Infecto-contagiosas/Epidemias - A Dengue
Esta página já teve 117.223.321 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.640 acessos diários
home | entre em contato
 

Infecto-contagiosas/Epidemias

A Dengue

30/04/2008
Informativo Dengue

Período de Incubação

Este período pode variar de 3 a 14 dias.

Quadro clínico

A infecção causada pelo vírus da Dengue apresenta um grande espectro de manifestações clínicas que vão desde uma febre de início súbito, intensa dor de cabeça, mialgia, artralgia, rash, vômitos, desidratação, a doença hemorrágica e até a morte.

Transmissão

O vírus da Dengue é transmitido pela picada do mosquito Aedes, sendo o mais importante o Aedes aegypti. A transmissão requer que um mosquito infectado (com glândulas salivares infectadas) sugue o sangue de outra pessoa ou apenas "pique" esta. Este mosquito tem hábitos diurnos sendo o seu pico de alimentação após as primeiras horas da manhã e ao entardecer.

Diagnóstico

O diagnóstico da dengue é realizado com base na história clínica do doente, exames de sangue, que indicam a gravidade da doença, e exames específicos para isolamento do vírus em culturas ou anticorpos específicos.

Inicialmente, é feito um o diagnóstico clínico para descartar outras doenças. Após esta etapa, são realizados alguns exames, como hematócrito e contagem de plaquetas. Estes testes não comprovam o diagnóstico da dengue, já que ambos podem ser alterados por causa de outras infecções.

Para comprovar a infecção com o vírus da dengue, é necessário fazer a sorologia, que é um exame que detecta a presença de anticorpos contra o vírus do dengue. A doença é detectada a partir do sexto dia de infecção.

Os testes sorológicos incluem captura de anticorpos IgG e IgM contra o vírus da Dengue pelo método de Elisa. Anticorpos IgM séricos podem ser detectados em pacientes com Dengue cerca de 6 dias após o início da febre e geralmente persistem por 30 a 90 dias, embora níveis detectáveis possam estar presentes até 8 meses após a infecção.

A Dengue secundária (ou re-infecção) é caracterizada pelo aumento do anticorpo IgG que pode estar acompanhada do aumento dos níveis de IgM.

A sensibilidade do ensaio tem sido estabelecida da seguinte forma:

* Dengue primária (ou primeira): IgM positiva e IgG negativa.

* Dengue secundária (ou re-infecção): IgM positiva e IgG positiva.

Limitação do Teste

Em infecções recentes e em algumas secundárias, os níveis detectáveis de anticorpos IgM podem estar baixos.

Alguns pacientes podem não produzir níveis detectáveis de anticorpos no período correspondente aos primeiros sete a dez dias após a infecção. Se os sintomas persistirem, recomendamos o re-teste do paciente sete dias após a primeira amostra.

É comum a reação sorológica cruzada com o grupo dos flavivirus (isto é, entre dengue 1, 2, 3, 4, encefalite Murray Valley, encefalite japonesa e febre amarela). O diagnóstico final deverá ser baseado na correlação entre os resultados laboratoriais e a clínica do paciente.

Fonte:

http://www.dle.com.br/

 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos