Medicina Esportiva/Atividade Física - Desigualdade estrutural discreta de membros inferiores é suficiente para causar alteração cinética na marcha de corredores?
Esta página já teve 114.652.627 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.774 acessos diários
home | entre em contato
 

Medicina Esportiva/Atividade Física

Desigualdade estrutural discreta de membros inferiores é suficiente para causar alteração cinética na marcha de corredores?

08/01/2009

Acta Ortopédica Brasileira

 

Acta ortop. bras. vol.16 no.1 São Paulo  2008

doi: 10.1590/S1413-78522008000100005 

ARTIGO ORIGINAL

 

Desigualdade estrutural discreta de membros inferiores é suficiente para causar alteração cinética na marcha de corredores?

 

 

Carla Sonsino PereiraI; Isabel de Camargo Neves SaccoII

IPós-Graduanda em Ciências da Reabilitação do Departamento de Fonoaudiologia, Fisioterapia e Terapia Ocupacional – Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo - FMUSP
IIProfessora, Doutora do Departamento de Fonoaudiologia, Fisioterapia e Terapia Ocupacional – Faculdade de Medicina – USP

Endereço para correspondência

 

 


RESUMO

Desigualdade de membros inferiores (DMI) está presente em cerca de 70% da população geral, podendo ser do tipo estrutural onde existe diferença no comprimento de estruturas ósseas, ou funcional, como resultado de alterações mecânicas dos membros inferiores. A desigualdade pode ainda ser classificada quanto a sua magnitude, sendo discreta, moderada, ou grave. As desigualdades discretas têm sido associadas especificamente à fratura por estresse, dor lombar e osteoartrite, e quando uma desigualdade está presente em indivíduos cuja sobrecarga mecânica é acentuada pela sua prática profissional, diária ou recreativa, estas alterações ortopédicas podem se manifestar precoce e gravemente. O objetivo deste estudo foi analisar e comparar a força reação do solo (FRS) durante a marcha de corredores com e sem DMI discreta. Os resultados mostraram que os sujeitos com desigualdades de 0,5 a 2,0 cm apresentaram no membro menor maiores valores da força vertical mínima (0,57 ± 0,07 PC) em relação ao membro maior (0,56 ± 0,08 PC). Logo, sujeitos com DMI discreta adotam mecanismos compensatórios capazes de gerar sobrecarga adicional ao sistema musculoesquelético para promover uma marcha simétrica como demonstrado pelos valores do Índice de Simetria Absoluto das variáveis da FRS vertical e horizontal.

Descritores: Biomecânica; Marcha; Desigualdade de membros inferiores.

 

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-78522008000100005&lng=en&nrm=iso&tlng=pt

 

 

 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos