Cardiologia/Coração/CirurgCardíaca - Tendência da mortalidade por doenças do aparelho circulatório no Brasil: 1950 a 2000
Esta página já teve 116.633.095 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.678 acessos diários
home | entre em contato
 

Cardiologia/Coração/CirurgCardíaca

Tendência da mortalidade por doenças do aparelho circulatório no Brasil: 1950 a 2000

22/04/2010

Arquivos Brasileiros de Cardiologia

 

Resumo

CESSE, Eduarda Ângela Pessoa; CARVALHO, Eduardo Freese de; SOUZA, Wayner Vieira de  e  LUNA, Carlos Feitosa. Tendência da mortalidade por doenças do aparelho circulatório no Brasil: 1950 a 2000. Arq. Bras. Cardiol. [online]. 2009, vol.93, n.5, pp. 490-497. ISSN 0066-782X.  doi: 10.1590/S0066-782X2009001100009.

FUNDAMENTO: As doenças do aparelho circulatório (DAC), um dos mais importantes problemas de saúde da atualidade, apesar de proporcionalmente ainda liderarem as estatísticas de morbi-mortalidade, começam a apresentar tendência declinante da mortalidade em diversos países. OBJETIVO: Analisar a tendência da mortalidade por DAC nas capitais brasileiras, no período de 1950 a 2000. MÉTODOS: Estudo de série temporal das razões de mortalidade padronizadas por DAC. Utilizamos dados secundários de óbitos dos anuários estatísticos do IBGE e do Sistema de Informação de Mortalidade. Realizamos análise de tendência linear das razões de mortalidade padronizadas por DAC nas capitais brasileiras que apresentaram séries completas de mortalidade, considerando os anos censitários do período do estudo (1950 a 2000). RESULTADOS: Apesar de proporcionalmente as DAC representarem a primeira causa de óbito na população brasileira, bem como apresentarem crescimento proporcional no período de análise deste estudo, o risco de óbito, representado pelas razões de mortalidade padronizadas, apresenta-se em decréscimo, particularmente a partir da década de 80. Destacam-se as cidades de Fortaleza, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro e São Paulo, que apresentam razões de mortalidade padronizadas elevadas, porém em decréscimo (p < 0,05 e p < 0,10) desde o início do período analisado. CONCLUSÃO: O comportamento do risco de óbito por DAC sugere que esse grupo de enfermidades é o que primeiro se estabelece, acompanhando o aumento da industrialização no Brasil, verificado a partir da década de 1930 e após a Segunda Guerra Mundial, Como ocorreu em São Paulo e Rio de Janeiro, que historicamente experimentaram um processo de desenvolvimento e urbanização anterior e diferenciado em relação às outras capitais.

Palavras-chave : Doenças cardiovasculares [mortalidade]; Doenças cardiovasculares [epidemiologia]; doenças vasculares [mortalidade]; doenças vasculares [epidemiologia]; Brasil.

 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos