Minerais - Molibdênio
Esta página já teve 113.948.576 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.867 acessos diários
home | entre em contato
 

Minerais

Molibdênio

27/07/2003

 


Informações gerais

O composto insolúvel tem forma de pó. O composto solúvel é um elemento metálico de cor branca a prateada.

Usos: indústria do aço, aditivo para pigmentos e fertilizantes. Os compostos de molibdênio, particularmente o óxido de molibdênio (Mo2O3), são largamente utilizados como inibidor de corrosão, reagentes e promotores ou ativadores catalíticos, em hidrogenação, craqueamento, alquilação e reforma, em refinarias. São componentes do catalisador "SHELL 424", que tem estado físico em forma de bastonetes.

Grau de Insalubridade (NR 15)

Não estabelecido.

Grau de risco à saúde (API)

Não estabelecido.

Classificação de carcinogenicidade ocupacional (ACGIH / 95-96)

Não estabelecida.

Limites de tolerância

LT-MP ou TLV-TWA (ACGIH / 95-96) = 5 mg/m3 (Compostos solúveis)
LT-MP ou TLV-TWA (ACGIH / 95-96) = 10 mg/m3 (Compostos insolúveis)
MAC (Rússia) = 6 mg/m3

Toxicocinética e toxicodinâmica

Exposição aguda

A toxicidade do molibdênio e de seus compostos é considerada como pequena na literatura, apesar do considerável uso deles na indústria. Os compostos insolúveis têm baixa toxicidade, contudo o trióxido de molibdênio é um irritante dos olhos e das membranas mucosas. Casos de intoxicação humana por molibdênio são raros.

A principal via de penetração é a respiratória, e o molibdênio ganha a corrente sangüínea, sendo distribuído para diversos tecidos. Não é armazenado, devido à sua rápida eliminação pelos rins, retornando os níveis anteriores à exposição após 72 horas.

Exposição crônica

Os estudos não mostraram até então toxicidade na exposição a longo prazo. Não foram encontrados indícios de mutagenicidade, carcinogênese (potencial para desenvolver câncer), distúrbios internos do organismo e dermatite.

Num estudo realizado com trabalhadores de uma mina expostos a concentrações entre 60 e 600 mg/m3, surgiram sintomas inespecíficos tais como fraqueza, fadiga, anorexia, dor de cabeça e dores musculares.

Controle da exposição e prevenção da intoxicação

Medidas de higiene ambiental.

Primeiros Socorros

Na inalação

Retirar da exposição, administrar oxigênio, se necessário. A administração de cobre e sulfatos orgânicos é útil para casos de intoxicação aguda.

Na ingestão

Administrar água ou leite, para diluir. Administrar carvão ativado.

No contato com a pele

Não considerado.

No contato com os olhos

Não estabelecido.

Controle biológico

 

 

 www.quimica.ufpr.br


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos