Antienvelhecimento/Longevidade - Hormônio do crescimento
Esta página já teve 114.990.064 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.742 acessos diários
home | entre em contato
 

Antienvelhecimento/Longevidade

Hormônio do crescimento

21/07/2003

 

Desde que o homem começou a perceber que envelhecia iniciou-se a procura incansável pela fonte da juventude. A partir daí, a terapia com o Hormônio do Crescimento passou a ser estudada e com boas perspectivas para o ser humano.

O Hormônio do Crescimento, como diz o próprio nome, é o responsável pelo crescimento da criança durante a fase de crescimento. Em sua ausência ou deficiência surge o nanismo ou incapacidade de crescer. Trata-se de uma proteína globular, com 191 aminoácidos em sua estrutura e tem uma atividade espécie específica, isto é, cada espécie de animal possui o seu próprio tipo de Hormônio do Crescimento.
Trata-se de uma molécula relativamente pequena, produzida na parte anterior da glândula hipófise, parte essa também chamada de adeno-hipófise. Esse hormônio atua em todas as células do corpo, onde pode se ligar a receptores de membrana específicos para ele, pode atuar diretamente sobre enzimas e organelas citoplasmáticas ou pode atuar diretamente dentro do núcleo da célula, ao nível dos gens.


HGH - O que é?

O GH é um hormônio produzido pela hipófise, glândula localizada na base do cérebro. O auge da produção é na adolescência. Aos 55 anos, os níveis de GH são 70% do que eram entre 18 e 30 anos. Desde os anos 60, o GH vem sendo usado em crianças com déficit de crescimento. O hormônio era extraído de cadáveres e custava uma fortuna. Nos anos 80, o GH passou a ser fabricado em laboratório e seu uso foi disseminado: no início, em doentes de AIDS, para ganho de massa muscular; depois, como arma contra o envelhecimento.

Hormônio do Crescimento auxilia na produção de células contra Doenças e na Velhice

Endocrinology, 06/02/02

 

A terapia com hormônio de crescimento em pacientes idosos aumenta a massa corporal muscular e reduz a gordura corporal, ajudando-os a manter a forma. Cientistas dizem agora que a terapia também pode auxiliar na produção de células vitais no combate às doenças. A conclusão é baseada em um estudo publicado na edição de fevereiro do periódico Endocrinology.

Utilizando ratos em idade avançada, os pesquisadores na Universidade de Illinois descobriram que o hormônio de crescimento injetado ou implantado estimulou a produção de células hematopoiéticas promotoras de imunidade na medula óssea, assim como no baço, fígado e nas glândulas supra-renais. A produção nos ratos tratados em idade avançada (com 2 anos) foi três vezes superior a dos ratos não-tratados em idade similar e 80% da produção em ratos mais jovens no grupo de controle.

"Esses novos resultados mostram que a terapia com hormônio de crescimento em animais com idade avançada pode reverter totalmente o acúmulo das células de gordura na medula óssea", disse o Dr. Keith W. Kelley, pesquisador e professor de ciências animais no laboratório de Imunofisiologia da Universidade de Illinois. "Essa redução das células gordurosas é acompanhada por um grande aumento no número de células sangüíneas vermelhas e brancas na medula óssea que são reduzidas drasticamente na velhice. Esses resultados estabelecem que um hormônio clássico, o hormônio de crescimento, é um estimulador potente da produção de células sangüíneas".

Tal processo de produção é chamado de hematopoiese. "Se resultados similares ocorrecem em um humano na velhice, esse tipo de aproximação de tratamento poderia levar a um aumento na capacidade de reserva das células vermelhas e brancas", disse Kelley. A produção normal de hormônio de crescimento diminui com a idade. O tamanho e a tonicidade do músculo diminuem, e a gordura se acumula não somente em áreas visíveis do corpo, como também no interior da medula óssea, onde ela preenche um vazio criado por um declínio das células hematopoiéticas.

Os pesquisadores disseram que as células hematopoiéticas " favorecem a visão de que a IGF-I é uma molécula essencial que atua diretamente nas células progenitoras que promovem a hematopoiese". A IGF-I, uma proteína, é o fator de crescimento que é liberado pelo fígado e tecidos locais após a estimulação do hormônio de crescimento. Ela é considerada uma reguladora- chave do crescimento corporal, incluindo a síntese muscular.

Os principais efeitos do HGH são entre outros:

  • Diminuição da gordura localizada
  • Aumento da massa muscular
  • Regular os níveis da pressão arterial
  • Baixar os níveis de colesterol
  • Fortalecer o sistema imunologico
  • Aumentar desempenho cardiovascular
  • Melhorar capacidade mental
  • Melhorar desempenho sexual
  • Melhorar sua aparência, inclusive propiciar o crescimento de cabelo, fortalecimento de unhas.

Os resultados do tratamento proposto

 

1. Melhora na libido e desempenho sexual:

Observado que tanto os homens como as mulheres relatam aumento no desejo sexual e na libido, sendo que os homens dão especial atenção a melhora de sua performance.

 

2. Aumento de energia e bem estar mental:

Uma das primeiras vantagens que os pacientes relatam é o aumento da energia vital e visão positiva da vida, coisas que usualmente eram consideradas irritantes tornam-se algo que o paciente considera como uma inconveniência temporária.

 

3. Diminuição da gordura localizada e aumento da massa muscular magra:

Os pacientes experimentam diminuição de aproximadamente 20% da gordura localizada principalmente na região abdominal (barriga), ao mesmo tempo evidenciam aumento da massa muscular ao redor de 7 a 14%.

 

4. Diminuição dos níveis de colesterol: (gordura no sangue), e pressão sangüínea:

Pacientes hipertensos quando em tratamento com reposição hormonal, experimentam uma redução da dose de medicamentos necessários para controle da pressão arterial, e aqueles com níveis elevados de colesterol experimentam queda dos seus níveis de LDL colesterol ( colesterol ruim ), e aumento dos níveis de HDL colesterol ( colesterol bom ).

 

5. Melhora da mineralização óssea e elasticidade da pele:

A terapia de reposição hormonal quando necessária têm provocado aumento da densidade óssea em pacientes com osteoporose e melhora na cor e elasticidade da pele, inclusive com diminuição das rugas.

 

6. Melhora do sistema imunolôgico:

Com o avanço da idade há um declínio do sistema imunológico, ficamos assim sujeitos a diversas doenças. Com a terapia de reposição hormonal os nossos pacientes ficam mais resistentes às doenças causadas por vírus ou bactérias, como a gripe.

 

7. Melhora do raciocínio, concentração e memória:

Nossos pacientes revelam que após a terapia de reposição hormonal a sua capacidade de aprender, a memória, e o poder de concentração aumentaram de forma significativa.

 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos