Urologia/Andrologia/Homem - Doenças Sexualmente Transmissíveis – DST – aspectos conceituais e clínicos
Esta página já teve 115.785.189 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.700 acessos diários
home | entre em contato
 

Urologia/Andrologia/Homem

Doenças Sexualmente Transmissíveis – DST – aspectos conceituais e clínicos

16/02/2008
Conceitos Gerais




Cancro Mole

 

Conceito: Ulceração (ferida) dolorosa, com a base mole, hiperemiada (avermelhada), com fundo purulento e de forma irregular que compromete principalmente a genitália externa, mas pode comprometer também o ânus e mais raramente os lábios, a boca, língua e garganta. Estas feridas são muito contagiosas, auto-inoculáveis e, portanto, geralmente múltiplas. Em alguns pacientes, geralmente do sexo masculino, pode ocorrer infartamento ganglionar na região inguino-crural (inchação na virilha). Não é rara a associação do cancro mole e o cancro duro (sífilis primária).

Sinônimos: Cancróide, cancro venéreo simples, "cavalo"

Agente: Haemophilus ducreyi

Complicações/Conseqüências: Não tem.

Transmissão: Relação sexual

Período de Incubação: 2 – 5 dias

Prevenção: Camisinha + higienização genital antes e após o relacionamento sexual.

Candidíase

 

Conceito: A candidíase, especialmente a candidíase vaginal, é uma das causas mais freqüentes de infecção genital. Caracteriza-se por prurido (coceira), ardor, dispareunia (dor ao coito) e pela eliminação de um corrimento vaginal em grumos, semelhante à nata do leite. Com freqüência, a vulva e a vagina encontram-se edemaciadas (inchadas) e hiperemiadas (avermelhadas). As lesões podem estender-se pelo períneo, região perianal e inguinal. No homem apresenta-se com hiperemia da glande e prepúcio e eventualmente por um leve edema e pela presença de pequenas lesões puntiformes, avermelhadas e pruriginosas. Não é uma doença de transmissão exclusivamente sexual. Existem fatores que predispõe ao aparecimento da infecção: diabetes melitus, gravidez, uso de contraceptivos orais, uso de antibióticos e medicamentos imunossupressivos, obesidade, uso de roupas justas etc. ·.
Sinônimos: Monilíase.

Agente: Candida albicans e outros.

Complicações/Conseqüências: Nenhuma digna de nota.

Transmissão: Pode ser transmitida através da relação sexual.

Período de Incubação: Muito variável.

Prevenção: Camisinha; higienização adequada; evitar vestimentas muito justas e roupas molhadas ou úmidas.

Clamídia

 

Conceito: Doença infecto-contagiosa dos órgãos genitais masculinos ou femininos. Caracteriza-se pela presença (pode não ocorrer) de secreção, corrimento, uretral escassa, translúcida e geralmente matinal. Um ardor uretral ou vaginal pode ser a única manifestação. Raramente a secreção pode ser purulenta e abundante. Se não tratada, pode permanecer durante anos contaminando as vias genitais dos pacientes. É importante saber que mesmo a pessoa assintomática (portadora da doença, mas sem sintomas) pode transmiti-la.

Sinônimos: Uretrite ou cervicite inespecífica, Uretrite não gonocócica (UNG).

Agente: Chlamidia trachomatis.

Complicações/Conseqüências: Epididimite, proctite, salpingite e suas seqüelas (infertilidade), conjuntivite de inclusão, otite média, tracoma, linfogranuloma venéreo, bartolinite, Doença Inflamatória Pélvica etc.

Transmissão: Relação sexual

Período de Incubação: 1-2 semanas – até um mês ou mais.

Prevenção: Camisinha. Higiene pós-coito.

Condiloma Acuminado – HPV

 

Conceito: Infecção causada por um grupo de vírus (HPV - Human Papilloma Viruses) que determinam lesões papilares as quais, ao se fundirem, formam massas vegetantes com o aspecto de couve-flor. Os locais mais comuns do aparecimento destas lesões são a glande, o prepúcio e o meato uretral no homem e a vulva, o períneo, a vagina e o colo do útero na mulher. Em ambos os sexos, podem ocorrer no ânus e reto, não necessariamente relacionado com o coito anal. Com alguma freqüência a lesão é pequena, de difícil visualização à vista desarmada.

Sinônimos: Jacaré, jacaré de crista, crista de galo, verruga genital.

Agente: HPV - DNA vírus. HPV é o nome de um grupo de vírus que inclui mais de 70 tipos. As verrugas genitais ou condilomas acuminados são apenas uma das manifestações da infecção pelo vírus do grupo HPV e estão relacionadas com os tipos 6,11 e 42, entre outros. Alguns tipos (2, 4, 29 e 57) causam lesões nas mãos e pés (verrugas comuns). O espectro das infecções pelos HPV é muito mais amplo do que se conhecia até poucos anos atrás e inclui também infecções subclínicas (diagnosticadas por meio de peniscopia, colpocitologia, colposcopia e biópsia) e infecções latentes (só podem ser diagnosticada por meio de testes para detecção do vírus). Alguns trabalhos médicos referem-se à possibilidade de que 10-20% da população feminina sexualmente ativa possa estar infectada pelos HPV. A principal importância epidemiológica destas infecções deriva do fato que do início da década de 80 para cá, foram publicados muitos trabalhos relacionando-as ao câncer genital, principalmente feminino.

Complicações/Conseqüências: Câncer do colo do útero e vulva e, mais raramente, câncer do pênis e também do ânus.

Transmissão: Contacto sexual íntimo (vaginal, anal e oral). Mesmo que não ocorra penetração o vírus pode ser transmitido. Eventualmente uma criança pode ser infectada pela mãe doente, durante o parto.

Período de Incubação: Semanas – até vários anos.

Prevenção: Camisinha usada adequadamente, do início ao fim da relação, pode proporcionar alguma proteção. Exame preventivo mais freqüente. Avaliação do(a) parceiro(a). Abstinência sexual durante o tratamento.

Gardnerella

 

Conceito: A gardnerella vaginalis é uma bactéria que faz parte da flora vaginal normal (ver explicação abaixo) de 20 a 80% das mulheres sexualmente ativas. Quando, por um desequilíbrio dessa flora, ocorre um predomínio dessa bactéria (segundo alguns autores em associação com outros germes como bacteróides, mobiluncus, micoplasmas etc.), temos um quadro que se convencionou chamar de vaginose bacteriana.
Usa-se esse termo para diferenciá-lo da vaginite, na qual ocorre uma verdadeira infecção dos tecidos vaginais. Na vaginose, por outro lado, as lesões dos tecidos não existem ou são muito discretas, caracterizando-se apenas pelo rompimento do equilíbrio microbiano vaginal normal. A vaginose por gardnerella pode não apresentar manifestações clínicas (sinais ou sintomas). Quando ocorrem, estas manifestações caracterizam-se por um corrimento homogêneo amarelado ou acinzentado, com bolhas esparsas em sua superfície e com um odor ativo desagradável. O prurido (coceira) vaginal é citado por algumas pacientes mas não é comum. Após uma relação sexual, com a presença do esperma (de pH básico) no ambiente vaginal, costuma ocorrer a liberação de odor semelhante ao de peixe podre.
No homem pode ser causa de uretrite e, eventualmente, de balanite (inflamação do prepúcio e glande). A uretrite é geralmente assintomática e raramente necessita de tratamento. Quando presentes os sintomas restringem-se a um prurido (coceira) e um leve ardor (queimação) miccional. Raramente causa secreção (corrimento) uretral. No homem contaminado é que podemos falar efetivamente que se trata de uma DST.
Flora Microbina Normal :  Nosso organismo, a partir do nascimento, entra em contacto com germes (bactérias, vírus, fungos etc.) os quais vão se localizando na pele e cavidades (boca, vagina, uretra, intestinos etc.) caracterizando o que se chama de Flora Microbiana Normal. Normal porque é inexorável e porque estabelece um equilíbrio harmônico com o nosso organismo. Existem condições em que este equilíbrio pode se desfazer (outras infecções, uso de antibióticos, `stress`, depressão, gravidez etc.) e determinar o predomínio de um ou mais de seus germes componentes, causando então o aparecimento de uma infecção.
Sinônimos: Vaginite inespecífica. Vaginose bacteriana.

Agente: Gardnerella vaginalis.

Complicações/Conseqüências: Infertilidade. Salpingite. Endometrite. Ruptura prematura de Membranas.

Transmissão: Geralmente primária na mulher. Sexual no homem
.
Período de Incubação: 2 – 21 dias.

Gonorréia

 

Conceito: Doença infecto-contagiosa que se caracteriza pela presença de abundante secreção (corrimento) purulenta pela uretra no homem e vagina e/ou uretra na mulher. Este quadro frequentemente é precedido por prurido (coceira) na uretra e disúria (ardência miccional). Em alguns casos podem ocorrer sintomas gerais, como a febre. Nas mulheres os sintomas são mais brandos ou podem estar ausentes (maioria dos casos).

Sinônimos: Uretrite Gonocócica, Blenorragia, Fogagem

Agente: Neisseria gonorrhoeae

Complicações/Conseqüências: Aborto espontâneo, natimorto, parto prematuro, baixo peso, endometrite pós-parto. Doença Inflamatória Pélvica. Infertilidade. Epididimite. Prostatite. Pielonefrite. Meningite. Miocardite. Gravidez ectópica. Septicemia, Infecção ocular, Pneumonia e Otite média do recém-nascido. Artrite aguda etc.

Transmissão: Relação sexual. O risco de transmissão é superior a 90%, isto é, ao se ter um relacionamento sexual com um(a) parceiro(a) doente, o risco de contaminar-se é de cerca de 90%. O fato de não haver sintomas (caso da maioria das mulheres contaminadas), não afeta a transmissibilidade da doença.

Período de Incubação: 2 – 10 dias

Prevenção: Camisinha. Higiene pós-coito.
Granuloma Inguinal
Conceito: Doença bacteriana de evolução crônica que se caracteriza pelo aparecimento de lesões granulomatosas (grânulos, caroços), ulceradas (feridas), indolores e auto-inoculáveis. Tais lesões localizam-se na região genital, perianal e inguinal, podendo, eventualmente, ocorrer em outras regiões do organismo, inclusive órgãos internos.

Sinônimos: Danovanose, Granuloma Venéreo, Granuloma Tropical,
Granuloma Contagioso, Úlcera Venérea Crônica, etc.

Agente: Donovania granulomatis (Calymmatobacterium granulomatis).

Complicações/Conseqüências: Deformidades genitais, elefantíase, tumores.

Transmissão: Usualmente pela relação sexual.

Período de Incubação: 3 dias – até 6 meses.

Prevenção: Camisinha. Higienização após o coito.

Hepatite B

 

Conceito: Infecção das células hepáticas pelo HBV (Hepatitis B Virus) que se exterioriza por um espectro de síndromes que vão desde a infecção inaparente e subclínica até a rapidamente progressiva e fatal. Os sintomas são falta de apetite, febre, náuseas, vômitos, astenia, diarréia, dores articulares, icterícia (amarelamento da pele e mucosas) entre os mais comuns.

Sinônimos: Hepatite sérica.

Agente: HBV (Hepatitis B Virus), que é um vírus DNA (hepadnavirus)

Complicações/Conseqüências: Hepatite crônica, Cirrose hepática, Câncer do fígado (Hepatocarcinoma), além de formas agudas severas com coma hepático e óbito.

Transmissão: Pelos seguintes líquidos corpóreos : sangue e líquidos grosseiramente contaminados por sangue, sêmem e secreções vaginais e, menos comumente, a saliva.

Período de Incubação: 30 – 180 dias (em média 75 dias).

Tratamento: Não há medicamento para combater diretamente o agente da doença, trata-se apenas os sintomas e as complicações.

Prevenção: Vacina, obtida por engenharia genética, com grande eficácia no desenvolvimento de níveis protetores de anticorpos (3 doses). Recomendam-se os mesmo cuidados descritos na prevenção da AIDS, ou seja, sexo seguro e cuidados com a manipulação do sangue.


Herpes Simples Genital

 

Conceito: Infecção recorrente, (vem, melhora e volta, causadas por um grupo de vírus que determinam lesões genitais vesiculares (em forma de pequenas bolhas) agrupadas que, em 4-5 dias, sofrem erosão (ferida) seguida de cicatrização espontânea do tecido afetado. As lesões com freqüência são muito dolorosas e precedidas por eritema (vermelhidão) local.
Sinônimos: Herpes Genital
Agente: DNA vírus

Complicações/Conseqüências: Aborto espontâneo, natimorto, parto prematuro, baixo peso, endometrite pós-parto. Infecções peri e neonatais. Vulvite. Vaginite. Cervicite. Ulcerações genitais. Proctite etc.

Transmissão: Frequentemente pela relação sexual.

Período de Incubação: Indeterminado

Tratamento: Não existe ainda tratamento eficaz quanto a cura da doença. O tratamento tem por objetivo diminuir as manifestações da doença ou aumentar o intervalo entre as crises.


Prevenção: Não está provado que a camisinha diminua a transmissibilidade da doença. Higienização genital antes e após o relacionamento sexual é recomendável.


Linfogranuloma Venéreo

 

Conceito: O Linfogranuloma venéreo caracteriza-se pelo aparecimento de uma lesão genital (lesão primária) que tem curta duração e que se apresenta como uma ulceração (ferida) ou como uma pápula (elevação da pele). Esta lesão é passageira (3 a 5 dias) e frequentemente não é identificada pelos pacientes, especialmente do sexo feminino. Após a cura desta lesão primária, em geral depois de duas a seis semanas, surge o bubão inguinal que é uma inchação dolorosa dos gânglios de uma das virilhas (70% das vezes é de um lado só). Se este bubão não for tratado adequadamente ele evolui para o rompimento espontâneo e formação de fístulas que drenam secreção purulenta.

Sinônimos: Doença de Nicolas-Favre, Linfogranuloma Inguinal, Mula, Bubão.

Agente: Chlamydia trachomatis.

Complicações/Conseqüências: Elefantíase do pênis, escroto, vulva. Proctite (inflamação do reto) crônica. Estreitamento do reto.

Transmissão: Relação sexual é a via mais freqüente de transmissão. O reto de pessoas cronicamente infectadas é reservatório de infecção.

Período de Incubação: 7 – 60 dias.

Prevenção: Camisinha. Higienização após o coito.


Trichomonas

 

Conceito: Doença infecto-contagiosa do sistema geniturinário do homem e da mulher. No homem causa uma uretrite de manifestações em geral discretas, podendo, eventualmente ser ausentes em alguns e muito intensas em outros. É uma das principais causas de vulvovaginite da mulher adulta podendo porém, cursar com pouca ou nenhuma manifestação clínica.
Sinônimos: Uretrite ou vaginite por Trichomonas, Tricomoníase vaginal ou uretral, Uretrite não gonocócica (UNG).

Agente: Trichomonas vaginalis (protozoário).

Complicações/Conseqüências: Vaginite.

Transmissão: Relação sexual

Período de Incubação: 10 – 30 dias

Prevenção:Camisinha, tratamento simultâneo do(a) parceiro(a).

Ureaplasma

 

Conceito: Doença infecto-contagiosa dos órgãos genitais e urinários masculinos ou femininos. Caracteriza-se pela presença (pode não ocorrer) de secreção ,corrimento, uretral escasso, translúcida e geralmente matinal. Um ardor uretral ou vaginal pode ser a única manifestação. Quando não tratada, pode permanecer durante anos contaminando as vias genitais dos pacientes. É importante saber que mesmo a pessoa assintomática (portadora da doença mas sem sintomas) pode transmiti-la.

Sinônimos:Uretrite inespecífica, Uretrite não gonocócica (UNG).

Agente:Ureaplasma urealyticum.

Complicações/Conseqüências:Corioamnioite, baixo peso ao nascer.

Transmissão: Relação sexual

Período de Incubação: 10 à 60 dias.

Prevenção:Camisinha, tratamento simultâneo do(a) parceiro(a).

http://www.saude.rs.gov.br/wsa/portal/index.jsp?menu=organograma&cod=1236

 

 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos
 
Hacked by
#TeaMGh0sT

~ DB GOT DROPPED ~