alergia - A sujeira dentro do veículo pode trazer risco para os alérgicos
Esta página já teve 114.974.682 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.745 acessos diários
home | entre em contato
 

alergia

A sujeira dentro do veículo pode trazer risco para os alérgicos

05/06/2008

 

Um estudo da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), em Minas Gerais, mostrou que a sujeira dentro do carro é capaz de disparar uma baita crise alérgica nos passageiros mais suscetíveis. No levantamento, liderado pelo imunologista Ernesto Taketomi, 60 veículos particulares tiveram amostras coletadas e, pasme, mais da metade continha quantidades acima do admissível de substâncias nocivas ao sistema respiratório.

Entre os principais achados estavam os pêlos de cães ou gatos que sobram nos assentos e no carpete. Eles contêm uma espécie de proteína alergênica que dispara a pronta reação do sistema imunológico. Em pessoas sensíveis, essa resposta é exagerada. E aí, para combater os invasores, as defesas liberam a imunoglobina E, chamada de IgE, que desencadeia de rinite e conjuntivite até uma crise de asma.

E mesmo quem não convive com bichos está sujeito ao problema. Basta rodar com alguém que tenha animais em casa e os pêlos vão de carona. “O efeito é exatamente o mesmo”, explica Ernesto Taketomi. Mas não é só a pelagem de pets que provoca espirros durante o passeio. Os ácaros — aracnídeos invisíveis a olho nu — também são agentes alergênicos que, transportados pelas roupas e até pelos cabelos, se proliferam dentro do automóvel. Pior: eles se alimentam de escamas da pele humana que se acumulam por lá.

Ou seja, além de moradia, seu carro é um belo restaurante para esses seres microscópicos. Pensa que a lista de malfeitores acabou? Pois tem mais. Os fungos, atraídos pela umidade provocada pelo ar-condicionado, também se sentem pra lá de confortáveis no interior do veículo. “Além de causarem alergias por si sós, eles servem de alimento para os ácaros. Ou seja, onde há um deles muito provavelmente a gente encontra outro”, completa Fábio Morato Castro, imunologista da Universidade de São Paulo.

A poluição de ruas, estradas e avenidas pode dar aquele empurrãozinho na direção de uma crise. E ela fica impregnada no automóvel inteiro, até mesmo na lataria. Por isso, os alérgicos não devem fazer a lavagem pessoalmente, já que o desprendimento dessa fuligem costuma ir sem escala para o nariz.

Os gases poluentes também são responsáveis por muitas doenças respiratórias. Assim, faça o que estiver ao seu alcance para reduzi-los. Uma das medidas é manter o motor em forma, isto é, bem regulado. “Isso ajuda a diminuir a emissão de produtos da queima incompleta do combustível”, analisa Paulo Saldiva, chefe do Laboratório de Poluição Atmosférica da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.

A melhor maneira de cuidar do motor é seguir as orientações do bom e velho manual. Além disso, acompanhe o rendimento do automóvel. Se decair, é porque algo está errado — e quem sofre somos todos nós, que respiramos o ar sujo. Também não se esqueça de abastecer em um posto acima de qualquer suspeita de vender combustíveis adulterados. “Manter os pneus calibrados é outra providência importante. Quando um deles está mais baixo do que deveria, gera mais atrito com o solo, o que eleva o gasto de combustível e piora a emissão de gases”, complementa Maurício Ferreira, professor de engenharia mecânica da Fundação Educacional Inaciana, a FEI.

Observe ainda o catalisador. Responsável por transformar parte das substâncias tóxicas em poluentes menos perigosos, ele perde eficiência se tiver ultrapassado os 80 mil quilômetros de uso ou se for atingido por pedras. Finalmente, fique sabendo que o modo de dirigir também conta. Evite aceleradas bruscas desnecessárias e, se possível, fuja dos horários de congestionamento. Tudo por uma atmosfera mais saudável.

TRANSPORTE PERFEITO
À espreita, diversos agentes causadores de alergia encontram no carro o melhor lugar para se instalar

›› PÊLOS DE CÃO E GATO: eles são alérgenos de respeito. Então, depois do passeio levando animais a bordo, limpe bem os bancos e o carpete.

›› FILTRO DO AR-CONDICIONADO: responsável por barrar poluentes, precisa de manutenção para fi car livre de fuligem e fungos. Especialistas sugerem uma limpeza a cada seis meses. Outra coisa: o equipamento é responsável por um gasto extra de gasolina, que, por sua vez, libera poluentes na atmosfera. Então, seja um cidadão consciente e só ligue o aparelho quando precisar pra valer.

>> DERMATITES: a pele é uma vítima das proteínas alergênicas. Nesse caso, a resposta do sistema imunológico, causada pelo contato dos microorganismos com a epiderme, leva à dermatite atópica, ou eczema, aquelas erupções avermelhadas que coçam sem parar.

›› VIAS RESPIRATÓRIAS: quando inalados, fungos, ácaros e pêlos podem acionar anticorpos que, apesar de em princípio terem sido programados para proteger o corpo, causam irritações alérgicas, de conjuntivite a asma.

›› ASSENTOS E CARPETE: a superfície irregular, cheia de fi apos, serve como abrigo ideal para os ácaros. Misturados na poeira, eles começam a se reproduzir — e aí não faltarão olhos vermelhos e coceiras.

›› COMIDAS E CINZEIRO: aquele resto de sanduíche no lixo — ou no banco, para os menos cuidadosos — é um banquete para os ácaros e outros bichos. As partículas de cinza, por sua vez, irritam as vias respiratórias, principalmente as dos asmáticos.

DÊ UMA FREADA NA SUJEIRA
Pequenas atitudes são capazes de grandes efeitos em prol de um ar mais limpo, dentro e fora do carro.

›› ESVAZIE OS SACOS DE LIXO: muitos imaginam que jogar na lixeirinha interna os salgadinhos esparramados no banco — e deixá-la lá dentro por dias a fi o! — é o sufi ciente. Engano. Restos de comida são um prato cheio para microorganismos e até baratas. Sem contar que os ácaros também apreciam muito a papelada que você nem se lembra de recolher. A ordem é: ao sair do carro, retire todo e qualquer detrito.

TÊM CHEIRO BOM, MAS...
Os sprays aromatizantes estão longe de ser efi cientes na limpeza do automóvel. “E, pior que isso, são um pesadelo para quem é sensível ao seu cheiro”, explica Oliver Nascimento, pneumologista da Unifesp. “Para muitos, o odor não faz mal nenhum, mas os alérgicos a perfumes fortes podem ter uma rinite em um simples passeio”, assegura. Esses produtos afetam mais aquelas pessoas que estão em plena crise alérgica ou que se recuperam de uma doença respiratória.

TRANSPORTE PÚBLICO DE... ÁCAROS
Ônibus, vans escolares e táxis, que conduzem muita gente, viram grandes reservatórios de ácaros. O que fazer? Em vez de cair na tentação de tirar o carro da garagem — olha a saúde do planeta! —, use o transporte público, mas evite os horários de pico ou, se isso for impossível, fi que próximo das janelas. Ah, os coletivos com bancos de plástico, apesar de menos confortáveis, defi nitivamente não são os queridinhos dos microorganismos.

Fonte: Revista Saúde
Edição: Allisson Bacelar
03.06.08

Fonte:

http://www.medimagem.com.br/secao.php?id=6394&s=2


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos