Vascular/Cirurgia Vascular/Circulação - O que é aneurisma da aorta ?
Esta página já teve 115.912.663 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.697 acessos diários
home | entre em contato
 

Vascular/Cirurgia Vascular/Circulação

O que é aneurisma da aorta ?

02/01/2012

A aorta é a maior artéria do corpo humano. Quando ocorre uma dilatação deste vaso acima de 50% do seu diâmetro normal, existe por definição a formação de um aneurisma.A localização mais freqüente é na aorta abdominal mas cerca de 10% ocorrem na aorta no tórax.Cerca de 5% dos homens acima de 60 anos apresentam aneurisma da aota e este é quatro vezes mais comum em homens do que em mulheres. A complicação mais temida é a ruptura que se associa a uma mortalidade ao redor de 80%.

Porque ocorre o aneurisma?

O aneurisma é causado por um enfraquecimento da parede devido à degeneração das fibras de sua parede e é mais comum após os 60 anos. A degeneração das fibras tem múltiplas causas. Menos comumente, o aneurisma tem como causa uma infecção, doenças do tecido conjuntivo ou trauma. A condição clínica que está associada ao aneurisma em cerca de 60% dos casos é a pressão alta( hipertensão arterial).

Como se apresenta?

A maioria dos aneurismas não provoca sintomas. Quando muito volumosos podem provocar dor abdominal ou lombar. A história natural dos aneurismas da aorta é o crescimento progressivo e ruptura. O ritmo de crescimento é variável e imprevisível. Mais raramente o trombo (coágulos antigos) no interior da dilatação podem se desprender e causar uma embolia nas artérias das pernas. Os aneurismas da aorta torácica podem provocar sintomas secundários à ruptura para o pulmão ou esôfago (tosse sanguinolenta e sangramento para o intestino), mas estes também são raros. Infelizmente a maioria dos aneurismas cresce sem levantar a suspeita de aneurisma torácico ou sintomas até o momento da ruptura.

Como o médico diagnostica?

O exame diagnóstico que mais freqüentemente diagnostica o aneurisma da aorta abdominal é a ecografia. Na maioria das vezes a ecografia que faz o diagnóstico foi solicitada sem a suspeita do diagnóstico. O diagnóstico ocasional é menos comum na aorta torácica porque as costelas atrapalham o exame ecográfico. Em cerca de 50% dos casos o Raio X simples do tórax pode identificar o aneurisma desta localização. Para o planejamento da cirurgia, quando indicada, a ressonância nuclear magnética e principalmente a tomografia computadorizada são os exames que fazem parte da rotina.

Complicações

A maioria dos aneurismas evolui de forma assintomática até a ruptura. Em menos de 2% dos casos ocorre embolia para os membros inferiores (pelo desprendimento de fragmentos de coágulos da parede) ou trombose do aneurisma e conseqüente deficiência na circulação das pernas.

Tratamento

O tratamento definitivo é cirúrgico e está indicado nos aneurismas que apresentam diâmetro transverso acima de 5 cm. Em alguns pacientes que apresentam outras doenças graves a cirurgia pode ser adiada até que o aneurisma ultrapasse 6 cm. Por outro lado se um paciente apresenta aumento rápido do diâmetro (em exames de imagem periódicos) a cirurgia deve ser realizada imediatamente devido ao maior risco de ruptura. Apenas um cirurgião vascular experiente pode avaliar adequadamente o risco e benefício da indicação da cirurgia.

O tratamento pode ser feito por cirurgia aberta (por meio de incisão no abdome ou tórax) ou por cirurgia endovascular (implante de uma prótese pela artéria femoral). Nesta última, não há abertura da cavidade abdominal ou do tórax e a prótese é implantada dentro da lesão. O fluxo de sangue passa a se fazer dentro da prótese "excluindo" o aneurisma da circulação. A indicação de uma ou outra técnica mais uma vez depende da avaliação de cada caso. O cirurgião deve ter experiência em ambas as técnicas.


Fig. O aneurisma da aorta abdominal pode ser tratado por meio de cirurgia aberta(figura superior à direita) ou endovascular (figura inferior à direita).

Prevenção

A medida mais importante para diminuir o crescimento do aneurisma é o controle rigoroso da pressão arterial. Nos pacientes que apresentam aneurismas menores do que 5 cm o controle com ecografias semestrais ou anuais é fundamental para acompanhar a lesão. Consultas periódicas com o cirurgião vascular se constituem na melhor maneira de prevenir as complicações.

NUNCA SE AUTOMEDIQUE. CONSULTE SEU ANGIOLOGISTA OU CIRURGIÃO VASCULAR.

 

Fonte:

http://www.vascular-rs.org.br/topicos-aaorta.php

 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos
 
Hacked by
#TeaMGh0sT

~ DB GOT DROPPED ~