biologia molecular - Filogenia e biologia molecular
Esta página já teve 110.784.821 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.759 acessos diários
home | entre em contato
 

biologia molecular

Filogenia e biologia molecular

04/06/2003

A filogenia molecular é o estudo das relações evolutivas entre os organismos utilizando dados obtidos a partir de técnicas de biologia molecular. Esta é uma das áreas da evolução molecular que tem tido muito interesse nos últimos anos, principalmente pelo fato de que muitas relações filogenéticas são impossíveis de serem descobertas de outra forma. Além disso, o interesse em biologia da conservação está em alta e através de dados de filogenia molecular é possível descobrir se determinadas populações caracterizam unidades diferentes de significância evolutiva e contribuem para o legado evolutivo de uma espécie, devendo ser conservadas em prioridade.

Histórico

O estudo da filogenia molecular é conhecido desde o ano de 1900, mesmo antes da redescoberta dos trabalhos de Mendel. Estudos imunoquímicos mostraram reações sorológicas cruzadas eram mais fortes em organismos mais relacionados do que em organismos mais distantes. Essas informações foram utilizadas por Nuttall (1904) para inferir relações filogenéticas entre vários grupos de mamíferos. Nuttall determinou que as espécies mais próximas do homem eram os macacos, seguidos pelos macacos no velho mundo, os macacos do novo mundo e os prosímios.

Desde os anos 50, várias técnicas têm sido desenvolvidas em biologia molecular e utilizadas para estudos filogenéticos. Os métodos mais antigos e dispendiosos, como a eletroforese de proteínas, hibridização de DNA e métodos imunológicos logo foram substituídos por sequenciamentos de proteínas e ácidos nucléicos, que se tornaram amplamente utilizados em estudos de relações filogenéticas entre populações ou espécies. A aplicação desses métodos logo levou ao desenvolvimento de medidas de distância genética e de montagem de árvores que expressassem as diferenças observadas entre os organismos.

A rápida acumulação de dados a partir da década de 1970 provocou um grande impacto na filogenia molecular. Dados de seqüências de DNA foram utilizados para a montagem de árvores filogenéticas em organismos proximamente (homens e macacos) ou distantemente relacionados (eucarióticos, eubactéria e archaeabacteria). Portanto, os dados moleculares têm provido uma poderosa ferramenta de estudo da história evolutiva, de forma a possibilitar a reconstrução da filogenia dos maiores grupos de organismos vivos.

É claro, entretanto, que não devemos abandonar os métodos tradicionais de classificação dos organismos, como a morfologia, fisiologia e paleontologia. Ao invés disso, devemos prover dados complementares e mais precisos sobre as semelhanças e divergências de caracteres. A taxonomia baseada na morfologia e em dados anatômicos é ainda muito importante para a comparação com as informações paleontológicas disponíveis, já que o DNA de formas fósseis é quase impossível de ser recuperado.

Francisco Prosdocimi Santos


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos