conteúdo das mesmas até em casos de erros de digitação.

 

http://www.portaldoconsumidor.gov.br/noticia.asp?busca=sim&id=8348


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos
 
Hacked by
#TeaMGh0sT

~ DB GOT DROPPED ~