alergia - Alergia ao látex em profissionais de saúde de São Paulo
Esta página já teve 114.603.873 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.789 acessos diários
home | entre em contato
 

alergia

Alergia ao látex em profissionais de saúde de São Paulo

28/07/2008

 

* Artigo original no idioma Português Brasileiro.

VOLUME 83 - Nº 3: Investigação clínica, epidemiológica, laboratorial e terapêutica

Autoria

Leticia Nunes Montalvão
Mestranda em Clínica Médica pelo Hospital do Servidor Público Estadual de São Paulo – São Paulo (SP), Brasil.

Mario Cezar Pires
Mestre e doutor em Clínica Médica pelo Hospital do Servidor Público Estadual de São Paulo, médico dermatologista do Serviço de Dermatologia do Hospital do Servidor Público Estadual de São Paulo; diretor do Serviço de Dermatologia do Complexo Hospitalar Padre Bento de Guarulhos – São Paulo (SP), Brasil

João Ferreira de Mello
Doutor em Medicina pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp); diretor do Serviço de Alergia e Imunologia do Hospital do Servidor Público Estadual de São Paulo – São Paulo (SP), Brasil.

Resumo

FUNDAMENTOS - Alergia ao látex é comum em trabalhadores da saúde, resultando em absenteísmo e afastamento das atividades profissionais. Há no Brasil poucos estudos publicados sobre o assunto. Enquanto na população geral a prevalência de alergia ao látex é menor que 2%, nos profissionais de saúde pode chegar a 30%.
OBJETIVO - Estudar a prevalência de alergia ao látex em profissionais de saúde do Hospital do Servidor Público Estadual de São Paulo.
MÉTODOS - Foi aplicado questionário aberto a profissionais que têm contato com luvas de borracha em todos os serviços do hospital. Foi colhido sangue daqueles que referiram sintomas e dosado anticorpo IgE específico por meio do ImmunoCAP. Para análise estatística utilizaram-se porcentagens, tabelas e teste qui-quadrado.
RESULTADOS - Foram distribuídos 2.349 questionários, e respondidos 1.045, dos quais 129 referiram correlação entre uso de látex e sintomas sugestivos de alergia, e 54 permitiram a coleta de sangue para determinação de IgE específica. Neste grupo houve dois casos em que foi demonstrado anticorpo específico, estabelecendo-se prevalência de 3,7% de alergia ao látex. Fatores como gênero, profissão, freqüência de contato com luvas, setor de trabalho e antecedentes de atopia foram relacionados com maior prevalência de alergia ao látex.
CONCLUSÃO - A prevalência de alergia ao látex encontrada foi de 3,7%.

Palavras-chave: Epidemiologia; Hipersensibilidade ao látex; Hipersensibilidade imediata ; Látex

 

http://www.anaisdedermatologia.org.br/artigo.php?artigo_id=100869

 

 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos