Teses/Estudos Avançados/Questões - Sobrevalorização da taxa de câmbio e o agronegócio: uma análise de equilíbrio geral com base na estrutura produtiva brasileira de 1995
Esta página já teve 115.727.747 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.706 acessos diários
home | entre em contato
 

Teses/Estudos Avançados/Questões

Sobrevalorização da taxa de câmbio e o agronegócio: uma análise de equilíbrio geral com base na estrutura produtiva brasileira de 1995

19/08/2008
Tese de Doutorado
Título original Sobrevalorização da taxa de câmbio e o agronegócio: uma análise de equilíbrio geral com base na estrutura produtiva brasileira de 1995.
Autor Oliveira, João Carlos Vianna de
Unidade Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ)
Área de concentração Economia Aplicada
Orientador ¤ Ferreira Filho, Joaquim Bento de Souza
Banca Examinadora ¤ Barros, Alexandre Lahóz Mendonça de
¤ Barros, Geraldo Sant Ana de Camargo
¤ Crocomo, Francisco Constantino
¤ Guilhoto, Joaquim Jose Martins
¤ Teixeira, Erly Cardoso
Data da Defesa 21/03/2002
Palavras-chave ¤ agronégocio
¤ câmbio (economia)
¤ equilíbrio econômico
¤ política cambial
Resumo Original
Partindo do pressuposto que o agronegócio brasileiro é tipicamente exportador, vários trabalhos, usualmente baseados na análise de equilíbrio parcial, chamaram a atenção para os efeitos adversos das políticas macroeconômicas, que resultaram na sobrevalorização da taxa de câmbio. No entanto, durante o mais recente período de sobrevalorização da taxa de câmbio, ocorrido durante os primeiros anos do Plano Real, a produção agropecuária apresentou ganhos de produtividade, sinalizando a ocorrência de efeitos positivos sobre o setor. Desta forma, o objetivo do trabalho foi analisar o efeito advindo da taxa de câmbio sobre o agronegócio brasileiro, tendo em vista as relações intersetoriais diretas e indiretas características da estrutura produtiva da economia brasileira. Neste sentido, foi adotado um modelo de equilíbrio geral, calibrado para a base de dados de 1995, que foi agregada e desagregada resultando em 32 setores, quais sejam: 9 de produção agropecuária, 9 de produção agroindústrial e 14 outros não-agropecuários e não agroindústriais. Cabe destacar que para aperfeiçoar ainda mais o tratamento de dados visando analisar o agronegócio foi realizado o desmembramento dos setores adubos e defensivos. O efeito da taxa de câmbio sobrevalorizada foi avaliado através da desvalorização da taxa de câmbio nominal, induzida pela alteração exógena do balanço de transações correntes. Os resultados obtidos possibilitaram identificar que o agronegócio brasileiro não foi igualmente afetado pela taxa de câmbio. Percebeu-se que os setores com produção non-tradable, que representavam uma parcela significativa da produção total, foram negativamente afetados pela desvalorização, indicando que a sobrevalorização os beneficiava. As relações intersetoriais evidenciaram o efeito positivo que setores agroindustriais exportadores exerceram sobre os seus fornecedores agropecuários. As agroindústrias de alimentação mais focadas no mercado interno exerceram, por outro lado, menor efeito positivo indireto sobre os fornecedores agropecuários. Além da relação das cadeias do agronegócio, também foi constatado que a desvalorização da taxa de câmbio aumentou os preços dos insumos defensivos e fertilizantes, dada a dependência de matérias-primas importadas desses setores. A elevação de preços de insumos afetou diferentemente os setores agropecuários nontradables e os tradables, uma vez que os primeiros não apresentaram aumento de preços para a produção, resultado este evidenciado pelos termos de troca calculados. Concluiuse a partir de uma série de resultados obtidos pelo modelo, que o agronegócio brasileiro, considerando a estrutura produtiva de 1995, não apresentou reação plenamente positiva em resposta à desvalorização, dada a parcela significativa non-tradable de alguns setores. Com o tratamento obtido através da modelagem multisetorial de equilíbrio geral, possibilitou-se um maior realismo da avaliação dos impactos da taxa de câmbio sobre o agronegócio brasileiro, respeitando-se o grau de relação com o mercado externo de cada setor do agronegócio e dos setores com os quais eles se relacionam. A consideração da significativa parcela non-tradable do agronegócio brasileiro foi um aspecto fundamental de diferenciação em relação à estudos anteriores.
Título em Inglês Overvaluation of exchange rate and agribusiness: a general equilibrium analysis considering the brazilian productive structure of 1995.
Palavras-chave em Inglês ¤ agrobusiness
¤ economic equilibrium
¤ exchange rate
¤ exchange rate policy
Resumo em Inglês
Assuming that the Brazilian Agribusiness is typically exporter, some papers, usually based on partial framework analysis, bring to discussion the adverse effects of the macroeconomic policies that had resulted in overvaluation of the exchange rate. However, despite the overvaluation of the exchange rate occurred during the first years of the Real Plan, the agricultural sector increased the productivity, showing the existence of some positive effects. So, the object of this research was to evaluate the effect of exchange rate over the agribusiness taking into account the direct and indirect intersector relations of production structure of Brazilian economy. To assess this, it was adopted a general equilibrium model, using the 1995 data as reference, which were aggregated and disaggregated, resulting in 32 sectors, as follows: 9 sectors of agricultural production, 9 agricultural related processing sectors and 14 others non agricultural sectors. It’s advisable to mention that, to improve the management of data in order to discuss the agribusiness, it were dismembered fertilizers and pesticides sectors. The effect of exchange rate overvaluation was investigated by the devaluation of nominal exchange rate, induced by the exogenous change of trade balance. The results obtained allowed to identify that the exchange rate had quite different effects over the several sectors of Brazilian agribusiness. The sectors with non-tradable production, that represented a significant parcel of the total production, were negatively affected by the devaluation, indicating that the overvaluation had benefited them. The intersectors linkages showed a positive effect when the processing sectors related to exporting agriculture influenced their agricultural production suppliers. On the other hand, the agricultural food-processing oriented to domestic markets had a less positive effect over their agricultural suppliers. Besides the agribusiness chains, it was also detected the effect of exchange rate devaluation on input prices (pesticides and fertilizers), since these inputs had a significant amount of imported raw material. The increase of input prices affected differently the non-tradable and tradable agricultural sectors, because the first ones had not presented a price increase for production. The comparison for both variations was realized through the calculation of terms of trade. The results allowed to conclude that the Brazilian agribusiness, considering the productive structure of 1995, did not present a fully positive reaction as a response to devaluation, due to the significant non-tradable parcel of some agribusiness sectors. The analysis obtained through the multi- sectorial modeling of general equilibrium gave us a greater realism on impact evaluation of exchange rate on Brazilian agribusiness, considering the level of relationship of the outside market of each agribusiness sector and of their suppliers. It was fundamental, to detach this study from the former ones, to consider the significant non-tradable parcel of Brazilian agribusiness.
Arquivos
Nome Tamanho
¤ joaocompleta.pdf 719.18 Kb
Data de Publicação 11/07/2002

 

Fonte:

 

http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11132/tde-10072002-151047/

 

 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos
 
Hacked by
#TeaMGh0sT

~ DB GOT DROPPED ~