Receitas Kasher/Cozinha Judaica - A ética alimentar e a Kashrut
Esta página já teve 117.142.527 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.641 acessos diários
home | entre em contato
 

Receitas Kasher/Cozinha Judaica

A ética alimentar e a Kashrut

14/02/2009
Você é o que você Come - Uma visão da Kashrut

A ética alimentar é uma questão fundamental para a vida Judaica. O que comemos, da mesma forma que agimos, afirma nossos valores e ideais. A Kashrut é a ética alimentar.

Conceitos da Kashrut
A palavra Kasher significa “apropriado às leis Judaicas” e se refere a adequação do animal para o consumo humano: “ Todo animal com casco fendido, e que tem a unha separada em dois de cima até embaixo, e que rumina, entre os animais , esses comereis.”( Deut. 14:6). Animais ruminantes podem viver de comidas que o homem não pode comer, transformando o não-comestível em comestível. Seria econômica e ecologicamente insensato criar animais que não são ruminantes e competem por comida da mesma forma que o homem.

Não há um critério Kasher para pássaros, embora a Torá enumere algumas espécies proibidas (Lev.11:3-19;Deut. 14:12-18; Talmud Hul. 63b). O peixe Kasher deve ter barbatanas e escamas facilmente removíveis. Com exceção de alguns gafanhotos e abelhas, insetos e seus produtos são proibidos ( Lev. 11:21-22).

O abatimento Kasher, a shechita, é feito por um abatedor especialmente treinado, um shochet. A shechita exige que todo animal seja tratado com respeito. A faca do shochet é cuidadosamente inspecionada antes de cada uso para que assim seja certificado que não ocorra nenhum corte que possa causar sofrimento desnecessário ao animal.

Agradecendo
A santidade é enfatizada ao iniciarmos nossas refeições com Birchat há-Nehenin (Bênçãos de alegria). Cada bênção inicia-se com Baruch Ata Adonai Eloheinu Melech Há Olam ( Bendito és Tu, Senhor, nosso Deus, Rei do Universo) e  é seguida de um dos seguintes: Há-Motzi Lechem min háaretz (que tiras o pão daterra ); Boré minei mezonot ( que crias diferentes tipos de alimento);Boré peri há-gafen ( que crias o fruto da videira), Boré peri há-etz (que crias os frutos da árvore); Boré peri há-adamá ( que crias o fruto da Terra); She-há-kol niheye bi-dvaro ( cujas palavras trouxeram a existência a todas as coisas).

A refeição é concluída com o Birchat há-mazon ( a bênção dita após uma refeição na qual o pão foi ingerido). Esse texto pode ser encontrado na maioria dos livros de oração. Uma versão simplificada pode ser usada: “Bendito seja Adonai, a Origem de Tudo. Que esta refeição me mantenha numa vida de justiça, paz e bondade. Amém.”

Carne e Leite
“Não cozinharás cabrito com o leite de sua mãe” (Ex. 23:19,34:26; Deut.14:21). É uma proibição repetida três vezes na Torá. A proibição reflete o conceito da Torá acerca da compaixão para com os animais: ser cozido no leite da vida era considerado uma injustiça grosseira.

Muitas leis adicionais são derivadas desta preocupação. Reunidas elas são chamadas de leis de basar v’chalav, as leis da carne e do leite. Essencialmente elas exigem a separação da carne e dos laticínios tanto no preparo quanto no consumo. Porque os utensílios de metal, barro e madeira são porosos, ordena-se o uso de utensílios separados para carne e para o leite. Vidro não poroso, é parve, ou seja, neutro.

Uma questão de santidade
A Torá une a Kashrut à santidade ( Ex. 22:30; Lev. 11:44-45; Deut. 14:21). Ser santo é viver em harmonia e ter compaixão por toda a vida. Como uma expressão de compaixão, pode ser hipócrita falar de abatimento “kasher”, pois  a dieta ideal kasher, é a dieta vegetariana ( Gen. 1:2).

A Kashrut vai além daquilo que comemos e inclui a maneira como nosso alimento é produzido, processado, embalado e distribuído. Alimento que explore uma pessoa ou que explore o planeta é taref, impróprio para o consumo kasher.

Eco-Kashrut - con­sumo ético: o que você come, usa e compra tem significação para a sua vida, as vidas dos outros e a sobrevida do planeta.

Você tem obrigação de cuidar de si mesmo (shmirat haguf), dos outros (ahavta lereaacha kamocha), dos animais (tzaar b'alei chaiyim), e da natureza como um todo (bal tashchit) estabelecendo um elo de ligação entre o que você consome e VOCÊ É O QUE VOCÊ COME.

O que Posso Fazer?
Manter-se Kasher significa aplicar estes  eternos valores Judaicos  à sua vida:

  1. Bal taschit : (Não prejudicar a terra). Você tem reciclado? Seus utensílios domésticos são seguros para o meio ambiente? Os alimentos que você come e os produtos que você compra fazem mal ao meio ambiente?
  2. Tza’ar ba’alei chaim : (Respeito pelos animais). Você é sensível ao ideal vegetariano da Torá? Os seus cosméticos são testados em animais? Você colabora para o bem-estar dos animais?
  3. Sh’mirat haguf : (Proteger seu corpo). Você está se cuidando com exercícios físicos, meditação, nutrição, higiene e dieta apropriados ?
  4. Oshek : (proteger trabalhadores e consumidores contra a exploração). Você se sensibiliza com as questões relacionadas à mão de obra empregada em alguns alimentos? Você tem o hábito de ler os rótulos dos alimentos e insiste na verdade  dos anúncios publicitários?
  5. Tzedaká : (promover a justiça através da partilha de alimentos, dinheiro  e tempo com aqueles que estão passando por dificuldades). Você formalmente reserva uma quantia para tzedaká? Esta quantia segue os 10% sugeridos pela Torá? Você faz investimentos financeiros com companhias que não saqueiam o planeta  em  busca de dinheiro?
  6. Shemita e Iovel : (Deixar que a terra descanse a cada sete anos assim como a cada cinquenta anos também). Como você está promovendo o uso democrático da tecnologia? Você sabe como a tecnologia influencia seu discernimento acerca do significado da vida? Como você está se certificando que progredimos em direção ao progresso e não do esquecimento?

 

Fonte:

 

http://www.shalom.org.br/culturajudaica/judaismo/voceeoquevocecome.shtml

 

 

 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos