Drogas/Vício - Uso e abuso de drogas na adolescência: o que se deve saber e o que se pode fazer
Esta página já teve 114.621.485 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.780 acessos diários
home | entre em contato
 

Drogas/Vício

Uso e abuso de drogas na adolescência: o que se deve saber e o que se pode fazer

10/07/2008
Adolescencia Latinoamericana
ISSN 1414-7130 versión impresa

 


Adolesc. Latinoam. v.1 n.3 Porto Alegre oct./dic. 1998

 

Uso e abuso de drogas na adolescência: o que se deve saber e o que se pode fazer

Tomás José Silber,* Ronald Pagnoncelli de Souza** 

Resumo
Os autores levantaram os dados mais recentes sobre o consumo de álcool, fumo e outras drogas mais comuns no Brasil, concluindo que o álcool e o fumo são as substâncias mais usadas e abusadas entre os adultos.
Entre os estudantes de 1º e 2º graus, o álcool é também a droga mais utilizada (80,5% usaram pelo menos uma vez na vida, 18,6% usam freqüentemente). Seguem à distância o fumo (28% pelo menos uma vez na vida, 5,3% freqüentemente), os inalantes (17,3% na vida, 2,1% freqüentemente) e os medicamentos psicotrópicos (tranqüilizantes: 7,2% na vida, 0,8% freqüentemente; anfetaminas: 3,9% na vida, 0,5% freqüentemente). Em último plano aparecem as drogas ilícitas, como a maconha (3,4% na vida, 0,5% freqüentemente) e a cocaína (0,7% na vida, 0,1% freqüentemente).
Chamam a atenção para a responsabilidade dos profissionais de saúde frente ao problema e as possibilidades de influir positivamente na prevenção.
Sobre os adolescentes, por que experimentam, quem se encontra em risco, fatores de risco, etapas no uso de substâncias e cronologia da adição.
Fazem uma descrição sobre as diversas substâncias, sua composição, aspectos biológicos, quadro clínico, tolerância, intoxicação e síndrome de abstinência. Fumo, álcool, produtos de cannabis, inalantes, cocaína, estimulantes, alucinógenos, hipnóticos, tranqüilizantes, anti-histamínicos e anti-parkinsonianos, opiáceos e narcóticos, esteróides anabolizantes, contaminantes e substâncias semi-sintéticas.
Classificam o abuso de substâncias em 4 níveis.
Dão as linhas mestras para a avaliação clínica: métodos de abordagem, confidência, diagnóstico de uso e abuso, análises clínicas úteis ao diagnóstico, necessidade de consultoria, encaminhamento, métodos de tratamento. Prevenção: 10 regras para os pais.

 

 

http://ral-adolec.bvs.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-71301998000300004&lng=es&nrm=iso

 

 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos