Câncer/Oncologia/Tumor - Tumores Malignos de Rins
Esta página já teve 113.899.485 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.869 acessos diários
home | entre em contato
 

Câncer/Oncologia/Tumor

Tumores Malignos de Rins

30/06/2003

 

 

Carcinoma de células renais (Hipernefroma)

75 a 80% das neoplasias renais em adultos (2H:1M)

Pico de incidência entre 50 e 70 anos de idade

Localização preferencial pelos polos renais

Macroscopia: lesão esférica ou ovóide de 3 a 30 cm de diâmetro; ao corte é amarelado com áreas de necrose e hemorragia ou ainda cavidades císticas, com formação de pseudocápsula. tendência a invadir a veia renal, deformar os cálices e a pelve

Microscopia: células poligonais claras com formação de trabéculas, cordões e túbulos

infiltração da cápsula renal e tecido adiposo peri-renal , invasão intravascular, com crescimento tumoral na veia renal

Metástase para pulmões (+ 50%), ossos (33%), linfonodos regionais, fígado, supra renais, cérebro e rim contralateral (10-15%)

Manifestações clínicas são tardias: hematúria, dor e massa palpável. Manifestações clínicas inespecíficas são mais comuns: febre, emagrecimento, fadiga, hipertensão arterial, alterações laboratoriais como leucocitose, policitemia, trombocitose (síndromes paraneoplásicas)

Prognóstico depende do estadiamento:

estadio I

tumor confinado ao rim

estadio II

tumor envolve a gordura peri-renal

estadio III

tumor envolve a supra-renal, veia renal e/ou linfonodos regionais

estadio IV

metástases à distância ou extensão direta aos órgãos vizinhos

 

Diagnóstico:

Avaliação radiológica: urografia excretora; ultra-sonografia abdominal; angiografias; tomografia computadorizada; ressonância nuclear magnética

Tratamento: cirurgia radical - remoção completa da cápsula de Gerota e seu conteúdo (rim e supra-renal) + ressecção dos linfonodos hilares; nefrectomias parciais nos casos bilaterais

 

 

Carcinoma urotelial (Carcinoma de células transicionais)

5 a 10% dos tumores renais em adultos (4H:1M)

Localização: pelve renal

Comprometimento renal: infiltração, obstrução e suas consequências; em cerca de 40% são múltiplos (ureter, bexiga e uretra) - mutação no gene p53

Sinais clínicos: hematúria, retenção urinária

Diagnóstico em geral precoce

Comum infiltração da parede da pelve, cálices e veia renal

Mau prognóstico - sobrevida de 5 anos em 50 a 70% dos casos (lesões superficiais) e em 10% dos casos (tumores infiltrantes)

 

 

 

Tumor de Wilms (nefroblastoma)

Tumor renal mais comum nas crianças; representa 13% das neoplasias malignas abaixo dos 15 anos de idade

95% dos casos entre 6m e 6 anos de idade, com pico entre 2 e 4 anos. Maior risco de desenvolvimento do tumor está relacionado a três grupos de malformações congênitas exibindo defeitos no cromsosoma 11:

síndrome WAGR

tumor de Wilms (33%), aniridia, anomalias genitais, retardo mental

síndrome Denys-Drash

anomalias genitais e.nefropatia

síndrome Beckwith-Wiedemann

vísceras volumosas, hemipertrofia, cistos medulares renais

Lesões precursoras: NEFROBLASTOMATOSE

Focos de restos de elementos nefrogênicos imaturos

Macroscopia: massa única, bem delimitada, macia, homogênea, pardacenta a acinzentada, podendo ter necrose e/ou hemorragia

Microscopia: combinação de três componentes - blastema, estroma e células epiteliais

Características clínicas:

Grande massa abdominal, dor abdominal e hematúria

Obstrução intestinal, hipertensão arterial

Taxa de sobrevida em 5 anos na década de 60: 10 a 40%

Taxa de sobrevida atual em 5 anos: 90% !!!!

Uso combinado de cirurgia, quimioterapia, radioterapia (protocolo do NWTS).

 

 

 

TUMORES DE BEXIGA

 

 

TUMORES MESENQUIMAIS: 5%

 

          BENIGNOS: Leiomioma

 

          MALIGNOS: São raros. Produzem grandes massas exofíticas, macias, carnosas. Rabdomiossarcoma: forma adulta (> 40 anos) e forma infantil (rabdomiossarcoma embrionário e botrióide)

 

 

 

TUMORES UROTELIAIS: 95% - TUMORES EPITELIAIS DE BEXIGA

 

         BENIGNOS:

          Papiloma exofítico (2-3%): Macroscopia: estrutura papilífera, macia, delicada, superficialmente aderida à mucosa por um eixo. Microscopia: estrutura de pólipo com revestimento urotelial normal, com sete ou menos camadas.

tratamento: ressecção transuretral

 

          Papiloma invertido: é raro, aparece como nódulos solitários na mucosa de 1 a 3 cm.

 

 

 

         MALIGNOS: .

 

          Carcinoma de células transicionais (Grau I - 90%, Grau II - 20%, Grau III - 60%). Relação H:M = 3:1. Preferencialmente em zonas industrializadas e urbanas. Faixa etária entre 50 a 80 anos. Fatores implicados no desenvolvimento do carcinoma de células transicionais: exposição a aminas aromáticas (agentes pró-carcinogênicos), fumaça do cigarro (50 a 80% dos casos), esquistossomose (Schistosoma haematobium), exposição prolongada à ciclofosfamida (agente imunossupressor); influências não completamente estabelecidas: consumo excessivo de café, cafeína, adoçantes dietéticos artificiais (sacarina e ciclamato), álcool. Aspectos macroscópicos: papilífero (exofítico), plano, nodular, infiltrativo, ulcerado. Graduação (Graus I, II e III da OMS) é baseada no grau de atipia nuclear apresentado pelas células tumorais:TAMANHO, PLEOMORFISMO, POLARIZAÇÃO,  HIPERCROMASIA, MITOSES, FENDAS. Tumores agressivos - infiltração da próstata, vesícula seminais, ureteres, retroperitônio, fístulas com vagina e reto. Metástase: linfonodos regionais (40% dos tumores profundamente invasivos), hematogênica (tardiamente): fígado, pulmões e medula óssea.

         

 

          Carcinoma in situ - 5-10%. Áreas difusas, avermelhadas, granulosas ou espessadas. Atipias de alto grau acometendo toda a espessura da mucosa, freqüentemente associado a lesões infiltrantes.

          Carcinoma de células escamosas - 3-7%; se iniciam provavelmente de áreas de metaplasia escamosa

         Adenocarcinoma - 1%; devem se originar a partir de remanescentes do úraco ou glândulas periprostáticas e uretrais.

          Carcinoma indiferenciado de pequenas células - raro

 

 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos