Primeiros socorros/Emergência - Emergências Médicas
Esta página já teve 117.086.612 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.654 acessos diários
home | entre em contato
 

Primeiros socorros/Emergência

Emergências Médicas

07/08/2003

 

Definimos emergências médicas como aquelas emergências provocadas por uma ampla variedade de enfermidades cuja causa não inclui violência sobre a vítima. As emergências médicas mais comuns são: o infarto agudo do miocárdio, a angina de peito (angina pectoris), a insuficiência cardíaca congestiva, o acidente vascular cerebral e a hipertensão.

Se a vítima está sentindo-se mal e apresenta sinais vitais atípicos, assuma que esta possui uma emergência médica.

INFARTO AGUDO DO MIOCÁRDIO: Infarto agudo do miocárdio (IAM) pode ser definido como uma lesão ou a morte de uma parte do músculo cardíaco (miocárdio) resultante de uma redução no suprimento sangüíneo daquela área. Os sinais e sintomas indicativos de um IAM são geralmente dor ou sensação de opressão no peito (às vezes essa dor não é no peito e se transmite para os braços, para a mandíbula ou as costas), dores torácicas que vem e vão, por horas ou dias antes do IAM, náuseas, sudorese intensa, falta de ar, fraqueza, agitação/inquietude e, finalmente, a parada cardíaca.

O tratamento pré-hospitalar consiste basicamente no acionamento do socorro especializado. No entanto o socorrista poderá ajudar a vítima, colocando-a numa posição de repouso (semi-sentado) para facilitar a respiração, ministrando oxigênio suplementar, afrouxando roupas apertadas e mantendo o calor corporal da vítima. Caso a vítima esteja em parada cardiorespiratória, acione o Serviço Médico de Emergência e inicie imediatamente as manobras de RCP.

ANGINA DE PEITO: A angina de peito pode ser entendida como uma dor caracterizada por uma sensação de intensa constricção no tórax. Geralmente está associada a um suprimento sangüíneo insuficiente para o coração. A angina se agrava ou se produz pelo exercício e alivia com repouso ou medicamentos. Seu principal sintoma é uma dor no peito ou sensação de opressão (que aparece e aumenta com o esforço físico). Essa dor poderá irradiar-se para a mandíbula e os braços. Na dúvida, considere toda dor no peito, sem explicação, como uma possível angina. As vítimas conscientes de sua condição, geralmente, tomam medicamentos (nitroglicerina) para aliviar essa dor. O socorrista deverá assistir a vítima para que tome a medicação conforme prescreve sua bula. O tratamento pré-hospitalar é idêntico ao IAM.

INSUFICIÊNCIA CARDÍACA CONGESTIVA: Definimos a insuficiência cardíaca congestiva como uma circulação insuficiente por falta de bombeamento do coração. Quando o coração não bombeia efetivamente, o sangue procedente dos pulmões pode acumular-se na circulação pulmonar, isto poderá produzir o escape de líquidos para fora dos vasos sangüíneos. Este líquido acaba ocupando os alvéolos e dificultando a troca de ar. Seus sinais e sintomas são: a diminuição acentuada da respiração, ansiedade e agitação, pulso rápido, respiração superficial e rápida, edema no pulso e/ou tornozelo, inchaço no abdômen, aparecimento de veias do pescoço distendidas e cianose. Normalmente a vítima insiste em ficar sentada ou de pé e, não é freqüente que a apresentação de dor torácica.

O tratamento é semelhante ao das vítimas com insuficiência respiratória, ou seja, em primeiro lugar acione socorro especializado a fim de que a vítima seja transportada para um hospital. Em seguida, mantenha a vítima em repouso (posição semi-sentada) com as vias aéreas permeáveis, ministre oxigênio suplementar e promova suporte emocional.

ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL: O acidente vascular cerebral (AVC) é uma condição caracterizada pela alteração do suprimento sangüíneo para certa parte do cérebro. Suas principais causas são:

Trombose Cerebral – causada quando um coágulo (trombo) obstrui uma artéria cerebral, impedindo que o sangue oxigenado nutra a porção correspondente do cérebro.

Hemorragia Cerebral – também chamado derrame cerebral, é quando uma artéria se rompe deixando uma área do cérebro sem nutrição. O sangue que sai do vaso aumenta a pressão intracraniana pressionando o cérebro e interferindo em suas funções. Os sinais e os sintomas do AVC variam muito dependendo da localização e extensão do dano. Geralmente incluem dor de cabeça, desmaio, formigamento ou paralisia da face, dificuldade para respirar e falar, dificuldade visual, convulsão e perda do controle urinário e intestinal. Lembrar que o risco de uma AVC aumenta com a idade. O tratamento inclui o acionamento do socorro especializado e transporte para um hospital. O socorrista deverá estar preparado para ventilar ou realizar manobras de RCP. Se possível, ministre oxigênio suplementar, mantenha a vítima em repouso e manipule-á com cuidado e lentamente, mantenha seu corpo aquecido, não dê nada para ela beber ou comer e mantenha-a em posição lateralizada se houver secreções na boca (para evitar aspirações).

HIPERTENSÃO: A hipertensão, também muito conhecida por pressão alta, é uma elevação instável ou persistente da pressão sangüínea acima de níveis normais. Os seus sinais e sintomas mais comuns são: dor de cabeça (cefaléia), enjôo, náuseas, ansiedade, zumbido nos ouvidos, hemorragia nasal, formigamento na face e extremidades e PA diastólica acima de 90mmHg. Ao realizar o tratamento pré-hospitalar da hipertensão, o socorrista deverá acionar o socorro especializado, posicionar a vítima sentada ou semi-sentada, manter as vias aéreas abertas e manter a vítima em repouso, acalmando-a até a chegada da equipe de socorro.

bombeirostubarao


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos