Diabete/Diabetes - Neuropatia Diabética
Esta página já teve 110.796.539 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.762 acessos diários
home | entre em contato
 

Diabete/Diabetes

Neuropatia Diabética

21/09/2003

Doença dos Nervos (neuropatia periférica)

 

Prof. Marcos Martins da Silva

 

Em geral, as pessoas associam o termo "doença dos nervos" a estados de ansiedade, estresse, depressão, doença mental, etc., todos na realidade pertencentes a esfera de atuação do psiquiatra. Em Neurologia, quando nos referimos a "nervos", estamos nos referindo ao conjunto de estruturas responsáveis pelo tráfego de mensagens entre as diversas partes do corpo e o Sistema Nervoso Central. Estas mensagens levam ao cérebro as nossas sensações e trazem as ordens que permitem a movimentação dos músculos. Quando estes nervos ficam danificados estamos diante de uma neuropatia periférica.

Quando os nervos são afetados, o paciente deixa de sentir o toque, o calor e mesmo a dor nas regiões afetadas (anestesia). Também podem ocorrer sensações espontâneas, na ausência de estímulo, semelhantes a alfinetadas, formigamento e queimação (semelhantes ao que acontece quando você "prende a circulação" se permanecer muito tempo com as pernas cruzadas). Estes fenômenos são muito desagradáveis e muitas vezes constituem o principal motivo a levar o paciente ao médico.

Outra conseqüência importante é a perda de força que pode até mesmo impedir que o paciente consiga andar. Na ausência de estímulo dos nervos, os músculos começam a diminuir de tamanho (atrofia). Os reflexos, isto é, aquelas reações de movimento súbito como as que ocorrem quando o médico bate o martelo um pouco abaixo do joelho, também tendem a desaparecer.

Todos estes sintomas podem ocorrer em intensidade e distribuição variáveis em cada paciente, variando desde discreta dormência nas pontas dos pés a situações graves em que braços e pernas jazem imóveis e insensíveis. Em alguns casos mesmo a respiração pode ser prejudicada. Felizmente, estas situações extremas são pouco freqüentes.

Os nervos podem estar acometidos por doenças próprias ou, mais comumente, em conseqüência de enfermidades que afetam o corpo como um todo. Em nosso meio, as causas mais freqüentes são o Diabetes e o alcoolismo.

O tratamento depende da causa específica da neuropatia. Assim, o diagnóstico preciso é indispensável para o êxito terapêutico. No caso do Diabetes, por exemplo, o controle do nível de açúcar no sangue (glicemia) é fundamental. Existem também alguns remédios capazes de trazer alívio a queimação nos pés, tão comuns neste quadro. A orientação ao paciente é muito importante. Ele deve saber por exemplo que deve sempre examinar seus pés: com a diminuição da sensibilidade ele pode se machucar e só perceber quando há uma complicação infecciosa grave. No caso do paciente diabético, em particular, a situação se agrava por causa da conhecida a dificuldade de cicatrização.

Quanto ao alcoolismo, por outro lado, o principal problema não é o álcool em si. Em verdade, o álcool é um alimento ruim, pois sacia a fome, mas não possui proteínas nem vitaminas. Estas últimas, em especial as do complexo B, são fundamentais para a manutenção dos nervos; é a privação destas vitaminas que causa a neuropatia. Deste modo, o tratamento eficaz depende não apenas da abstenção ao álcool mas, principalmente, da reposição de vitaminas e retorno a nutrição adequada.

 

Neuropatia

O diabetes crônico, com o açúcar no sangue sempre elevado, pode causar graves danos aos nervos, e ser uma das piores complicações do diabetes, pois causa muita dor, desconforto e incapacidade, e os tratamentos ainda não são totalmente bem sucedidos.

Pacientes que praticam exercícios freqüentemente e controlam o peso (se necessário), conseguem manter a taxa de glicemia o mais perto possível do normal, evitam um sofrimento maior quando têm neuropatia.

Apesar das maiores queixas das pessoas com neuropatia serem dores ou dormência nas pernas e pés, não é a única complicação desta doença. A neuropatia pode causar diferentes sintomas, dependendo se os nervos atingidos estão nas pernas, no trato gastrointestinal ou em outro qualquer.

Se você tem algum dos sintomas abaixo, a neuropatia pode ser a responsável :

·        Inabilidade de esvaziar satisfatoriamente a bexiga, causando freqüentes infecções,

·        Pressão baixa que cause desmaios ou tonturas.

·        Inabilidade para levantar os pés, ou deformidades , ou úlceras nos mesmos. .

·        Dificuldade em manter ou concluir uma ereção.

Apesar dos médicos terem descoberto algumas medicações e outros tratamentos capazes de diminuir o sofrimento de algumas pessoas, a prevenção ainda é a melhor solução. Mantendo o diabetes sob controle, a pessoa diminui em 50% ou mais as complicações. Mantendo um melhor controle do diabetes, evita - se um estrago maior quando da manifestação da neuropatia.

Algumas sugestões, caso você tenha esta complicação:

Quais os diferentes tipos de neuropatia ?

Há três tipos de neuropatia: sensorial, independente e motora.

·        Neuropatia sensorial afeta os nervos que levam informações das sensações das várias partes do corpo para o cérebro. Quando uma coisa está quente ou fria, qual a textura, a dor causada pôr algum objeto ou calor, etc. Esta é a forma mais comum de neuropatia.

·        Neuropatia independente afeta os nervos que controlam as atividades involuntárias do corpo, como do estômago, intestino, barriga e até mesmo o coração.

·        Neuropatia motora afeta os nervos que mandam os sinais para os músculos que permitem movimentos como andar e mexer os dedos. Esta forma de neuropatia é muito rara.

·        Neuropatia sensorial pode causar dor, dormência ou formigamento nas extremidades, e finalmente, incapacidade para sentir calor, frio ou qualquer outra sensação nas áreas afetadas.

·        Neuropatia independente pode causar impotência em homens, neuropatia na bexiga (quando a bexiga não consegue esvaziar totalmente), diarréia ou estômago inchado.

·        Neuropatia motora causa fraqueza nos músculos.

Se você receber diagnóstico de neuropatia, o médico deverá informá-lo o tipo. Se só um lado do seu corpo for afetado, recebe o nome de neuropatia assimétrica. Se for os dois lados, simétrica. Se só um nervo for atingido, chama-se mononeuropatia. Se vários nervos forem atingidos, denomina-se polineuropatia.

Como se diagnostica a neuropatia?

Muitas pessoas procuram ajuda médica quando sentem dor. Homens procuram o médico preocupados com sua inabilidade de Ter ou manter uma ereção. Freqüentes infecções urinárias podem ser uma pista, como também diarréia ou prisão de ventre, vômitos, ou sintomas que se assemelham à úlcera.

O médico deve detectar os sinais de neuropatia imediatamente. Isto acontece quando os reflexos já não respondem normalmente, ou uma diferença na pressão sangüínea, quando você sai de uma posição reclinada para a sentada. São sinais que permitem aumentar a atenção para o açúcar no sangue, e evitar problemas futuros.

Como é tratada a neuropatia?

Infelizmente não há curas milagrosas. Apesar da existência de alguns tratamentos para neuropatia, é difícil curar ou repor nervos afetados. O que a pessoa com neuropatia pode fazer, é manter a glicemia o mais normal possível, fazer exercícios regularmente, e manter o peso perto do ideal. Isto limitará o estrago que a glicemia alta pode causar aos nervos. Os exercícios farão com que os músculos enfraquecidos pela diminuição da atividade dos nervos, fiquem mais fortes. Deve-se sempre conversar com o médico sobre tratamentos à base de remédios. O paciente não deve se auto medicar.

Homens impotentes devido à neuropatia, podem ser tratados. O Viagra deve ser tomado somente com acompanhamento médico. Os diabéticos têm maior propensão à doença do coração ou vascular, e o uso do Viagra que ajuda na atividade sexual, deve ser tomado somente com acompanhamento médico.

Como evitar problemas no futuro?

Um dos maiores problemas com a neuropatia, particularmente a neuropatia sensorial, é que muitas vezes o nervo afetado morre, e o paciente perde totalmente a sensibilidade na área afetada. Pôr esta razão, quem desenvolver neuropatia nos pés ou pernas, precisa examiná-los diariamente, para verificar se há cortes ou outros problemas, os quais provavelmente não sentirá. Deve-se usar sapatos que não apertem, nem tenha alguma irregularidade que possa machucar os pés, sem que você sinta. Se você tiver neuropatia, não deve usar cobertores elétricos, pois poderá se queimar sem sentir. Deve-se tomar cuidado especial com banhos muito quente, pois os pés e pernas podem sofrer queimaduras, devido à falta de sensibilidade nos mesmos.

Quando terminará a dor?

Não é fácil responder à esta questão. Talvez com o açúcar no sangue sob controle, praticar exercícios, ou com ajuda de remédios (sempre a conselho médico), possa tornar a dor suportável. Muitos médicos ajudam os pacientes a suportar melhor as conseqüências da neuropatia, para que os mesmos tenham uma qualidade de vida,  o mais perto do normal possível.

 

www.diabete.com.br

 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos