Dicas de quase tudo da Dra. Shirley / dica - Tudo sobre rodas de automóveis
Esta página já teve 115.782.351 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.699 acessos diários
home | entre em contato
 

Dicas de quase tudo da Dra. Shirley / dica

Tudo sobre rodas de automóveis

25/02/2010

Rodas

PCD
O PCD de uma roda é a distância entre os furos de fixação e a quantidade de furos que a roda possui. Essa distância entre os furos é um círculo imaginário que passa pelo centro de cada furo. A representação do PCD é feita da seguinte forma:



Precisão de furação: a fixação de uma roda, somente estará correta, se a distância entre os furos de fixação do veículo e da roda forem iguais. Para determinarmos a distância entre os furos procedemos da seguinte forma:

4 furos / 6 furos / 8 furos: Apoiamos uma escala com a marca “0” (zero) na extremidade interna de um furo. O valor encontrado na extremidade externa do outro furo determina o diâmetro do PCD da roda. Vide Ilustração abaixo.



5 furos: Com uma escala determinamos o diâmetro do furo central. Anotamos o valor encontrado, em seguida determinamos a distância entre a borda do furo central e o furo de fixação e anotamos a medida encontrada. Por último medimos o diâmetro do furo de fixação. Anotamos a última medida e utilizamos a seguinte fórmula:

PCD = Ø furo central(A) + Ø furo fixação(B) + 2X Distância entre o furo central e o furo de fixação(C).



BACKSPACE
O Back Space é a medida entre o assentamento da roda e a sua borda traseira. Esta medida, indica se existe espaço livre entre a roda e os componentes internos da suspensão. Para determinarmos o Back Space, fazemos o seguinte: Apoiamos uma régua na superfície da aba traseira da roda. Introduzimos uma escala no interior da roda, apoiando-a na superfície de assentamento da roda. O ponto de intersecção interno das duas réguas, determina o Back Space.
Ex.: 126mm

Fig. 03

OFFSET / ET

É a distância entre a superfície de assentamento da roda e o meio da tala.

O off-set positivo significa que a superfície de assentamento está mais próxima a borda dianteira do que da borda traseira, logo a sua borda dianteira tende a ficar mais para o lado interno do paralama. Esse tipo de off-set é normalmente utilizado em veículos de passeio e pick-ups leves que derivam desses veículos.

O off-set negativo significa que a superfície de assentamento está mais próxima a borda traseira, logo a borda dianteira tende a ficar mais para fora do paralama. Esse tipo de off-set é normalmente utilizado em pick-ups de porte maior, tais como, F1000, D20, Silverado, F250.

Todas as rodas têm um off-set, mesmo que seja igual a zero.

A instalação de uma roda com o off-set adequado é muito importante, ele mantém a boa dirigibilidade do veículo, evita desgaste prematuro dos pneus e dos componentes da suspensão.

Fig. 04

Como Determinar o Off-set de uma Roda

  • O primeiro passo para obtermos o off-set da roda é calcularmos o backspace (vide item 03 / figura 03);
  • Em seguida medimos a dimensão da tala (A) até (B), (Conforme fig. 05), dividimos o valor encontrado por 2 para obtermos o centro da tala (90mm);
  • Após termos os dois valores fazemos a subtração do centro da tala do valor encontrado no backspace.
  • Temos então:

Fig. 05

Parafusos e Porcas

Os dois tipos básicos de parafusos e porcas são:

Cônico: Esse tipo de parafuso ou porca apresenta o assentamento similar a um funil.

Esférico: Esse tipo de parafuso ou porca apresenta o assentamento similar a uma circunferência.

Cônico Esférico

Fig. 06



Aperte todos os parafusos de acordo com as instruções do manual do proprietário do veículo, ou utilize as seguintes especificações de torque:

Diâmetro Kg/mts ft/lbs
7/16” 7,6 à 8,9 55 – 65
1/2" 10,3 à 11,75 75 – 85
9/16” 12,45 à 15,91 90 – 115
12mm 9,68 à 11,06 70 – 80
14mm 11,76 à 13,14 85 – 95

Tabela 01

Atenção:

Não utilizar graxa ou lubrificante nas porcas e parafusos, o uso pode fazer com que elas se soltem com a vibração do veículo.
Nunca utilizar parafuso ou porca com assentamento cônico no furo com assentamento esférico, ou vice versa, os dois não são compatíveis, sendo que uma eventual inversão impossibilitará o balanceamento correto do conjunto Roda Pneu, podendo inclusive acarretar em perda de torque, e causar grave acidente.
Verificar os parafusos e porcas após 40 Km de rodagem, aperte-os novamente se necessário, conforme especificado.

Montagem da Roda

Antes de montar a roda, alguns itens devem ser verificados, siga as instruções abaixo para uma montagem correta:

Verifique se o tipo de parafuso ou porca é o correto. (vide porcas e parafusos – item 5)

Limpe e inspecione as roscas das porcas e parafusos antes da montagem. As roscas devem estar livres de corrosão ou rebarbas, nunca utilize lubrificante. Em caso de corrosão ou roscas espanadas, substitua o parafuso ou porca imediatamente.

Inspecione o cubo da roda e as panelas do veículo, certifique-se que estão limpos, sem ferrugem, tinta, rebarba ou qualquer outro detrito que possa impedir a perfeita união entre as superfícies.

Se necessário, utilize uma escova de aço ou lixa fina, para remover a ferrugem ou outros detritos.

Para uma centralização perfeita da roda no veículo, deve ser utilizado o anel correto, segue abaixo uma tabela com os principais anéis utilizados.

Veículo

Cor do Anel Diâmetro Interno
AUDI LARANJA 57,1
CITROËN BRANCO 65,1
FIAT AMARELO 58,1
FORD VERDE 63,4
GM AZUL 56,6
HONDA (4X100) VERMELHO 56,1
OMEGA BRANCO 65,1
PEUGEOT BRANCO 65,1
RENAULT MARROM 60,1
TOYOTA (4X100)
TOYOTA (5X114,3)
PRETO
MARROM
54,2
60,1
VW LARANJA 57,1

Tabela 02


Para assegurar uma fixação correta da roda no veículo, siga as instruções abaixo:

Sempre segure a roda enquanto é feito o ajuste dos parafusos e porcas, nunca deixe a roda apoiada sobre um parafuso enquanto se faz o ajuste dos demais.

Para assegurar uma pressão uniforme e bom alinhamento, o aperto dos parafusos ou porcas deve ser em seqüência de estrela ou em forma de cruz, conforme ilustração abaixo.

Fig. 07

Atenção:

Pressão demasiada na fixação dos parafusos ou porcas, pode causar deformações na roda, fratura dos parafusos, espanamento das roscas, empenamento do disco e trepidações ao frear o veículo.
Nunca utilize parafuso ou porca a menos que o especificado, se a roda tiver 5 furos, use os 5 parafusos ou porcas.
Pick-ups médias e grandes não utilizam anéis.
Nunca utilize pistola de ar comprimido para apertar os parafusos.
Utilize sempre o torque correto ao apertar os parafusos e porcas, verifique o manual do veículo, ou tabela de especificação de torque (tabela 01)
Antes de baixar o veículo, o instalador deve verificar se as rodas giram livremente sem contato com os componentes da suspensão ou lataria, o veículo deve ser esterçado para os dois lados sem que a roda e o pneu toquem em nada.

Balanceamento de Rodas

Para reduzir o desgaste do pneu, barulho na estrada, vibrações, etc..., é aconselhável que as rodas sejam balanceadas pelo processo dinâmico e estático.
Processo Estático: Corrige desigualdades nas massas ao redor do eixo,que geram vibrações verticais, as rodas tendem a saltitar, e o volante a vibrar verticalmente.
Dinâmico: Corrige desigualdades nas massas ao longo do eixo, que provocam oscilações laterais, fenômeno conhecido como “Shimmy”, o volante oscila para os lados.
Todas as rodas Vaska tem o radial e o axial verificados antes de saírem da fábrica, a fim de evitar problemas de balanceamento. Caso haja dificuldade no balanceamento, verifique se a montagem está correta, e o anel centralizador é o adequado para o veículo.
Para alguns problemas de balanceamento, sugere-se esvaziar o pneu, girar o aro, ou pneu em aproximadamente 180º, calibrar novamente o pneu e re-balancear o conjuto.

Atenção:

Ao contrário do que muitos pensam, vibrações nos veículos não são causados exclusivamente por problemas de balanceamento, segue abaixo uma pequena lista de problemas comuns que podem causar vibrações nos veículos.

Discos ou tambores de freios deformados;
Homocinéticas com folga;
Amortecedores com defeito;
Deformações nas rodas causados por impactos em buracos, ou guias (lateralmente);
Uso de anel centralizador não adequado;
Veículo parado na mesma posição durante muito tempo (flat-spot);
Desequilíbrios ou deformações causados por freadas bruscas, onde ocorreu travamento das rodas;
Reparos nos pneus onde foi utilizada prensa inadequada.

Manutenção

As rodas esportivas são fabricadas com um alto nível de qualidade. Entretanto, a ausência de manutenção, ou produtos químicos e materiais corrosivos, utilizados por alguns lava rápidos, podem danificar a superfície ou tornar o acabamento opaco.
Para manter o acabamento inalterado, sugerimos:

a) Utilizar detergentes neutros para lavar;
b) Não utilizar ceras abrasivas sobre a superfície das rodas, sejam elas pintadas, diamantadas ou cromadas;
c) Nunca utilizar palha de aço.

Vantagens das Rodas de Alumínio

As rodas de liga leve surgiram devido à necessidade de redução do peso dos veículos, as primeiras rodas de liga leve eram confeccionadas em liga de magnésio.
No começo da década de 70, as rodas passaram a ser fabricadas com liga Alumínio/Silício, uma liga com propriedades mecânicas superiores e com menor peso que a liga de magnésio.

As principais vantagens das rodas de liga leve em relação às rodas de aço são:

Redução de peso;
Menor consumo de combustível;
Menor desgaste do sistema de freio;
Menor desgaste do sistema de suspensão;
Melhor absorção de impactos;
Maior dispersão do calor no sistema de freio.
Conjunto Roda + Pneu
Antes de substituir o conjunto roda/pneu é preciso algumas precauções:

O índice de carga nunca deve ser menor que o original ;
O código de velocidade nunca deve ser inferior ao original;
É possível converter o conjunto roda/pneu uma vez que o diâmetro externo seja mantido ou sofra uma variação de até -3% ou +2%.
Esse tipo de alteração compreende um aumento do diâmetro do aro e uma redução da altura do pneu.

O conceito "+1 / +2" é bastante utilizado para conversão de medidas entre aros (com +1 ou +2 polegadas) obtendo uma melhora significativa da performance dos pneus.
Para o aumento de 1” no aro devemos reduzir 10 na altura do flanco, e aumentar 10mm na largura da seção.
exemplo: Pneu 175/70 R13, eqüivale a 185/60 R14
Para o aumento de 2” no aro devemos reduzir 20 na altura do flanco, e aumentar 20mm na largura da seção.
exemplo: Pneu 175/70 R13, eqüivale a 195/50 R15

Cálculo do diâmetro externo do pneu:

Pneu 155/80 R13:
Largura da seção = 155mm
Altura de Flanco = 155mm x 0,8 = 124mm
Diâmetro do Aro = 13 x 25,4 = 330mm

 Diâmetro externo = Diâmetro do aro + 2 x altura do flanco

= 330mm + 2 x 124mm

Diâmetro externo = 578mm

Tabela de equivalência símbolo x Velocidade máxima (km/h)

R

S

T

U

H

V

W

Y

170

180

190

200

210

240

270

300

Tabela 03

 

Fonte:

 

http://www.carrosnaweb.com.br/dicasrodas.asp

 

 

 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos
 
Hacked by
#TeaMGh0sT

~ DB GOT DROPPED ~