Antienvelhecimento/Longevidade - Mantendo a saúde na velhice
Esta página já teve 115.013.179 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.741 acessos diários
home | entre em contato
 

Antienvelhecimento/Longevidade

Mantendo a saúde na velhice

29/08/2003

 

Kay-Tee Khaw, Médico, Professor de Geriatria na Universidade de Cambridge no Reino Unido apresentou conferência sobre os padrões de envelhecimento no mundo e como essas tendências podem ajudar o clínico a ensinar a mulher como manter a saúde em idade avançada.  Estudos populacionais mundiais mostram que a perda da qualidade de vida na mulher idosa deve-se principalmente às doenças degenerativas associadas com as doenças cardiovasculares, às fraturas decorrentes da osteoporose, aos cânceres mais comuns (colo do útero, mama, colorretal, ovário), demência e diminuição das acuidades auditiva e visual.  Além de ter percebido tendências seculares e variações geográficas e socio-econômicas, o Dr. Khaw considera e afirma que a maioria destas condições anormais podem ser prevenidas ou retardadas.

Em relação ao câncer e estado nutricional o Dr. Khaw apresentou um estudo acompanhando um grupo grande de mulheres em Norfolk-Inglaterra (Investigação Prospectiva Européia sobre Câncer e Nutrição).  Este estudo proposto para 4 anos, incluindo mais de 30.000 homens e mulheres entre 45 e 79 anos, ainda em andamento, está verificando o relacionamento entre dieta/estilo de vida e doenças crônicas e, ainda, como estes fatores afetam o risco de doença na velhice.

O Dr. Khaw relatou que melhor qualidade de vida e diminuição de todas as causas de morte entre as mulheres foram associadas com classe social mais favorável, maior educação e relato de saúde em condição fisiológica boa ou excelente (ie, contagem de leucócitos, função pulmonar, freqüência do pulso e níveis de hemoglobina glicosilada). A análise sobre doenças específicas mostrou  existir associação entre um aumento no risco relativo de morte por  doença cardiovascular e função pulmonar alterada, diabetes mellitus, maior relação cintura-quadril, maior número de leucócitos, pulso mais rápido, elevação da pressão sistólica e tabagismo. 

Os dados relatados antes, nesta população de Norfolk, por Jake e colaboradores confirmam que atividade física de alto impacto está, independentemente, associada com atenuação ultra-sonográfica do osso calcâneo, iguais às mulheres 4 anos mais novas, com redução do risco de fraturas de 12%.

Uma característica importante deste estudo é ser o maior estudo epidemiológico em que dados nutricionais e concentrações de ácido arcórbico no plasma foram obtidos.  Auto-relato de saúde boa/excelente entre as mulheres foi associado à melhor condição nutritiva e estilo de vida (concentrações plasmáticas de vitamina C/ausência de tabagismo ou hábito de fumar poucos cigarros no dia, pequena ingesta de álcool e educação maior do que 15 anos).  Notou-se, em particular, que a concetração plasmática de ácido ascórbico foi forte e independentemente associada com a redução no risco de morte por todas as causas, doença cardiovascular e câncer.  Um  aumento de 20mm/L de vit C no plasma, equivalente à ingesta de 50g/dia de frutas ou vegetais foi associado com uma redução na mortalidade de 20%.  Nos indivíduos com maior ingesta de vit C (percentual de 70% versus 30%) esta redução alcançou 30%.  Conclui-se que um aumento modesto na ingesta de alimentos ricos em vit C (não suplementos vitamínicos) pode oferecer benefícios significantes na saúde.

Os achados do estudo de Norfolk-Inglaterra, são consistentes com os achados de muitos outros estudos, dando suporte aos benefícios de dietas ricas em frutas e vegetais.  Considerando-se todas estas informações há um grande potencial em manter ou melhorar a saúde na idade avançada, desde que haja adesão aos hábitos de atividade física regular, não fumar, consumo maior de frutas, vegetais e alimentos frescos.   Recomenda-se, ainda, consumo reduzido de alimentos industrializados, sal e gordura saturada.

Sebastião Freitas de Medeiros

 

www.sobrage.org.br


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos