Curiosidades da Dra Shirley - O celacanto: Um fóssil vivo
Esta página já teve 114.478.842 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.800 acessos diários
home | entre em contato
 

Curiosidades da Dra Shirley

O celacanto: Um fóssil vivo

18/11/2009

 





O celacanto é da era devoniana, cêrca de 410 milhões de anos, e desapareceu no final do período Cretáceo, há 65 milhões de anos atrás, quando os dinossauros foram extintos.

Presume-se que êle seja primo do Eusthenopteron, ancestral dos anfíbios, répteis e mamíferos. Uma teoria que gera muita controvérsia.

Mas ele foi encontrado em East London, em 23 de dezembro de 1.938!

Um fóssil vivo!

Na época, Marjorie Courtenay-Latimer era curadora do East London Natural History Museum, tinha construído boas relações com os pescadores, e interessada em colecionar peixes para seu museu, sempre estava no porto para vê-los, quando os barcos voltavam da pescaria. E entre os peixes pescados pelo Capitão Hendrick Goosen, no pesqueiro Nerine, ela notou um peixe, já tendo a certeza que era o celacanto. O capitão lhe informou que o havia pescado perto de Chalumna River, no Oceano Índico. Foi difícil manter o peixe em boas condições, devido a ftitlea de equipamento adequado. Ao ver a carta e o desenho de Marjorie Courtenay-Latimer, o Professor J.L.B. Smith, do Rhodes University, Grahamstown, ficou surpreendido ao reconhecer no desenho o celacanto, porque era sabido que o celacanto havia sido extinto e apenas um fóssil.

Passe o mouse sobre todas as imagens para ler as informações





Essa descoberta causou um frenesi no mundo inteiro. Era a descoberta mais importante do século. Eram três celebridades: o celacanto, Marjorie e o professor Smith. Esse celacanto recebeu o nome científico Latimeria chalumnae. Mais tarde ela diria the most beautiful fish I had ever seen, five feet long, and a pale mauve blue with iridescent silver markings.

Expedições se formaram e percorreram o mundo inteiro à procura do celacanto, sendo até oferecido um prêmio de £100. O Professor Smith distribuiu panfletos em locais onde havia probalidade da existência do celacanto, com a ajuda do Capitão Eric Hunt. No panfleto havia as instruções Do not cut it or clean it or scale it, but take it at once to some responsible person.

Catorze anos mais tarde, em 21 de dezembro de 1.952, Ahamadi Abdallah tinha pescado o peixe chamado mame or Gombessa, em Comoros, na ilha de Anjouan. Ao vê-lo, o capitão Eric Hunt, imediatamente, telegrafou várias vezes ao professor Smith, preocupado com a manutenção do celacanto. Eric Hunt tinha se comprometido a dar notícias do celacanto, caso fosse encontrado. Ficaram aguardando o comparecimento do professor Smith, mas na época as viagens eram dificultosa, e quando o professor Smith chegou à ilha, e viu o celacanto morto, chorou. Era realmente um celacanto! O professor chamou esse celacanto Malania anjouanae.



Quatro anos passados, o capitão Eric Hunt desapareceu no mar. Êle nunca foi encontrado.

Feto de um celacanto fêmea. Moçambique. 1991.




Em 1.997, Arnaz Erdmann em sua viagem de lua-de-mel viu o celacanto na Sulawesi, de côr marrom, chamado pelos indonésios de rajah laut. Recebendo o nome científico de Latimeria menadoensis.

1.998. Photograph by Mark V. Erdmann, July 1998. Recebeu o nome científico Latimeria menadoensis.



Setembro de 1998. Celacanto Latimeria sp Bunaken National Park em Sulawesi.



Fêmea do celacanto.
Ela tinha 1,78 metros e 98 kg.




Em 26 de novembro, Pieter Venter, Gilbert Gunn, Christo Serfontein and Dennis Harding, em Sodwana Bay, no St. Lucia Marine Protected Area, pesquisando de caverna em caverna, encontraram três celacantos e os filmaram e os fotografaram. Mas aconteceu também um triste acidente: Dennis Harding faleceu de embolismo cerebral. Apesar de tudo, foi um feito importantíssimo na África do Sul.

Visite http://www.coelacanth-diver.co.za/ e saiba mais sobre quem tem uma espetacular expedição à procura dos celacantos, para que eles sejam protegidos.

Todo ser que faz parte desta maravilhosa Terra deve auxiliar na sua manutenção .


Clique sobre a imagem para vê-la em tamanho maior




Os celacantos, da espécie Latimeria chalumnae são encontrados em Comoros, e St. Lucia Marine Protected Area, na África do Sul,e os da espécie Latimeria menadoensis em Sulawesi, Indonesia. O que as diferencia é a cor.

Fósseis de antigos celacantos podem ser encontrados em todo o mundo, com exceção da Antartica.


Hoje, o celacanto contando com a criatividade do ser humano, sobrevive também no Aquatom Marine Science Museum, em Fukui, Tsuruga, Japão. Foi projetado pela Mitsubishi Heavy Industries, Ltd, e é controlado pelo computador, através de bateria, contendo um sistema de propulsão, para dar realidade à movimentação do celacanto, delicadamente e espontaneamente.



Clique sobre a imagem e veja-a em tamanho maior


 

Fonte:

 

http://criptopage.caixapreta.org/secao/criptozoologia/cripto_celacanto.htm

 

 

 

 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos